Italianos pelo mundo: Franco Terracciano (Brasil)

Ciao a tutti!

Neste artigo da sessão Italianos pelo Mundo, apresento a vocês um cara eu simplesmente adoro, que mesmo não conhecendo-o (ainda) pessoalmente. Ele também é blogger, responsável pelo blog Brasil-Italia: Dois Corações e Uma História – que eu considero a versão da Minha Saga ao inverso: é a história de um italiano que foi morar no Brasil e conta ao mundo as coisas que ele descobre pelo nosso Brasil il il il

È com um imenso prazer que eu apresento a vocês o famoso Franco do Brasil Italia: Dois Corações e Uma História:

Ele respondeu o nosso questionário na lingua italiana (mesmo que fale muito bem o português) e por este motivo vou traduzindo automaticamente as suas respostas, vamos lá:

1. Identifique-se: nome e pais onde vive
Franco Terracciano, Sorocaba, Brasil

2. Quanto tempo você vive neste pais?
Mais de 3 anos

3. Você é inscrito no consulado italiano como residente (AIRE)?
Sim

4. Quais os passos que você teve que fazer para conseguir sua residência no pais? (como cidadão italiano)
Foram muitos: primeiro tive que preparar os documentos para o casamento, depois me casei no Brasil (o Franco é casado com uma sorocabana), depois correr atrás de CPF, RNE, etc

5. Foi fácil? Quanto tempo durou o processo burocrático de inscrição consular?
Nada é fácil quando lidamos com a burocracia. Seja na Italia ou no Brasil é algo muito complicado, pra deixar qualquer um louco! E se, durante o processo, você encontra certo tipo de gente pelo caminho, as coisas se complicam ainda mais – imagine que tanto no consulado brasileiro em Milano quanto na Polícia Federal eu tive que brigar muito, mas no final consegui e eis que estou aqui vivendo no Brasil.

6. Você já se sentiu beneficiado pelo fato de ser cidadão italiano? Compartilhe conosco as situações em que isso aconteceu
Benefício verdadeiro não – mas quando descobrem que eu sou italiano a primeira coisa que as pessoas dizem é: – Que legal! – como se fosse algo do outro mundo rs Além disso, com as mulheres brasileiras isso é sim um grande benefício (não é o meu caso), pois quando descobrem que você é estrangeiro automaticamente criam uma fantasia, um certo fascínio. Além disso, o fato de ser europeu as pessoas acham só porque sou europeu eu sou riquissimo – coitados, nem imaginam que aqui eu ganho menos do que eu ganhava na Italia…

7. Por outro lado, em algum momento você já se sentiu discriminado pelo fato de ser cidadão italiano? Já teve algum tipo de dificuldade por isso?
A única discriminação – se é que eu posso dizer que se trata disso é no ambiente de trabalho. O Brasil sob muitos aspectos é um pais muito fechado, muitas empresas não dáo oportunidades para estrangeiros. Imagino que isso se deve a grande procura dos próprios brasileiros por empregos, mas eu acredito que existe também uma certa preocupação com o fato das empresas acharem que assumindo um cidadão estrangeiro elas possam ter problemas futuros.

8. Você conhece ou convive com outros cidadãos italianos? Como é a comunidade italiana no país onde você vive?
Não conheço nenhum italiano aqui em Sorocaba, pelo menos não pessoalmente. Aliás, aqui tem uma Sociedade Italiana de Cultura, mas sinceramente acho um pouco estranha: só tem brasileiros que trabalham lá kkkkkk

9. Deixe aqui seus comentários e sugestões aos nossos leitores sobre como é a vida de um italiano no exterior e tudo mais que julgar importante pra comunidade da Minha Saga
Viver no Brasil, assim como em qualquer outro país que não seja o seu é muito difícil! Antes de escolher emigrar é necessário pensar MUITO BEM nisso, pois muitas vezes voltar atrás é impossível. Muita gente ainda acredita que viver no Brasil é um conto de fadas, mas a realidade é COMPLETAMENTE diferente. Vir como turista é uma coisa; viver é outra! Este país tem muitos problemas, a maioria deles muito graves, e para um cidadão europeu entender certas situações é impossível. Sem contar as diferenças culturais que são enormes, portanto coloquem todas estas coisas na balança, para não se arrepender depois.

Eu conheço vários italianos que se adaptaram tranquilamente aqui no Brasil, se transformando mais brasileiros do que os próprios brasileiros que nasceram aqui, e felizmente pessoas assim são poucas – digo isso pois acredito que é necessário sim se adaptar ao lugar onde você vive, mas devemos sempre manter as nossas origens e ter orgulho do nosso passado e da nossa história, e pelo menos pra mim, isso é muito importante!

shadow-ornament

Você também é italiano, vive no exterior e quer compartilhar conosco a sua história? É só clicar aqui.

  • Sono contento di avere a che fare con degli italiani e in particolare residenti in Brasile. Sono sposato con cittadina brasiliana, sono ormai 2 anni che vivo qui in Jundiai stato di San Paolo. La mia esperienza in merito ai rapporti culturali con i brasiliani? Ottima! Certo come in qualunque paese straniero al quale tu fai ingresso certamente i primi tempi sono di assestamento e di studio delle abitudini e cultura del luogo,ma in poco tempo, circa 4 mesi dopo aver espletato le pratiche di documenti, patente RNE cpf e altro mi sono stato immediatamente inserito nel tessuto sociale senza alcun problema, sono stato ricevuto con rispetto e amicizia dai brasiliani, e nella impresa di trasporto pubblico alla quale presto servizio a tutt’oggi. Diversità? forse nel l’ambito particolare delle leggi o delleregole in quanto, amio parere, più severe, anche se non osservate dalla stragrande maggioranza, mi riferisco alla conduzione di veicoli su strada……ehmmm….ehmmm molto “pacchiana” nel rispetto dellla segnaletica. Sarà che mi “accostumei” rapidamente? può darsi! Ci sono cose positive che in Italia non esistono e cose negative che anche non esistono e viceversa!Mah ,a parte l’alto livello di quelli che delinquono con inaudita crudeltà, (anche in Italia esistono) e che si spera in una legge più appropriata in merito, mi trovo alla grande. Oggi L’Italia non ha nulla da offrire, il futuro è scomparso dall’orizzonte dei giovani e i vecchi (come me) guardano con nostalgia i tempi di prosperità passati. Che dire ? Siamo in un mondo dirimpettaio e nessuno oggi, grazie alla tecnologia può dirsi lontano l’uno dall’altro furochè dalla distanza del paese di appartenenza!

  • Garibaldi

    “digo isso pois acredito que é necessário sim se adaptar ao lugar onde você vive, mas devemos sempre manter as nossas origens e ter orgulho do nosso passado e da nossa história..”

    Concordo inteiramente com essa afirmação.
    Mas infelizmente não é o pensamento da imensa maioria dos italianos que vem para o brasil.
    A maioria está pensando apenas no dinheiro e a meu ver não honram o sangue que possuem nas veias e muito menos a Nação italiana.

    Abraço fraterno Sr. Franco, saiba que fico feliz em saber que existem ainda italianos como o Sr.

    • Obrigado Sr. Garibaldi. Eu também conheço italianos como aqueles que o Sr. falou e as vezes “brigo” com eles por este attitude que eles tem, porque acho isso importante. Quando a minha esposa foi na Italia eu falava com ela de adaptar-se com os costumes italianos, mas no mesmo tempo de não deixar de ser brasilieria. Isso é o que eu estou fazendo: moro no Brasil, gosto deste pais, mas nao vou esquecer a minha origem. Um abraço!

      • Garibaldi

        “Aliás, aqui tem uma Sociedade Italiana de Cultura, mas sinceramente acho um pouco estranha: só tem brasileiros que trabalham lá”

        Parabéns novamente pelo comentário, saiba que esse assunto é muito pertinente e poucos têm a coragem de pôr o dedo nessa ferida. Um dia desses fui à uma dessas festas “italianas” que existem às centenas pelo Brasil e 80% dos donos das barracas eram chineses, kkkkkkkk.
        Existe um mito que é constantemente repetido pela mídia ignorante de que o estado de São Paulo é o estado mais italiano do brasil, pois afinal possui milhões de descendentes. Mas o que afinal uma coisa tem haver com a outra? Milhões de descendentes que não sabem pronunciar um “bom dia” em italiano, que não sabem nada sobre a história da Itália e pior não sabem nada da história da própria família, uma vergonha! Que acham que ser italiano é comer macarrão aos domingos.
        De fato, os italianos um dia dominaram este lugar, mas hoje embora muitos estejam obtendo a cidadania italiana por direito de sangue, infelizmente a comunidade italiana em SP é apenas um rascunho ridículo do que já foi no passado. A culpa disso a meu ver são primeiramente dos próprios italianos que aqui chegaram 100 anos trás e não se preocuparam em educar seus filhos de modo a preservar o caráter/cultura/sangue italianos nas futuras gerações. A culpa disso também é em parte da minoria de italianos que ficaram ricos/milionários aqui no Brasil e viraram as costas para os fratelli que não tiveram a mesma sorte, muito diferente do que ocorre com a comunidade Judaica e Asiática por exemplo. A culpa também é do governo brasileiro que durante a Segunda Guerra perseguiu/prendeu/torturou italianos em SP obrigando-os a se “abrasileirarem a força” se quisessem viver em paz, pois quem andava em SP na década de 40 sabe que o idioma principal era o italiano que foi proibido de ser falado , conheço algumas histórias interessantes como a de um garoto que teve os dedos da mãos quebrados pela polícia pois vendia jornais italianos no centro de SP ou de famílias que ficaram meses completamente mudas se comunicando através de bilhetes pois tinham medo de algum vizinho escutar eles falando italiano, etc…Essa é uma história triste que não se ensina nas escolas brasileiras e nunca vi a comunidade “italiana” de SP exigir do Governo Brasileiro um simples pedido de desculpas por isso. Os italianos fizeram muito por esse país, mas se vc bater no peito e se orgulhar em ser italiano aqui é como pedir para ser chamado de fascista, racista, etc..Esses idiotas não entendem que se orgulhar do que vc é não quer dizer que vc está desmerecendo a cultura alheia, todos nós somos seres humanos é verdade, mas com culturas, etnias, fenótipos, histórias diferentes e se são diferentes foi porque Deus assim quis. Mas que contribuíram em menor ou maior escala para o desenvolvimento do mundo e todos sem exceção merecem respeito. Essa a meu ver é a VERDADEIRA DIVERSIDADE e precisa ser respeitada, não essa “diversidade” falsa e mal intencionada que os “Donos do Mundo” querem empurrar garganta a baixo de todos nós, que está nos transformando a cada dia em uma massa de ignorantes sem personalidade, egoístas que não sabem de onde vieram e muito menos para onde vão.
        Obrigado mais uma vez, fique com Deus desculpe o desabafo, esse assunto é de vital importância mas as pessoas estão cegas.
        Acorda Itália!!!!

  • Cara Dani, concordo con tuo marito sul fatto che, molte volte, differenze vere e proprie non esistono e che tutto si risolve in caratteristiche personali. Come ho detto a Fabio, conosco molti italiani che vivono qui in Brasile che sono diventati piú brasiliani degli stessi abitanti di questa grande nazione. Quindi il fatto di notare queste differenze culturali (che, lasciami dire, non sono pochissime come lui dice ma enormi) é qualcosa dovuto al mio modo di pensare e di vedere le cose, del mio essere, di come vivo questa nuova vita. C’é da dire che, tra l’altro, sono un grandissimo “difensore” della cultura italiana. Oltre al blog da Fabio menzionato, ne ho un altro sulla “comida” italiana e uno sugli aspetti turistici, storici e artistici del mio Bel Paese. Quindi questo, forse, puó influire sulle mie idee.

    Per quanto riguarda il lavoro in Brasile, a parte la mia esperienza personale, ti posso garantire che conosco “fior” di laureati, ma che non hanno trovato un lavoro adeguato nel tuo paese. Come conosco un italiano che in Italia é un operaio “super-specializzato” ma qui in Brasile ha trovato solo un lavoro come “ajudante geral”. Quindi é probabile, non so, che aldilá delle qualitá di tuo marito, lui abbia avuto solo una gran fortuna. Non voglio certamente sminuire il suo valore, peró penso, considerando gli esempi che ho sottomano, che senza un briciolo di fortuna (che non guasta mai) tuo marito non avrebbe trovato un lavoro cosí valido.

    Abraços!

  • Fabio,
    Meu marido também é italiano e tem uma visão totalmente contraria ao do Franco
    Ele arranjou um emprego MUITO facilmente em uma empresa Italiana e não teve dificuldades para se adaptar, porém realmente não sabemos como seria em uma empresa brasileira. Ele tem uma ótima relação com os colegas brasileiros aliás até melhor que com os colegas italianos
    Ele particularmente acha que entre brasileiros e italianos há pouquissima diferença cultural e o que na maioria das vezes o que há é a diferença entre as pessoas mesmo.
    Ele é um desses italianos que é mais carioca que qq pessoa nascida na cidade do Rio, inclusive eu!
    Bjs
    Dani Bispo

    • Oi Dani tudo bem???

      Eu sempre digo que não existe diferença cultural, existe um ABISMO cultural e “guai” a quem vem a Italia achando que o que aprendemos com os nossos nonnos ou o que vemos nas novelas é o que realmente acontece aqui. Talvez o inverso seja verdadeiro: um italiano que vai ao Brasil pode não perceber tamanha diferença pelo fato de que os brasileiros adoram um gringo e fazem de tudo por ele (infelizmente sabemos que o nosso povo dá muito valor a isso) – porém todos os brasileiros que eu entrevistei aqui, além claro dos mais de 200 clientes que já recebemos e conversamos concordam quase em uníssono de que a diferença cultural é infinitamente maior entre Brasil e Italia e só nos demos conta disso quando estamos aqui, batendo de frente com o choque cultural.

      E viva la diversità 😉

      Bjssss

  • Caro Fabio, ti ringrazio tantissimo per l’opportunità che mi hai dato. Condividere con altri quello che ho passato (almeno in parte) e mostrare le miei idee su questo paese meraviglioso, ma con ancora molti problemi, é qualcosa di molto positivo. Io ti posso assicurare che, in ogni caso, ho fatto la scelta giusta, sia per me che per la mia famiglia, venire a vivere in Brasile. Ma questo non toglie che sono e sarò sempre un italiano, con le mie abitudini e i miei costumi, pur vivendo lontano dal mio paese d’origine. E ti ringrazio tantissimo per i complimenti che mi hai fatto, anche se, purtroppo, come stai vedendo, la mia conoscenza del portoghese é decisamente pessima. Ma ho tempo per imparare. Un grande abbraccio a te e a tutti i tuoi (molti) lettori. Ciao!