A Minha Cidadania Italiana | Fabio Barbiero

Província de Pistoia, 24 de dezembro de 2007 – 10:38 da manhã

Saio de casa rumo ao comune. Faz frio. Provavelmente 2 graus e um vento gelado pra piorar. Mas estou bem aquecido, com o coração acelerado, afinal estou indo perguntar se meus documentos foram transcritos e se já posso ser considerado “cidadão italiano” de verdade…

Cumprimento todos que eu encontro pelo caminho, afinal quem sabe um dia não me candidato a prefeito da cidade.

Faltam dois quarteirões pra chegar no comune. Daqui já consigo ver a torre da igreja a direita e a esquerda vejo o hospital. Quanto mais próximo, mais a ansiedade aumenta. Afinal são 6 meses e 11 dias desde que desembarquei em Milano no dia 13 de junho num calor insuportável…

Depois de várias barreiras, diversos obstáculos, perseguições pessoais (sim, elas existiram) e outras dificuldades passadas tudo parece um sonho. Quantas noites sem dormir, quantas làgrimas caidas por causa da saudade dos meus amores. E agora eu, a dois quarteirões do fim da Minha Saga.

Minhas mãos estão congelando. Cavolo, porque não trouxe as luvas? Passo pela posta e já vejo o prédio do comune. Meu coração parece que vai parar. O que vou falar? Começo a treinar meu diálogo com o oficial: – Ciao amigão, tudo bem? Você já transcreveu meus documentos?

Não, pensei. Muito direto. O cara pode me mandar “a quel paese”. Melhor falar diferente: – Ciao oficial, bom dia! Olha só, você podia me dar uma cópia do meu certificado de matrimonio pra que eu possa enviar pra minha esposa no Brasil? Hummm, também não vai colar.

Ahhhh, quer saber? Vou entregar pra Dio, quando eu chegar lá eu abro a boca e vamos ver o que acontece…

Nossa, sem perceber já cheguei. To parado que nem um besta na frente do comune. Faço o sinal da cruz e peço pra Deus que me acompanhe. Abro a porta e engulo meu coração que nessa hora parece querer saltar pela boca.

O setor de Stato Civile fica no fundo do corredor, ultima porta. Enquanto atravesso este corredor assisto o filme da Minha Saga. Diversos momentos vem à minha cabeça. Alguns tristes, mas a maioria felizes.

Me recordo dos amigos que fiz aqui, dos amigos que deixei no Brasil e os milhares de amigos que fiz “virtualmente” através do blog e das comunidades. A cada passo, me lembro das palavras de carinho e de apoio dos amigos.

Quando entro pela porta do stato civile, parece que cresci pelo menos uns vinte centímetros. Irradio energia positiva!

Mal entro na porta, o oficial me vê e já foi logo me cumprimenta: – Ciao Fabio, que bom que você veio, estava pra te ligar. Seus documentos estão todos transcritos, porem só tenho uma duvida aqui no nome da sua esposa. Confirma pra mim: è Ednea mesmo, né?

Eu devo ter balbuciado alguma coisa que não consigo me lembrar, só lembro dele agradecendo, digitando alguma coisa no computador e depois falando:

– Muito bem, agora o matrimonio também esta transcrito, deixe-me ver se não esqueci nada: comunicação a Questura, ao Ministero e a Roma já tinha feito, nascita e matrimonio ok, allora, não falta mais nada…

Eu ainda estava em estado de choque, que ele deve ter percebido. Virou pra mim e disse: Escuta, você pretende trazer sua mulher e suas filhas quando?

Eu disse que daqui a uns 6 meses, pois precisava trabalhar bastante ainda, construir meu credito aqui, comprar uma casa, ter uma estabilidade financeira e só depois trazê-las.

Ele disse então que me daria o meu estratto de nascita e o certificato de matrimonio, e me lembrou que eu deveria já fazer meu passaporte, pois quando eu pensar em trazê-las seria bom eu ir pro Brasil buscá-las, assim elas não teriam problemas na imigração.

E que depois eu trouxesse também a certidão de nascimento das minhas filhas traduzidos e legalizados pra que ele transcrevesse também, assim elas também não teriam que se preocupar no futuro em vir pra Italia e fazer todo o processo novamente.

Dai o mais engraçado: Eu viro pra ele, ainda meio zonzo e pergunto:

– O tio, eu já posso fazer minha CI italiana lá com a anagrafe?

Ele: – Ué, pode não: deve! Você tem que solicitar a CI com cittadinanza italiana, e não esquece de já pedir o passaporte…

Eu agradeci, disse que traria um presente pra ele de Natal, ele quase me bateu, dizendo que não precisava, que não tinha feito mais do que o próprio trabalho e que sentia-se feliz de poder contribuir pra que eu estivesse logo novamente com minha família…

Depois dos afagos e de quase eu dar um beijo na boca dele, sai da sala e fui – tremendo dos pés a cabeça, obviamente – fazer minha CI com a anagrafe. Pedi a ela se eu poderia fazer a CI, ela disse que sim, servia 3 fotos, a CI antiga e o pagamento de € 5,42.

Como eu não tinha mais fotos, pois tinha usado as outras que havia feito, falei pra ela que iria fazer outras na maquina da estação e que voltaria em instantes…

Sai correndo e fui tirar as fotos. Nisso meus amigos estavam me esperando do lado de fora com as respectivas maquinas fotográficas.

Disse a eles pra esperarem pois tinha ainda que tirar as fotos. Saímos de la rumo a estação, eles querendo saber dos detalhes, do que tinha acontecido, como tinha sido e tal.

Fizemos as fotos e retornei ao comune. Olhei no celular: 12:12. Entreguei as fotos pra oficial e enquanto ela preenchia os papeis, perguntei se meu amigo poderia tirar uma foto minha assinando a Carta.

Ela olhou com uma cara de interrogação, mas consentiu. Então assinei a CI e os papeis, ela recortou as fotos, colou aqui, ali, acolá, grampeou as folhas, carimbou assinou e PIMBA! Me entregou a tal sonhada CI Italiana

Agradeci, desejei auguri a ela e toda a família, saímos de la e fomos correndo no supermercado, pois além dos vinhos que já tínhamos em casa, eu precisava comprar duas garrafas especiais. Rodei e encontrei o que eu queria: uma garrafa de vinho produzido no Veneto, em homenagem a cidade da minha família, Lozzo Atestino em Padova e outra garrafa de vinho produzido na Toscana, em homenagem ao lugar que me ofereceu a possibilidade de conseguir meu reconhecimento…

Chegamos em casa as 13:20 e já abrimos o vinho Toscano pra comemorar!!!!

lozzo atestino
Igreja em Lozzo Atestino onde meu antenato foi batizado

 

AGRADECIMENTOS

E claro que preciso claro agradecer as pessoas que foram determinantes na conclusão da Minha Saga – Parte II:

Meus queridos moderadores da comunidade que eu tinha o orkut:
  • Miga Martha
  • Nonna Maria
  • Alexandre
  • André

Minha família no Brasil:

  • Isabella
  • Brunna
  • Janete (sem ela eu sequer existiria)
  • Flavia Barbiero, minha sorella
  • Ednea, minha ex-esposa (que muito me ajudou também)
  • Junior Barbiero, meu fratello
  • Maria Soana, minha nonna
  • Briane Barbiero, meu nonno

Meus leitores, amigos e muitos clientes do blog

Não me atreverei a listá-los, pois com certeza serei injusto e esquecerei de alguém.

Amigos a quem recorri em momentos de desespero

Pepe e Lia – Minha família aqui na Italia!!! Me hospedaram por 10 dias em sua casa quando as coisas realmente ficaram pretas e foram fundamentais pra tudo isso acontecer.

E depois da festa geral, estou voltando a terra a primeira coisa que pensei: – Meu Deus, minha Saga é finita!!! E agora? O que fazer? Quais minhas possibilidades?

  • a) Fechar o blog, pois chegamos ao término da Minha Saga e preciso trabalhar e estudar por aqui, agora que sou cidadão italiano de fato!
  • b) Manter o blog, mas fechado para novos posts, para que seja usado como uma bíblia sobre cidadania italiana;
  • c) Manter o blog, mas também continuar narrando minhas experiências do dia-a-dia e quem sabe ajudando os amigos nas “Suas Sagas”.

Enfim, tenho pensado muito na vida e amanha a noite, assim que o relógio bater 00:01, inicia-se um novo ano, com novas expectativas, novas possibilidades e novos desafios…

Que venha um novo ano, cheio de realizações para todos nós!

Ps. Quem diria que esta história um dia viraria um livro – clique aqui para saber mais sobre os detalhes desta Saga 🙂

  • Willian Martinelli

    Olá Fabio,
    eu estou coletando os documentos para solicitar a cidadania por via materna.
    Alguns parentes já fizeram o processo de cidadania deles e o nosso ancestral é comum.
    Eu consigo explorar eles já terem feito o processo de alguma maneira positiva? (por exemplo, eu sei a pasta do consulado onde esses documentos estão. Isso é útil?)

    Obrigado por todo o material e conhecimento que você posta por esse assunto.

    Abraço, Willian

  • Michael

    Olá Fábio tudo bem?
    Muitíssimo legal essa história e todo esse conteúdo gerado para orientar as pessoas que assim como eu estão iniciando esse processo, fica aqui já meu grande agradecimento.
    No entanto estou com algumas dúvidas que ainda não consegui respostas, meu caso funciona assim, estou estudando na Irlanda portanto residindo aqui, enquanto isso familiares estão no Brasil resgatando os documentos atualizados (já tenho conhecimento de toda minha árvore, origem dos documentos e até já solicitei a certidão do meu anteneto na Itália) para em seguida me enviarem e eu dar entrada direto na Itália, no entanto eis minhas duvidas, como os documentos são de origem dos estados do Paraná, e de Sao Pauli, é necessário ir pessoalmente ao consulado para legalizar os documentos, tem como minha mãe que é a pessoa que me passa o direito à cidadania ir ao consulado para legalização da documentação? A mesma possui uma autorização que pode responder por mim no Brasil, e no consulado geral, ela poderia ir por mim também? Ou em último caso, há alguma alternativa para esse processo ou terei que realizar algum outro procedimento extraordinário?
    Muitíssimo obrigado por toda a ajuda de ante mão,
    Para o que precisar, estou à disposição, atenciosamente, Michael.

  • Ingrid

    Olá Fábio,
    Linda a sua história, fiquei imaginando como vai ser quando eu estiver passando por isso.
    Estou com uma dúvida, os meus pais não foram casados e a minha ascendência italiana vem da parte do meu pai, ele que me registrou…
    Atualmente não tenho muito contato com a família paterna , mas descobri recentemente que os meus trisavos eram italianos, e o único documento que eu sei onde está e mesmo assim não possuo está com a filha do irmão do meu avô paterno, que é a certidao de obito do meu bisavo, e conversando com ela fui informada que existe uma carteira de imigrante do meu ascendente (trisavo) que está com o outro irmão do meu avo que tambem falecido, então ficou com a viúva dele.
    Eu tenho direito de entrar em contato com ela e pedir essa tal carteira? Outra dúvida, eu posso pedir a cidadania italiana diretamente ou vou ter que entrar em contato com o meu pai pra ele pedir a dele primeiro? Sou casada há cinco anos, o meu marido terá direito a naturalização?
    Desde ja agradeço muito.

    • Fabio Barbiero

      Olá Ingrid tudo bem?

      Muito obrigado, a ideia era exatamente essa: fazer vocês imaginarem a sensação. Se eu consegui transmitir isso a você, já ganhei o dia 🙂

      Sobre os documentos, não é necessário do seu pai não, basta a certidão de nascimento dele apenas rs Baixe o manual Sagabook etapa Brasil na página de materiais educativos e lá você vai entender como tudo funciona, ok? Grande abraço!

      • Ingrid

        Muito obrigada por responder, já estou baixando tudo. RS
        Abraço! ?

  • Olá Fábio, estou tentando minha cidadania, mas o consulado no rj está com agenda fechado e lotado até julho de 2017. Vi em um material que voce postou que o consulado italiano da frança é tudo online. Sabe me informar se posso requerer em um consulado de outro estado ou em outro país? o que me aconselharia.
    Grande abraço e parabéns pelo site. Muitas informações de relevância.

    • Fabio Barbiero

      Olá Paulo infelizmente isso não é possível. Você só pode usufruir dos serviços consulares do local onde é residente. Abraços

  • Andre

    Ola Fabio,
    primeiramente parabens pelo blog. Sempre acompanho e acho suas informacoes muito uteis.
    Tentei buscar algumas informacoes a respeito no site e acabei nao conseguindo, entao deixarei minha duvida aqui e espero que voce possa ajudar a clarea-la.
    Tenho visto que a maioria dos casos de cidadania aqui no site sao ou de brasileiros que tiraram nos consulados do Brasil ou os que viajam para Italia para fazer o reconhecimento. O meu caso é um caso pouco mencionado aqui: de brasileiros vivendo em outro pais que nao o Brasil ou Italia, tentando retirar a cidadania pela Embaixada/Consulado Italiano desse país em que estao vivendo.
    No meu caso resido e trabalho na Noruega, tenho visto de trabalho e estou com minha situacao legal no país, porem ser cidadao europeu me daria mais flexibilidade.
    Ao conhecer o embaixador Italiano em um evento, conversamos sobre a possibilidade de fazer a retirada pela Embaixada daqui e ele me confirmou que era possivel.
    Fiz toda a preparacao dos documentos no Brasil, com traducao juramentada, carimbo do MRE e legalizacao em Consulado italiano no Brasil. Busquei os documentos do meu bisavô no comune em que ele nasceu na Italia e apresentei toda a documentacao junto a formularios preenchidos e pagamento da taxa no setor consular da embaixada Italiana na Noruega.
    Eu imagina que nesse momento da entrada a propria Embaixada pudesse analisar e avaliar a documentacao assim como os Consulados no Brasil fazem, porem eles me informaram que os documentos seriam enviados ao Ministero dell’interno em Roma e que cabera ao Ministro avaliar e reconhecer a cidadania. Fui informado que esse processo de avaliacao feito pelo Ministro podia levar de um a dois anos ate que fosse me dada uma resposta sobre o reconhecimento ou nao da cidadania.
    Lendo as leis que regem a Cidadania Italiana por Juris Sanguinis ( n.91 de 1992 e a circular K28 1 de abril de 1998) percebi que elas sao claras em afirmar que o Sindaco no Comune Italiano ou o Consul em qualquer setor consular onde o requerente resida tem autoridade e competencia para avaliar a documentacao e reconhecer a cidadania.
    Sendo assim, me causou estranheza na forma como me disseram que tratariam meu caso e acredito que pelo fato de aqui nao haver pedidos de cidadania por juris sangunis, estao tratando o meu caso como o caso de cidadania por naturalizacao, que é o caso que ocorre com esposas de cidadaos italianos que requerem a naturalizacao.
    Alem disso, segundo a legislacao que mencionei, faz todo sentido como os Consulados Italianos no Brasil tratam o processo ou os Comunes na Italia.
    Voce conhece algum caso parecido? Sabe se o meu processo deveria ser realmente enviado a Roma para o Ministero dell’Interno para ser avaliado e processado? Sabe em qual lei, decreto ou circular eles estao se baseando para tratar o porcesso dessa maneira? Nao acha que o reconhecimento da cidadania deveria apenas ser tratado no ambito da Embaixada/consulado e Comune Italiano?
    Obrigado

    • Fabio Barbiero

      Olá Andre tudo bem?

      Infelizmente é muito comum encontrar casos como o seu, onde a realização do processo de reconhecimento em um consulado italiano fora do Brasil apresente problemas. Um caso clássico é no Canadá e Japão, onde nestes países eles pedem documentos que sequer existem para a prática. Além disso, tem o problema non rinuncia, pois existe um grande problema de comunicação entre os consulados. Já acompanhei casos onde o processo demorou cerca de 2 anos, porque um consulado não conversava com o outro, como os comunes fazem normalmente.

      Você deve insistir com o setor de cidadania, explicando a eles que o processo não deve ser encaminhado à Roma de forma alguma, porém é difícil que um funcionário consular tenha a humildade de entender que está errado, porém esta é a sua única alternativa: convencê-lo, se possível utilizando a K28, que ele tem total autonomia para realizar o processo diretamente no consulado, exatamente como fazem no Brasil, ok? Abraços

  • Pedro

    Enquanto eu lia esse texto maravilhoso, percebi um aperto no coração. Uma verdadeira angústia por pensar que alguma coisa daria errado. Sendo muito honesto, senti os olhos ficarem encharcados. Pensei em fazer um contato para te dizer isso, mas continuando a ler até o final da página, notei que não fui o único que ficou emocionado. PARABÉNS. Quero que saiba que estou lendo seu post porque (como voce…) também estou providenciando os papeis para tentar a conquistar a minha cidadania e deixa-la de presente para meus 4 filhos. Tenho dito por aqui que ao invés de procurar uma agulha no palheiro (certidões), melhor e tirar toda a palha que no final sobra a agulha…Mas vejo que estou enganado…pela sua experiencia vejo que tem muita palha pra tirar…Abraços.

    • Caramba Pedro, muito obrigado pelo seu comentário, quem ficou emocionado agora fui eu 🙂

      • Pedro

        Fabio, Eu estou no começo do meu processo e acredito que pela sua experiencia, voce sabe o quanto ainda tenho que caminhar até o final desse processo. Acredito que vou precisar de sua ajuda (lí que voce faz consultoria sobre o assunto). Veja só. Sou Bisneto de Italiano. Tenho uma cópia digitalizada da certidão de nascimento dele. No cartório onde meus pais foram registrados, já encontrei a certidão de casamento e óbito do meu bisavô, nascimento, casamento e óbito do meu avô e certidão de nascimento do meu pai. Meu pai não foi casado e já faleceu. Ainda não tenho a certidão de óbito do meu pai mas estou providenciando. Quando eu estiver com essas certidões em mãos, vou fazer novo contato com voce OK ? abraços.

    • Caramba Pedro, muito obrigado pelo seu comentário, quem ficou emocionado agora fui eu 🙂

      • Pedro

        Fabio, Eu estou no começo do meu processo e acredito que pela sua experiencia, voce sabe o quanto ainda tenho que caminhar até o final desse processo. Acredito que vou precisar de sua ajuda (lí que voce faz consultoria sobre o assunto). Veja só. Sou Bisneto de Italiano. Tenho uma cópia digitalizada da certidão de nascimento dele. No cartório onde meus pais foram registrados, já encontrei a certidão de casamento e óbito do meu bisavô, nascimento, casamento e óbito do meu avô e certidão de nascimento do meu pai. Meu pai não foi casado e já faleceu. Ainda não tenho a certidão de óbito do meu pai mas estou providenciando. Quando eu estiver com essas certidões em mãos, vou fazer novo contato com voce OK ? abraços.

  • Miro

    Confesso que fiquei emocionado, talvez pela identificação que me permite imaginar a grande emoção que sentiu neste momento. Estou iniciando a minha saga este ano do zero e espero conseguir assim como você conseguiu. Parabéns! Acabei de baixar o Sagabook e agradeço, o lerei com atenção.

  • Ju

    Uau que emocionante!
    Como chorona que sou, as lágrimas caíram antes mesmo do início da leitura.
    Que descrição maravilhosa, seu relato é extremamente emocionante.
    Que Deus os abençoe e vcs tenham muito mais sucesso na Itália.

  • NAO CONSIGO VER SO COMENTARIOS DO ANO VIGENTE.

  • que linda HHHHHhistoria!!!! FABIO!!
    PARABENS!!!
    sua seguidora josi.

  • Ola Adriano tudo jòia??

    Se a unica mulher na sua linha de transmissao é sua nonna, e seu pai nasceu apòs 1948 voce tem direito à cidadania normalmente, fique tranquilo!!!

    E sò pra corrigir um erro muito comum: nao é sua “descendencia italiana”: é sua “ascendencia italiana”, ok? 🙂

    E mesmo que voce tenha perdido ao longo do tempo o sobrenome italiano isso nao é um problema, ok?

    Abraços

  • Olá Fábio, meu nome é Adriano Elias da Rosa, filho de Albertina Pavanati Elias, neto de Oliva Pavanati Elias descendente de Italianos, minha avó Oliva foi casada com meu avô materno Manoel Saturno Elias, ele é brasileiro sem descendencia italiana. Minha avó materna Oliva, é filha de Giuseppe Pavanati e Pedra Ambrosini que são meus bisavós, eles nasceram no Brasil, mas seus pais nasceram na Itália, sendo o nome deles Pasquale Pavanati, Angelina Cattin, Antonio Ambrosini e Lucrezia Milesi, esses são meus tataravós, ou seja eu sou trineto de Italiano por lado materno, ou seja minha descendencia italiana procede somente somente pela parte da minha avó materna, os outros avós são totalmente brasileiros. Lembrando que minha mãe que é bisneta de italiano por lado materno nasceu em 1955, então eu queria saber se tenho direito a cidadania, e se sou considerado descendente de italianos e se tenho sangue de italiano? mesmo eu não carregando o sobrenome italiano Pavanati?
    obrigado

  • Ola Alexandre, leio sim todos os comentàrios de vcs rsrsrsrsMuito obrigado pelas palavras, e sempre que precisar saiba que tem um doido aqui na Italia que vc pode contar, ok?????? kkkkkAbraços e sucesso sempre!!!Fabio

  • Alexandre

    Olá Fábio, não sei se vai ler isso afinal já faz um tempo que postou aqui. Tive a oportunidade de ler sua história hj e queria dizer que foi muito bonita e vc serve de incentivo para que as pessoas nunca desitam de seus sonhos!! vc é mesmo um guerreiro e pode vencer qualquer obstáculo. Eu inicio minha saga agora em busca do reconhecimento de minha cidadania italiana ,estou cientedas dificuldades mas me espelho em seu exemplo , muito obrigado !!um forte abraço e auguri!!!!

  • FabioEu acho que vc deveria escrever um livro…sua descrição da ida até a Comune foi muito legal,dava pra se sentir lá!Acredito que ninguem ainda teve a inciativa de contar como é o caminho inverso,o regresso a Italia.Existem filmes, novelas tudo falando da chegada dos Italianos ao Brasil mas nada contando sobre os que tentam a cidadania.Mais uma ves Parabens pela iniciativa do blog e pela tão sonhada cidadania!!

  • AmigosMuito obrigado pelas palavras de todos!!!

  • Fábio, Parabéns e continue postando para mostrar sua experiência de vida aí na Itália.Elvira

  • Antonio Guarnieri

    Parabéns Fábio!Primeiramene pela coragem, não deve ser nem um pouco fácil ficar longe da família para buscar um sonho e, pela iniciativa de, compartilhar com outras pessoas com os mesmos objetivos todo sua jornada, seus estudos, suas experiências, enfim, sua organização neste processo. Tudo de bom pra ti e que possas ter o quanto antes tua família aí contigo.

  • wagner

    oi Fabio…naum a palavras pra descrever o quanto bem vc tem feito postando suas aventuras em busca do reconhecimento da sua cidadania.Confesso que acompanho sua saga a pouco tempo mas da maneira que vc relata naum foi dificil mergulhar nesse seu mundo.PARABENS PELO SUA VITORIA!!!Que nesse ano de 2008 Deus esteja sempre contigo e toda sua familia. Que felicidades como esta esteja espalhadas pelo seu caminho.Vc merece PARABENS!!!Votos de um dos milhares de brasileiros que tambem busca o" passaporte vermelho". wagner,Irlanda.

  • Fabiooooooooooo… Só posso dizer que vc vai fazer parte da "saga" de cada um de nós que compartilhamos das suas informações, pra sempre, pois o seu desprendimento em ajudar é impar… obrigada por tudo e q Deus derrame as mais ricas bençãos sobre a sua vida e de sua família…. bjkassssssssssssss

  • Lui

    Parabéns Amigão!!! fiquei muito feliz em saber que tudo deu certo!!! você merece toda felicidade,pois que seria de nós que estamos buscando nosso reconhecimento ai na Italia,sem tuas ricas informações aqui no Blog,comunidade no orkut,e sua ajuda…. VoCê faz parte da historias de muitos italos-brasileiros. Abraçooooooo,Lui

  • Marcos Morrone

    Apesar, de ter te conhecido apenas em Outubro de 2007, sempre torci para você alcançar o seu sucesso, isso é que falta na pessoas hoje em dia, "Vontade de Lutar e Vencer", pois muita pessoas ao menor sinal de dificuldades, ja desiste dos seus sonhos, tornando assim pessoas frustadas, Você Fábio pelo contrário sempre enfretou de frente todas as dificuldades. Eu considero você como um VENCEDOR, em todos os aspectos pois além deu sua própria SAGA, ainda teve tempo para compartilhar seus conhecimentos com outros que lutam por suas SAGAS. Um Grande Abraços, um Ótimo 2008.

  • Fala Fábio! Meus parabéns pela cidadania reconhecida. Estava lendo o seu relato e meu coração bateu forte outra vez lembrando da emoção de ser finalmente reconhecido cidadão Italiano. Com certeza essa é uma emoção sem preço! Toda vez que lembro ainda dá aquele nó na garganta!!! rsrsrsMuito legal seu relato, emocionou a todos!!! Vc merecia e muito essa conquista! Muitas outras virão, com certeza!Sorte hoje e sempre para vc.Grande abraço!

  • FábioNão imagina como fiquei emocionada lendo tudo.Chorando mesmo e imaginando seus dias até conseguir chegar ao final feliz.Agradeço muito ter colocado meu nome(chique no úrtimo!)entre essas pessoas maravilhosas que conheci aqui.Gostaria de escrever melhor para expressar tudo para você.Resumindo quero desejar FELICIDADES!FELICIDADES!FELICIDADES!2008 será maravilhoso para você e sua família,com as graças de DEUS!Obrigada por ter me ensinado muito.BeijosssssssssssssssNonna Maria

  • Bravissimo!!Fábio, com toda a garra que você teve para lutar e alcançar o seu reconhecimento… agora mostra pra eles que nós, italiani nato a esteri, somos fortes e fazemos a diferença na Itália!Abraço!!

  • Ter meu nome mencionado na sua dedicatória, para mim valeu como uma medalha de ouro.Desejo que o sucesso que vc fez continue te acompanhando e vc não deixe de ser o Fabio- o Saga!!

  • Que legal o seu post! Adorei e parecia que estava com vc, no caminho do Comune. Até minhas mãos ficaram geladas! Parabéns, parabéns, parabéns! Não cansarei de lhe parabenizar! Que Deus esteja sempre contigo e q. faca bom uso deste seu reconhecimento, melhorando a imagem dos italo-brasilianos!Muito obrigada por se lembrar de mim!!! Valeu, fiquei muito feliz, de verdade…Agora mais expectativa. Misteriooooo…Gde bjo.

  • Xiiiiiiiiiii!Acho que vou ter que ler tudo de novo, pra variar os olhos marejados…Migo, obrigada pela oportunidade de ter feito parte da sua Saga.Deus te abençoe!Beijos da nonnamiga Martha

  • ana luísa

    oi fábio……lendo td, fiquei emocionada e imaginando a alegria q deve ter sido…parabéns mais uma vez, que 2008 seja mais cheio de boas surpresas pra vc e tua família…..e estou muito feliz tbm pela minha mocinha……já chorei um monnnnnteeeeee……que Deus esteja sempre com vcs, iluminando-os…..bjinhos…….um super feliz 2008ana luísa