Comparação entre ovos de páscoa Brasil x Italia

Hoje venho aqui com um artigo pra deixar um monte de leitores com mais raiva ainda de algumas coisa que acontecem no Brasil.

Como a roubalheira que acontece na venda de produtos em grandes festividades, como é o caso da páscoa.

Passeando pelo facebook encontrei a seguinte imagem:

OVO PICANHA

Foi quando pensei em ir a alguns supermercados aqui na Italia para ver o preço de alguns ovos e por que não comparar os preços.

Como eu não moro no Brasil e não queria encher o saco de ninguém pedindo para ir a supermercados tirar fotos e me mandar, entrei no site da Americanas e verifiquei alguns valores.

Depois procurei por aqui os ovos equivalentes para tentar justificar os valores com a mesma base, e já percebi algumas diferenças que conto a vocês:

MARCAS

Aqui na Italia não existem todas as marcas que existem no Brasil, como por exemplo Lacta, Garoto, Amor aos Pedaços, Arcor ou similares.

Por aqui encontramos a Nestlé (que é suíça), a Ferrero (que é italiana) a Lindt e outras marcas menos conhecidas.

Por outro lado, as marcas mais conhecidas que acredito que ter no Brasil são Balocco, Motta, Bauli

PESO

Outra curiosidade é que por aqui os ovos não são vendidos por números, como acontece no Brasil.

Geralmente compramos ovos pela quantidade de chocolate: 150, 210, 240, 500, 800, 1000 gr. e assim por diante!

VALOR DO QUILO

E algo que eu considero fundamental e transparente é que quando verificamos o preço de um produto, ao lado sempre encontramos o valor correspondente ao quilo deste produto!

Isso é extremamente útil pois às vezes encontramos “promoções” que nem sempre custam menos do que outros produtos similares, portanto verificando o valor do quilo podemos comparar e então escolher aquele que custa menos, entenderam?

Não sei se em todos os supermercados do Brasil isso também acontece.

COMPARAÇÃO

Muito bem, vamos logo ao que interesse, quanto gastamos aqui na Italia comprando ovos e colombas e quanto gastamos no Brasil, começando por alguns ovos que são vendidos na Americanas:

Aqui na Italia, o ovo mais próximo equivalente a este da Lacta de 170 gramas que encontrei foi esse:

Vejam que ele tem 210 gramas e custa 7,99 euros, e ali podemos ver o valor do quilo, que neste caso é de 38,05 euros enquanto o ovo brasileiro custa 176,41 reais o quilo!!!

ATENÇÃO: antes que algum desavisado corra pra dizer – Ahhh Fabio, mas convertendo euro pra real custa menos….este tipo de cálculo não deve ser feito de forma alguma, por um simples motivo: eu não recebo meu salário em reais, eu vivo na Italia e portanto recebo em euro.

Isso significa se eu quero comprar um ovo de páscoa que custa 7,99 eu tiro exatamente 7,99 moedas do meu dinheiro do bolso, assim como você que vive no Brasil e ganha em reais tira 29,99 moedas do seu bolso.

Muitos fazem confusão com essa “conversão burra”, achando que tudo deve ser convertido e não é verdade: você deve converter euro/real se vem pra cá a turismo – daí sim o raciocínio é válido, vejamos dois exemplos práticos:

1º exemplo – se você está aqui a turismo, pagando suas compras com seu cartão de crédito brasileiro, ao comprar um ovo de 8 euros, na sua conta lá no Brasil vai ser descontado em torno de 25 reais;

2º exemplo – porém se você mora aqui, ganha em euro, portanto não usa dinheiro do Brasil e paga o mesmo ovo com seu cartão de crédito italiano, o valor que vai ser descontado do seu banco italiano é exatamente os mesmos 8 euros.

Entenderam de uma vez por todas o conceito de conversão burra?

Essa é a melhor forma de entender o quanto nosso querido Brasil é injusto com seu povo: neste nosso exemplo um cidadão italiano gasta 8 moedas e leva pra casa um ovo de 210 gramas, enquanto um cidadão brasileiro deve gastar 30 das suas moedas para levar pra casa um ovo de 170 gramas…

Muito bem, o pior ainda está por vir, vejamos outras comparações:

Aqui temos um ovinho mixuruca de apenas 90 gramas pela bagatela de 21,99, porém vem com uma surpresa do Bob Esponja. Aqui o preço do quilo vai longe: 244 reais/kg.

Por aqui não encontrei nenhum ovo do Bob Esponja tão pequeno com surpresa, o único que encontrei foi esse com 240 gramas por 9,90 e ali já dá pra ver o valor do quilo: 41,25/kg.

Próximo ovo:

Vejamos um exemplo para agradar a molecada que ama seu time de futebol: neste caso, um ovo de míseros 160 gramas do seu time sai por 36,99.

Aqui encontrei quase o mesmo peso: 180 gramas por 6,99 (disponível Inter, Milan e Juventus)

Acho que já deu pra perceber a imensa diferença entre os valores entre o Brasil e Italia, certo? Calma que tem mais, encontrei no site da Americanas este pequeno tesouro:

Delícia não? Pra mim os ovos da Lindt são os melhores, simplesmente deliciosos!!! Neste caso, 200 gramas por 39,90 reais ou então 199,50/kg.

Já aqui…

Ok, confesso que vacilei nessa foto, pois vejam que aqui o Gold Bunny tem apenas 100 gramas e custa 2,99 – só depois que cheguei em casa vi que tirei a foto errada, pois aquele de 200 gramas custa 3,99.

Massss nem tudo foi perdido: imagine que eu queira gastar as mesmas 39,99 moedas que vocês gastam no Brasil para comprar um coelhinho da Lindt, vejam o que eu levo pra casa:

Por 37 euros, levo um coelhão de puro chocolate suíço de UM QUILO!

Outra pérola que encontrei por aí:

Caixinha também da Lindt com bombons recheados (neste caso stracciatella) com 200 gramas por 40,90 reais, levando o valor do quilo a estratosféricos 204,50 reais.

Aqui não encontrei a caixinha com stracciatella, porém os valores das caixinhas são os mesmos, independente do recheio, vejam:

A mesma caixa, o mesmo peso, porém com um preço completamente diferente: 5,46 centavos de euro ou 27,30 euros/kg.

E isso é preço normal, não é promoção de páscoa não!

Muito bem, se vocês ainda estiverem lendo este artigo e não tacaram seus computadores na parede de raiva, vejamos os valores das colombas pascais, começando por duas delas no Brasil:

Aqui um detalhe: procurei os menores valores de colombas e estes foram os resultados: ambas com 500 gramas e a diferença de valores se dá pela composição e marca: a primeira da Visconti tem frutas cristalizadas e a segunda da Bauducco tem gotas de chocolate.

Quando fui procurar aqui na Italia por equivalentes, de cara já percebi que por aqui as colombas são praticamente todas a partir de um quilo – salvo poucas exceções com 700 gramas, portanto encontrei estas:

A primeira com 750 gramas e com gotas de chocolate por 4,49 e a segunda de 1 quilo por 3,99. Encontrei também estas opções de colomba:

 

 

E estas opções alternativas de ovos:

 

Abaixo a comparação entre a parcimônia e o exagero: 10 quilos de chocolate por 99,90 e 50 gramas por 1,29

 

Outras opções:

 

Ovinhos da Inter de Milão: forza inter!

 

3 quilos de ovo

 

Surpresona da Kinder

 

Ahhhhh, já ia esquecendo: ontem postei a foto deste artigo no Facebook:

ovos de páscoa brasil x italia

E alguns amigos ficaram desesperados achando que os ovos custavam 69,90 euros em oferta – por causa do cartaz lá atrás rs

Aquele cartaz é do corredor de bonecas, se não me engano é de uma Barbie tamanho gigante (ok, tenho medo de bonecas do tamanho de uma criança, trauma do Chuck rsrsrsrs) e que custa aquele valor.

É isso queridos leitores, um grande abraço a todos e até o próximo post 😉

  • Rene Lentino

    Excelente comentário!!

  • Luiza Aparecida Bueno Faggiano

    Parabéns pelo seu comentário. Sensacional, compartilho da mesma opinião, mas infelizmente ainda estou no Brasil. Em breve estarei indo para Europa. Aqui com tudo o que disse, eu ganho bem, mas nem tanto, mas vivo uma vida simples e sem luxos, afinal aqui é tudo muito caro, pago carro+aluguel+seguro saude+escola+td mais.

  • Felipe

    Sem palavras, seu comentário foi simplesmente MARAVILHOSO!!!

  • Felipe Pascon

    Pessoal, essa discussão eu já tive a oportunidade de ter diversas vezes com meu cunhado que mora na Europa, e confesso que já tive opinião dos dois lados e aos poucos fui moldando…até chegar a essa conclusão, que na minha opinião é saindo a campo ´é a seguinte:

    Vou dar o exemplo de outro país da europa, a Holanda, mas imagino que a situação seja semelhante na Itália.

    Meu cunhado que mora lá é engenheiro, com já um tempo de experiência, recebe por mês Euro 3.500,00.

    Recentemente ele esteve aqui no Brasil e recebeu uma proposta de emprego, para ganhar R$ 15.000,00 que é a média que se paga para o cargo dele.

    Ele chegou a pensar em voltar porque os amigos dele estavam perdendo o emprego pela crise, e fazendo a conversão, aqui ele ganharia até mais. Mas, no fim ele declinou a proposta aqui e eis aqui explicação dele porque ficou por lá, ganhando “menos”: Euro 3.500,00.

    1) Lá na Holanda ele e a esposa gastam por mês no supermercado Euro 300,00 e comem com MUITA, mas MUITA qualidade.

    É presunto cru, queijos, legumes de excelente qualidade e etc…

    Aqui eles gastariam quase a mesma coisa por volta de R$ 1.000,00/mês, só que uma qualidade presunto sadia.

    2) Eles tem uma bebê recém nascida e aqui eles precisariam pagar creche, e futuramente colégio particular para a filha, que a mensalidade em São Paulo não seria menos que R$ 1.000,00/mês, e depois vem a faculdade particular que também custa caro. Na Holanda o colégio até os 17 anos é gratuito, e de qualidade MUITO superior aos colégios particulares brasileiros.

    A faculdade lá custa 1.500,00 Euro anual, uns 150 Euro/mês (e cada faculdade absurda).

    3) Aqui eles precisariam pagar um seguro saúde, no caso dele estaria incluso no emprego, mas é descontado do pagamento dele isso, o que muitas pessoas no Brasil não sabem.

    Lá ele paga 100 euro/mês e inclui médico/dentista e tudo 100% incluso, e uma qualidade fora do sério.

    Aqui um seguro saúde Amil que você seja atendido razoavelmente bem sai por uns R$ 350,00/mês e não inclui o dentista e nem remédios.

    4) Na Holanda ele não tem carro, porque não precisa…ele vai trabalhar de trem + bicicleta. Aqui ele seria obrigado a comprar um carro, e o carro custa muito caro aqui e manter o carro e mais caro ainda.

    Agora ele tirou carteira lá e comprará um carro…o valor do carro é bem menor do que aqui.

    5) No Brasil os programas familiares envolvem gastar dinheiro, ir ao shopping, ir ao restaurante, ir sempre a alguma local fechado e com seguranças na porta. Lá não…eles fazem um picnic/churrasco no parque e está ótimo, vão a um museu e tudo está bom.

    6) Aqui o bairro que ele estava procurando para alugar um apto de 2 dormitórios, seria por volta de R$ 3.000,00 aluguel + R$ 800,00 de condomínio + IPTU e etc…

    Lá ele paga 700 Euro/mês de uma CASA de 3 dormitórios, confortável, segura e não há condomínio.

    Lá ele gasta de energia + água + taxa do lixo + gás = Euro 150,00/Mês.

    Aqui Luz + Gás + IPTU + Condomínio = R$ 1.100,00!!!

    7) E para concluir: No Brasil oficialmente 38 pessoas são assassinadas por ano a cada 100.000 habitantes. Mas considerando que aqui 1 pessoa desaparece a cada 13 minutos, então estima-se que somando o número de crimes seja CINQUENTA pessoas para cada cem mil habitantes, um total de 100.000 assassinadas/ano.

    Na Holanda UMA pessoa é assassinada a cada 100.000 habitantes!

    Agora voltando ao assunto do ovo de páscoa:

    No caso do meu cunhado, comprando um ovo de páscoa lá, esse ovo custaria 0,2% do salário dele.

    Aqui ganhando os 15 mil, seria também 0,2%.

    Agora eis aqui os dois problemas do porque o ovo custa mais barato para na Europa:

    1) Como todos os custos da vida dele e a qualidade que ele desfruta por lá são melhores, ele consegue comprar 0,2% do salário dele em ovo de páscoa e ainda garantir tudo que uma família precisa viver com alta qualidade (educação, saúde, moradia, automóvel, segurança e etc…)

    Já aqui mesmo ganhando 15 mil, no final do mês devido aos gastos excessivos, no final do mês a conta fecha muito pior, tornando os 0,2% do salário que seria aqui no Brasil muito pais “pesados” do que os 0,2% la na Europa.

    Deve-se analisar não individualmente a compra do ovo mas a vida toda durante o mês e qual o impacto desses 0,2% na renda mensal da família.

    2) Meu cunhado, se viesse para o Brasil ganhar 15 mil, ele seria um belo de um privilegiado. Afinal quem ganha 15 mil no Brasil?, você? (=sortudo)…a grande maioria dos brasileiros ou não conseguem comprar esse ovo, ou se compram, parcelam, e se pagam a vista deixam de fazer outras coisas na vida, como um melhor seguro saúde, melhor colégio, melhor casa, lazer e etc…

    RESUMINDO: É MUITO MAIS CARO VIVER NO BRASIL!

  • Claudinei Bonandin

    Fabio,
    Primeiramente, Feliz Páscoa para voce e a família.
    Infelizmente, o que nos difere do G7 e’ a desigualdade!
    Os impostos e taxas diretos que os brasileiros pagam, ate’ fazendo conversão “não tao inteligente” fica evidente que tem coisa errada ai….
    Mesmo nos casos em que as profissões são bem remuneradas, temos alguns custos que não aparecem nas conversões, como custo de educação, segurança, qualidade de vida, aposentadoria, insegurança Jurídica etc etc
    Adorei suas provocações de Páscoa!
    Aos menos afortunados que a Páscoa seja repleta de Saude e muitos ovos de pascia tambem.

  • ailtonpastore

    Fantástica a comparação. É uma pena que nem todo mundo entenda os princípios da “conversão burra”. Se você pensar que o salário médio da maioria das famílias aqui no Brasil, fora das capitais e grandes centros é de cerca de 1000 a 1200 (pois se ganhar mais paga IR), um ovo de 29,90 representa quase 2,5% de um salário de 1200. Na Itália, mesmo se considerando que o salário médio seja os mesmos 1200, mas agora EUROS, um ovo de 7,99 vai representar somente 0,67%. Ainda que o cacau seja cotado em dólar, mesmo sendo produzido em território nacional, não se justifica tamanha discrepância de preços. Outro dia vi uma garrafa de vinho Casilero del Diablo, que é produzido no chile, aqui quase no quintal do Brasil, custar 4,99 euros na itália e custar 39,90 reais no brasil. Alguém consegue explicar isso??? Não há lógica de mercado que dê conta de explicar essa absurda teoria de preços que vigora no nosso país. É sabido que a Itália não tem plantação de Cacau, pois o cacau é uma fruta tropical. Então a produção de chocolate envolve a importação desse cacau, a industrialização, o pagamento de impostos e de lucros da cadeia produtiva, porque ninguém trabalha de graça. Ainda que a Itália tenha uma tributação bastante elevada é impossível de explicar o porque pagamos tão caro em produtos que muitas vezes é produzido aqui mesmo!

  • HBernardi

    Gosto muito de comparações de todos os países com o Brasil e achei muito boa a postagem, bem ilustrada com vários exemplos.
    Sugiro também um comparativo de salarios. No portal da transparência tem tabelas salariais de funcionários públicos, sera que vc acha algo parecido aí na Itália?

  • Luiza Aparecida Bueno Faggiano

    Nossa, aqui para eu conseguir um preço legal preciso comprar ovos caseiros, paguei R$ 60 em um ovo de pascoa de 1kg. Aqui tem que ser assim. Como Sempre muito boa a matéria, Parabéns, me incentiva cada vez mais a ir para Europa. Grande abraço.

  • Antonio

    Essa ideia de valorar os preços por moeda, sem utilizar a “conversão burra” que você cita, também não faz muito sentido se não tem-se um valor de referência de salário em cada país. Se por exemplo uma pessoa que recebe R$ X no Brasil exercesse a mesma função (mesma profissão, cargo,…) na Itália e recebesse € X/3 daria na mesma. Portanto pra essa pessoa comprar um ovo por R$ 90,00 no Brasil é o mesmo que comprar a € 30,00 na Itália, pois ela recebe 3 vezes menos na Itália. Agora, se por exemplo os salários forem os mesmos “em moedas”, ou seja, receber R$ X no Brasil e € X na Itália, aí sim a diferença é bem grande.

    • Marcelo Mauro

      Concordo com a mesma observação. Um tipo de análise que tem que ser feita é exatamente com os salarios para algumas funçoes (médico, engenheiro, advogado) e que não seja também através do Salário Mínimo.
      Eu trabalho em uma multinacional e eu sei quanto as pessoas com a mesma função que a minha recebem nos EUA e também no Reino Unido e numericamente eles ganham menos que no Brasil. Lógico que fazendo a conversão para uma mesma moeda, as diferenças desaparecem e eles ganham mais que o brasileiros, mas não tanto assim.

      • Fala Marcelo, tudo jóia?

        Faço uma provocação equivalente ao artigo: independente se o cidadão ganha mil ou dez mil reais vivendo no Brasil, podemos considerar “normal” um quilo de chocolate em formato oval custar mais de 200 reais? Num país onde o salário mínimo é aquilo que é?

        Questo è il punto della situazione!!!

        Forte abraço 😉

        • Antonio

          Fala Fábio, tudo bem e por aí?

          Se a maioria das pessoas ganha dez mil reais poderia chamar de normal sim, quem dita o preço é o mercado. Se por exemplo você fosse vendedor de chocolates e visse que a população paga mais caro pelo ovo, você simplesmente aumentaria o preço, pois sabe que os clientes pagarão e já que todos estão recebendo bem eu também quero ter um bom retorno. É a lei do mercado. Agora com relação ao valor do salário mínimo ser baixo ou existir poucos que ganham muito e muitos que ganham pouco daí sim é uma situação ruim.

          O que eu acho que acontece é que na Itália um médico por exemplo não ganho muuuito mais que outra profissão, não tem-se tanta diferença salarial, assim se o vendedor de chocolates tentar aumentar o preço, ninguem paga, e ele acaba não aumentando.
          Abraço!

          • TatiJ

            Olá Antônio e Fábio,

            Sou nova por aqui e estive vendo as indagações de vocês e tenho que discordar totalmente de você, Antônio.
            No Brasil, quanto mais se ganha, mais imposto se paga, por exemplo, se você tem um salário de 10 mil reais, você receberá de salário líquido, 77,26% do valor total ou R$ 7.726,03, ou seja, terá de desconto R$ 2.273,97 de desconto! Concordaria com os tributos que pagamos aqui, se tivéssemos qualidade na saúde, na educação e segurança pública.

            Mas, infelizmente, a grande maioria da população não ganha 10 mil e nem chega perto disso, mas mesmo assim, se quiser ter um saúde de qualidade, terá de pagar um plano de saúde, que só será um pouco mais barato se sua empresa te der como benefício, pois, do contrário, se você e um profissional autônomo, pagará em torno de R$ 350,00 um plano razoável.
            E a escola? Um executivo tem possibilidade financeira de pagar 2 mil reais para cada filho estudar em uma ótima escola, mas uma pessoa normal, e digo isso baseada em mim mesmo, e nas pessoas que convivo, não tem, e olha que sou formada há 10 anos, tenho 2 cursos de pós graduação, cursos de aprimoramento profissional, inglês, mas sou da área da saúde, que infelizmente não é nada valorizada aqui, assim como o professor, enfim, mas isso é outra discussão.

            Você acha que um apartamento de 1 dormitório, com. 70 metros quadrados de área útil, custar 700 mil reais, ou, 10 mil/ metro, é um valor aceitável?

            E a segurança? Aqui não temos segurança nem dentro de casa, pois os marginais entram na sua casa e em poucos minutos, levam tudo que você demorou anos para conquistar, em plena luz do dia, pois existe a certeza da impunidade, mesmo que sejam pegos, depois de pouquíssimo tempo, estão de volta às ruas.

            Você citou o exemplo do médico, mas já parou para pensar que um médico dificilmente trabalha em apenas um lugar? Que este mesmo médico trabalha aos finais de semana, feriados e noites para ter um bom salário? Ao contrário do executivo, que mesmo sendo um workaholic, terá a companhia de sua família em datas comemorativas e convívio social, e isso em apenas um emprego.

            Acredito que o problema no Brasil é a disparidade. E a aceitação do povo com os nossos governantes, que esfregam na nossa cara a corrupção, de novo, com a certeza da impunidade

            Não é a lei do mercado que dita a alta dos preços, pois mercado temos em todos os lugares, e sim, o famoso jeitinho brasileiro de tirar vantagem em todas as situações, sem perceber, que isso de um jeito ou de outro, o afetará mais cedo ou mais tarde!

            Desculpem o desabafo, mas estive na Europa recentemente e vi, esfregado na minha cara, o quão inertes nós somos!

      • Wlln

        mas o custo brasil é maior. No Brasil ganha-se mais realmente, principalmente os executivos brasileiros ganham mais que a média dos países desenvolvidos. Entretanto o peso da tributação, mais os custos com transporte, educação, desvalorização monetária, taxa de juros, enfim, é infinitamente maior. Assim, um trabalhador brasileiro dispende mais unidades monetárias para comprar os mesmos itens de um trabalhador em qlqr lugar do mundo, apenas porque o brasil é um país muito caro e inflacionado.

        O custo brasil é um dos maiores do mundo, encarecendo em média 30% dos produtos ofertados no país.E é isso msm que o Fabio tentou explicar, além do custo Brasil a cesta básica brasileira é mais custosa que a do resto do mundo.

    • Olá Antonio tudo bem?

      Se eu fizesse a comparação utilizando por exemplo o método que você sugere, a diferença seria ainda mais terrificante, assista em nosso canal do Youtube a comparação dos valores da cesta básica entre Brasil e Italia – utilizando como referência os salários mínimos entre os dois países pra ter uma idéia sobre isso. Grande abraço!