Brasileiros na Italia – Mirtes de Sousa (Toscana)

Hoje eu quero falar de uma pessoa muito mais do que especial – eu quero apresentar a vocês uma verdadeira guerreira que mesmo enfrentando muitos obstáculos, venceu e é um exemplo a todo brasileiro que pensa em emigrar ao exterior!

Com o imenso prazer, apresento a vocês a senhorita Mirtes de Sousa:

Cantora carioca das boas, Mirtes chegou aqui na Italia há quase 20 anos para estudar na universidade, se apaixonou pela Italia e hoje é não apenas uma empresária de sucesso – tocando em frente a sua clínica de estética – mas também é altamente requisitada para cantar em bares e eventos. Confiram que voz deliciosa tem a Mirtes:

[soundcloud url=”http://api.soundcloud.com/tracks/98811834″ iframe=”true” /]

[soundcloud url=”http://api.soundcloud.com/tracks/98811899″ iframe=”true” /]

[soundcloud url=”http://api.soundcloud.com/tracks/98811917″ iframe=”true” /]

Leiam alguns trechos da nossa entrevista:

Mirtes, quando você começou a cantar?

Desde pequena, meu pai sempre foi apaixonado por samba, bolero, jazz e ali nasceu a minha paixão pela música.

Quando você começou a cantar profissionalmente?

Eu comecei a cantar profissionalmente aqui na Toscana, em bares e pubs. E engraçado é que as pessoas me ouviam cantar e ficaram enlouquecidas, pois o italiano gosta muito de música brasileira de qualidade – então de repente eu me dei conta que estava lotando bares em dias normalmente fracos, como terças e quartas, por exemplo.

Você canta qualquer tipo de música brasileira?

Não, eu canto basicamente bossa nova e adoro! Pois é um tipo de música que além de ser excelente, com uma elegência ímpar, representa vários momentos da nossa história, com textos lindíssimos.

A bossa nova é um gênero musical atual?

Claro, pois a bossa nova fala de amor! Se você ouvir Dorival Caymmi hoje, por exemplo, com certeza vai se emocionar e perceberá que as suas letras são mais do que atuais.

E como você veio parar na Italia?

Na época, eu estava buscando bolsas de estudo no exterior e a Italia era a primeira opção.

Como foram os primeiros anos aqui?

Foram muito difíceis, não há como negar. Além da saudade do meu Rio de Janeiro, a falta do cenário musical – mesmo não cantando profissionalmente no Brasil, eu sempre estive envolvida neste meio, tenho vários familiares que são músicos, estudava música e então isso me fez muita falta.

Além disso, eu vim para estudar, fiz letras e isso me ajudou bastante a entender como o mundo funcionava, antes de vir pra cá eu tinha uma visão diferente da Italia, dos italianos e chegando aqui tive que me adaptar a realidade local – e veja que estou falando de vinte anos atrás.

(((neste momento, divagamos um pouco, acho que foi culpa do vinho chianti que estávamos tomando…)))

Você está aqui há quase 30 anos, tem sua própria empresa, portanto eu te considero uma pessoa de sucesso! Então eu te pergunto: qual é a formula do seu sucesso?

Sinceramente eu não sei responder, quer dizer não sei se existe uma fórmula, pois as coisas foram acontecendo de forma muito experimental, muito empírica. Sei que fui muito ousada, até porque eu adorei este país e quando gostamos de algo, as coisas se tornam muito mais fáceis. Muitas pessoas diante de uma situação difícil se lamentam, porém eu penso que a vida nos dá tantas oportunidades novas que não devemos nos lamentar, pelo contrário, temos que aproveitar e tirar proveito da melhor forma possível.

Você tem uma clínica de estética, como surgiu essa idéia?

Quando eu estudava, minha bolsa não permitia que eu trabalhasse e ganhasse dinheiro suficiente, então eu tive que me adaptar – escolhi um curso de estética, aprendi a gostar disso e hoje eu amo o meu trabalho!!!

O que a Italia tem de melhor e pior?

A cultura italiana é fortíssima, é um pais autêntico, singular! Imagine que nós brasileiros temos várias culturas, o italiano não – só que ao mesmo tempo que isso é positivo, também os leva a serem muitas vezes arrogantes, fechados para novas culturas – eles tentam mas não conseguem entender que a beleza do mundo é exatamente essa mistura.

Você acha que sair do Brasil hoje e vir pra Italia, vale a pena?

Parafraseando Fernando Pessoa: “tudo vale a pena se a alma não é pequena” – claro que isso é muito pessoal, porém eu acredito que independente da classe social ou das condições financeiras emigrar é muito bom, pois a experiência que adquirimos com isso é extraordinária.

E em relação a Italia especificamente, você orientaria um brasileiro a vir pra cá hoje?

Com certeza, as oportunidades culturais que este pais oferece são enormes, eu diria que em comparação com o Brasil são colossais. Claro que o nosso pais é maravilhoso, nosso povo é fantástico, porém devemos melhorar na parte social, o brasileiro deve reclamar mais pelos seus direitos (fizemos esta entrevista há um mês, vejam quão profética foi a Mirtes naquele momento…).

Muitíssimo obrigado a nossa querida Mirtes pelo papo, parabéns pelo sucesso, pela carreira e principalmente pela lição que você nos deu, não apenas de humildade, mas também de determinação – coisas que são fundamentais pra quem pensa em emigrar e procurar uma vida melhor!

shadow-ornament

E você? Vive aqui na Italia e quer compartilhar a sua história conosco? É só clicar aqui.

É Você também é italiano, vive no exterior e quer compartilhar conosco a sua história? É só clicar aqui.

 

  • Ana Paula Scallone

    Muito otimista “Tudo vale a pena se a alma não é pequena” Adorei a entrevista. Amo bossa Nova.

  • Alessandra Ferraz

    Parabéns Fábio, entrevista muito bacana! Somos apaixonados pela Bossa Nova, e belissímavoz de Mirtes… O pedacinho do Brasil na Toscana!!!