Aniversário de 37 anos – Ilha de Malta

Ciao a tutti!

Caramba, fazia tempo que eu não escrevia aqui na sessão Diário de Viagem, a última vez foi em 2012 quando eu contei a vocês sobre a minha participação no grande projeto Dicas do Mundo, onde eu sou responsável pela Toscana. Antes disso eu tinha escrito em 2011 sobre a minha ida a Paris para comemorar os meus 35 anos – e agora eu volto aqui para contar a vocês sobre tudo que aconteceu nos 4 dias que passamos em Malta para comemorar meu aniversário de 37 anos (os 40 estão chegando, socorro!).

O PLANEJAMENTO DA VIAGEM

Viajar aqui na Europa é muito barato, existem companhias como Ryanair, Easyjet, Flyairone, Wizzair entre tantas outras que são conhecidas como companhias low cost – (baixo custo) e que nos permitem viajar e conhecer lugares fantásticos por um punhado de euros apenas.

Por causa desta facilidade e dos preços baixos, eu a Lu criamos um projeto especial: todos os anos – trabalho permitindo, claro – no dia dos nossos aniversários (eu 16 de julho e a Lu 22 de fevereiro) queremos acordar em uma capital ou cidade diferente da Europa!!!

Começamos em 2010: no aniversário da Lu estávamos na Ilha de Elba e no meu em Londres.

Em 2011 não viajamos no niver da Lu (trabalho não deixou) e para Paris no meu.

Em 2012 estávamos em Bruges em fevereiro e em julho em Cinque Terre (tivemos assinatura no dia do meu aniversário e não deu pra viajar para longe)

Em fevereiro deste ano de 2013 fomos para Barcelona comemorar o aniversário da Lu e neste mês fomos para a ilha de Malta comemorar mais um ano de cabelos brancos rsrsrs

A VIAGEM

Nossa viagem era de apenas 4 dias – partimos no dia 13/07 (sábado) a noite e retornamos no dia 17/07 (quarta-feira) também a noite. Desembarcamos em Malta pouco antes das 22:00 horas no sábado e chegamos no nosso hotel – que ficava na cidade de Sliema, distante apenas 10 quilômetros do aeroporto pouco depois das 23:00. Coincidentemente nosso hotel ficava exatamente no meio de dois fast-foods: Mc Donald's de um lado e Burger King do outro, então foi fácil comer algo na nossa chegada rsrs

Como a viagem era extremamente curta, não pensamos duas vezes e mais uma vez optamos pela solução do Bus Turistico Sightseeing, exatamente o mesmo que já haviamos utilizado em Paris, por exemplo.

Embora Malta seja um pais relativamente pequeno (tem pouco mais de 300 km2) se não tivéssemos optado pelo bus turistico com certeza não teríamos visto nem metade da ilha no pouco tempo que tínhamos a disposição.

A ILHA DE MALTA E MINHAS EXPECTATIVAS ANTES DA VIAGEM

Geograficamente, a ilha de Malta é composta por várias ilhas, porém só duas delas habitadas: a ilha principal que se chama Malta e outra ilha menor que se chama Gozo. Entre elas existe outra ilha menor chamada Comino, mas como o número oficial de habitantes é 8 pobres almas, não vale dizer que ela também é habitada rsrsrs.

Não vou entrar em detalhes sobre a história da ilha, pois basta colocar no Google e vocês vão descobrir por si mesmos, meu objetivo é contar a vocês quais foram as minhas impressões em relação a ela!

Antes de viajar, eu tinha lido que por ser em uma região estratégica, Malta foi invadida por praticamente todo tipo de gente: fenícios, gregos, cartagineses, árabes, romanos, cavaleiros de Malta (ah vá!) e em tempos recentes também passaram por lá os franceses, ingleses e italianos.

Também tinha lido que muita gente vai pra lá estudar inglês, pois embora a língua oficial seja o maltês (derivado do árabe e siciliano), o inglês é considerada também a língua oficial do pais.

Outra coisa que já cheguei lá sabendo é que o sistema de direção é aquele inglês, portanto o povo dirige do lado esquerdo, da mesma forma que na Inglaterra.

Bom povo, depois de ver que o povo falava inglês, que dirigiam igual na Inglaterra o que eu havia imaginado??? Que a ilha seria uma espécie de Inglaterra, porém com sol, praia e gente bronzeada, então aí que eu percebi que existiam verdades e mentiras sobre a ilha, então segue abaixo aquilo que nós vivenciamos e que acredito servirá pra muita gente que pensa em ir pra lá passear ou até mesmo morar por algum tempo:


VERDADES E MENTIRAS SOBRE MALTA

1 – Por ter sido colônia britânica, Malta é parecida com a Inglaterra.

MENTIRAAAA – Malta passou apenas 150 anos sob domínio inglês e sinceramente parece que a única coisa que deixaram foi o sistema de dirigir do lado esquerdo – de resto não se parece nem de longe com Londres. Aliás eu percebi que Malta não se parece com lugar nenhum, mas ao mesmo tempo se parece com vários lugares (nossa, que profundo e filosófico esta frase rs) – explico:

Em muitos lugares eu me senti literalmente no Brasil: gente gritando pelas ruas, fiação elétrica atravessando as ruas (aqui na Italia e em Londres isso praticamente não existe, a fiação é subterrânea) e pior: os motoristas dos ônibus e taxis digirem pior do que os motoristas no Rio de Janeiro!!!

Em outros lugares me senti em casa, aqui na Italia. Muita gente fala italiano, muitos locais são de italianos e até um amigo italiano por lá nós fizemos, vejam que beleza a nossa foto com Orazio, nosso amigo siciliano que tem um irmão que trabalha com turismo e que em breve vou fazer propaganda pra ele 😉

 

2 – As praias e o mar é de tirar o fôlego.

VERDADE – Em qualquer lugar da ilha você encontra um mar limpo, transparente e de babar! E como se não bastasse, existem alguns lugares ainda mais especiais, como por exemplo a Blue Grotto que gostamos tanto que tivemos que voltar no último dia. Em Gozo tem também a Azure Window que também é de ficar embasbacado, no final deste artigo vou colocar o link para o meu álbum de fotos no Flickr, onde vocês poderão ver as quase mil fotos que fizemos na viagem.

3 – É um ótimo destino para fazer um curso de inglês.

MAIS OU MENOS – Bom, eu não falo inglês tanto quanto a Luciana, mas uma coisa é certa: o maltês fala inglês exatamente como os indianos falam inglês em Londres, ou seja muito ruim kkkkkk!!!

Em todos os lugares que conversamos com o pessoal que falava MUITO bem inglês, eles não eram nativos da ilha. E a língua oficial é o maltês, que é algo completamente incompreensível! Quem já foi ao paraguai sabe o que eu quero dizer: todo mundo lá fala espanhol, mas como a língua oficial é o guarani – você fica 80% do tempo sem entender bulufas…

Eu tinha dito a Lu que dependendo do resultado da nossa viagem eu iria passar 30 dias por lá estudando inglês, e confesso que mudei completamente de idéia – quando eu fizer isso, não vai ser nem em Malta, nem em Londres – escolherei uma cidade qualquer no interior da Inglaterra, de preferência onde a maioria dos habitantes sejam nativos 😉

4 – O país ferve de gente, principalmente a noite.

VERDADE – Não importa o dia da semana ou o lugar, as ruas estão sempre lotadas de turistas de todos os lugares do mundo! Pra quem gosta de balada, música, bebida e diversão, realmente é um lugar imperdível, com muita gente jovem e bonita!

5 – O custo de vida é baixo

VERDADE – Ok, passar quatro dias em um país não faz de ninguém um especialista nos hábitos e na cultura, principalmente em relação ao custo de vida – porém pelas placas de aluguéis que vimos, e principalmente pelo baixo preço da comida e transporte dá pra perceber que o custo de vida é bastante baixo. Não tenho idéia do valor dos salários por lá, mas vimos muitos jovens (de outras nacionalidades) vendendo passeios de barco e também de ônibus turístico, então imagino que muitos estudantes aproveitam para ganhar alguns trocados, e isso por si só já ajuda bastante em relação ao custo de vida.

6 – Em Malta só se fala sobre os 'Cavaleiros de Malta'

MENTIRA – Isso foi algo muito estranho, pois quando ouvimos falar de Malta a primeira coisa que vem à mente é a frase “Cavaleiros de Malta”, então a gente vai pra lá e pensa que só vão falar disso… e ninguém fala.

Quer dizer, não é que não falam, porém a coisa já começa a ficar estranha no nome: lá eles não são os Cavaleiros de Malta, eles são conhecidos como Cavaleiros de São João (quem?) e permaneceram na ilha por quase 300 anos. Claro que tiveram muita influência por lá, como por exemplo a atual capital Valletta foi fundada por eles, já que quando chegaram na ilha a então capital Mdina ficava muito longe do mar. Mas não pensem que vão chegar lá e vão ouvir histórias intermináveis sobre as façanhas e conquistas…


COISAS IMPERDÍVEIS QUE RECOMENDO

Realmente ir a Malta é uma experiência única – um dos momentos mais especiais pra mim foi visitar o templo megalítico de Hagar Qim que estima-se foi construído entre 3200-2500 anos ANTES DE CRISTO. Ou seja, eu estive em um lugar que foi construído há quase 6000 anos atrás, mesmo antes das pirâmides do Egito (muita gente não sabe, assim como eu não sabia que os templos megalíticos mais antigos do mundo estão em Malta, que conta com nada menos que seis templos).

Outra coisa imperdível foi o passeio de barco na Blue Grotto – custa parcos 6 euros e dura cerca de 30 minutos, onde você é levado literalmente para dentro de várias grutas, como essa:

Também vale dizer que ao comprar o bilhete do ônibus turístico de Malta, ganhamos um passeio de barco Morgan Cruises que saia da cidade de Sliema e dava a volta por várias cidades (que de tão pequenas parecem bairros) como Valletta, Cospicua, Vittoriosa, Floriana, Senglea e Marsa:

Outra ótima dica pra quem gosta de cerveja é se esbaldar com a maltese Cisk, você encontra em todos os lugares e é muito boa:

Como ficamos na cidade de Sliema, podemos dizer que valeu muito a pena, pois à noite caminhávamos até a cidade de St. Julian's pela beira do mar, que é molto bella:

COISAS QUE FICARAM AQUÉM DA EXPECTATIVA

Nem tudo foi positivo na nossa viagem, existiram coisas que eu sinceramente esperava mais, como por exemplo a visita na antiga capital Mdina – em todos os guias que eu havia lido, ela é considerada uma cidade medieval, histórica e não sei bem porque eu imaginava que ela fosse de alguma forma parecida com aquelas cidades árabes que vemos nos filmes, com suas pedras ocres, etc e tal. Não é que não seja parecido, porém como eu vivo na Toscana, e estou cercado de cidades medievais por todos os lados, não foi tão diferente do que eu estou acostumado a ver – talvez um turista que nunca tenha visto uma cidade medieval como San Giminiano, Siena, Volterra, Colle Val d'Elsa e outras com certeza vai se impressionar.

Outra coisa que nos deixou um pouco abalados foi com a falta de educação dos motoristas de ônibus em Malta. Não digo do ônibus turístico, mas aqueles de linha, pois utilizamos vários deles nestes dias para ir de Sliema a Valleta, de Sliema até o porto no norte da ilha para pegar o navio para Gozo, para ir novamente a Blue Grotto e depois para ir ao aeroporto e em praticamente todos eles vimos cenas dignas de país de terceiro mundo. Numa das vezes em que estávamos voltando pra casa, o motorista irritado pela quantidade de campainhas que estavam sendo apertadas, simplesmente brecou o ônibus com toda ignorância do mundo para reclamar, machucando várias pessoas.

Num outro dia, uma senhora italiana junto com sua filha tinha entrado e não tinha como se mover, pois os ônibus geralmente estão sempre lotados. O motorista então gritava (em inglês) para ela ir mais ao fundo e ela respondia (também em inglês) que não era possível, pois estava cheio. Depois de não aguentar mais as reclamações do motorista, ela então pediu para ele parar para ela descer, dizendo que ele era completamente sem educação e que não precisava gritar com as pessoas. Dai o animal começou a gritar ainda mais alto enquanto ela descia – uma cena realmente chata de acompanhar.

Sem contas as duas vezes que a Lu pediu informação e simplesmente nem se deram o trabalho de respondê-la, ignorando completamente…

FOTOS, MUITAS FOTOS

Abaixo deixo vocês com algumas fotos que eu fiz durante essa viagem e deixo também o link do Flickr – que é o local onde eu hospedo todas as minhas fotos, quem quiser conferir o álbum de Malta é só clicar aqui.

Abaixo algumas das minhas preferidas, pra deixá-los com água na boca:

E quem puder não deixe de conhecer os encantos de Malta, com certeza vocês não vão se arrepender!!!

Abraços a todos e até o próximo post 😉

  • Ola! Conhecia o teu blog ja antes mas nao sabia que vc morasse em Livorno. Tbm moro em Livorno. Sou casada com um italiano e ano que vem ja vou poder ter a naturalizaçao. Conheço algumas meninas brasileiras que moram aqui em Livorno mas nao muitas.
    Ha mais ou menos quatro meses atras criei um blog 🙂
    O nome do meu blog é La Bella Vita.
    Vou deixar um link caso vc queira dar uma olhadinha!

    http://priscilaitaly.blogspot.it/

    Ciao!!!!

    • Olá Priscila tudo bem?

      Eu não moro em Livorno não (nem nunca morei) acho que você me confundiu com outro rosto bonito por ai rsrsrsrsrsrs

      Abraços e parabéns pelo seu blog!

      • Sabe onde eu vi dizendo q vc morava em Livorno? No site “mundo pequeno”.
        E eu podia jurar de ter lido aqui no blog a vc morava em Livorno.
        Estou ficando louca? Devo estar comendo muito macarrao! rs rs rs rs

        Obrigada. O blog esta bem começo. Mas ja tenho varias ideias…. 😀

  • rickmartins

    Conhecer Malta è um sonho que tenho desde muitoooooo adolescente! Estou na Irlanda e minha proxima viagem vai realizar esse sonho. Vou pra Italia, Grecia e Malta!

    = )