Pronto Socorro na Italia – Funcionamento e Dicas

Ciao a tutti

Recentemente estive no pronto socorro com a Luciana, que durante a noite começou a sentir fortes dores das costas e enquanto esperava ela ser atendida, comecei a rascunhar este artigo para contar pra vocês como é o funcionamento do tal pronto soccorso.

Foi então que eu descobri na sala de visitas um livrinho que explicar tudo tintin por tintin:

PRONTO SOCORRO NA ITALIA

Antes de mais nada, uma informação importante: independente se a pessoa é turista, residente, tem visto ou está irregular aqui na Italia, todos tem direito ao atendimento público de saúde no pronto socorro!!!

Trata-de de um direito que não pode ser negado a quem quer que seja, inclusive no passado os partidos de direita tentaram limitar este acesso aos irregulares e os próprios médicos italianos se refutaram a cumprir qualquer disposição contrária ao direito a saúde de quem quer que seja.

O PROCESSO DE TRIAGEM

Muito bem, existem duas formas de chegar no pronto socorro: por meios próprios (carro, ônibus, taxi, etc) ou então de ambulância.

Neste último caso, basta ligar para o número 118 do SSUE (Servizio Sanitario di Urgenza ed Emergenza) que em poucos minutos chegará uma ambulância no local onde você se encontra. Sim, você leu certo em poucos minutos, pois aqui na Italia existem diversos órgãos de voluntários: cruz vermelha, cruz verde, misericórdia, sem contar a pubblica assistenza – e por este motivo quando pedimos uma ambulância, o 118 envia aquela de um destes órgãos acima que estiver mais próximo do local do acidente ou do imóvel onde a pessoa precisa de soccoro!

Então neste caso podemos dividir a coisa em duas:

a) Quem chega no hospital através da ambulância já tem o processo de triagem feito;
b) Quem vai diretamente deve fazer o processo de triagem diretamente no guichê de atendimento.

A TRIAGEM NO SPORTELLO (GUICHÊ)

 Ao chegar no sportello, o funcionário responsável vai te pedir um documento de identificação, e caso você seja italiano e residente aqui na Italia te pedirá também a sua tessera sanitaria.

Em seguida te perguntará quais os motivos que te levaram ao pronto socorro e dependendo da sua resposta, ele te “classificará” com uma das cores abaixo:

  • ROSSO
  • GIALLO
  • VERDE
  • BIANCO

Vamos entender o que cada um significa:

cores-hospital-italia

No gráfico acima podemos ver que cada cor corresponde a um tipo de gravidade diferente, dando ao portador a preferência no atendimento. No caso quem chega com o código rosso, que significa que aquela pessoa está correndo risco de vida, terá completa e total prioridade em relação aos demais.

Em seguida vem o código amarelo, que corresponde a pessoas que estão graves, mas estabilizadas; depois o código verde para quem não tem sequer perigo de vida e finalmente o código branco, que são aqueles que não tem o que fazer e foram passear no hospital kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

O MEDICO DI FAMIGLIA ou MEDICO CURANTE

Se vocês repararem bem na imagem acima, no código branco diz que o paciente não é urgente e poderia muito bem ser tratado diretament epelo seu medico di medicina generale – que se trata do famoso medico di famiglia que vocês podem entender o seu papel lendo este artigo.

CONSIDERAÇÕES GERAIS

Este sistema de cores foi criado para poder dar prioridade a quem realmente está em uma condição pior, sendo seu conceito muito simples: é atendido primeiro quem precisa de maiores cuidados!

Embora o sistema de saúde na Italia seja público, para poder financiá-lo foi criado um sistema de pagamento chamado “ticket sanitario” – e só é cobrado somente para os pacientes com código azzurro (aqui na Toscana existe também essa cor, que fica entre o verde e o branco) e código bianco.

Atualmente o valor deste ticket é de 25 euros e é incluso neste valor seja a visita médica, sejam os eventuais exames de laboratório. A este valor podem ser acrescentados outros 25 euros caso o paciente precisa de exames de diagnóstico, como radiografica, ecografia, etc.

No caso da Luciana, que estava com muitas dores nas costas, seu código era bianco e demorou cerca de três horas para ser atendida (aconteceu por volta da uma da manhã, não tinha como ir na médica de família dela…), ela passou com o doutor de plantão, fez uma radiografia da coluna e no final pagou 50 euros: 25 pela visita e 25 pelo exame!

O pagamento é feito depois que você termina o tratamento, neste caso o pagamento pode ser feito diretamente em um hospital ou ainda diretamente nas máquinas automáticas, como esta abaixo:

pagamento-pronto-socorro-italia

Muito bem meus queridos leitores, espero que a partir de agora vocês possam se orientar caso precisem de um pronto socorro aqui na Italia e termino este artigo desejando a todos vocês que jamais precisem utilizar os dados aqui descritos 😉

  • Gabriela

    Olá Fábio, queria lhe parabenizar pela sua coragem e toda a sua história, além do blog com todas as suas dicas e conteúdo interessantíssimo. Bom, eu sou médica recém-formada aqui no Brasil, já possuo a cidadania italiana e gostaria muito de morar na Itália, atuando dentro da minha aréa. Diante disso, peço sua ajuda no sentido de onde posso me informar sobre a prova de revalidação italiana e quais seriam os pontos iniciais para que eu possa começar a trilhar esse caminho. Grata desde já,Gabriela 🙂

  • luiz felipe

    Bom dia Fábio. Tudo bem? Parabéns pelo blog. Suuper útil para quem está vindo e/ou morando aqui na Itália a pouco tempo, como eu. Sexta e sábado passado eu tive fortes dores de ouvido, liguei para médica de família (que é mãe da minha melhor amiga aqui) ela veio na minha casa e me medicou. Beleza. Domingo acordei completamento surdo do ouvido sinistro (rs) e fui ao pronto socorro. Não quis ligar para a médica pois não gosto de abusar. Chegando lá fui ao sportello e falei para a guria o que havia acontecido (em inglês pois não falo muito bem italiano). Ok, peguei a senha e me sentei para esperar as 3h. Fui ler o papel, pois sou curioso, e lá dizia que tinha que pagar o ticket. Não entendi direito e liguei pra minha amiga. Resultado, saí do pronto e a médica me buscou. Me levou ao consultório dela e ela resolveu o preblema. Eu estava com muita dor, chapado de antibióticos, aquela coisa, porém não cheguei aos gritos lá, sou controlado. Penso eu que se tivessa dado uns gritos, seria gratuito.

    O que quero dizer com isso é, muitos (muitos) brasileiros reclamam que o Brasil é isso, é ruim naquilo, de fato. Muitas coisas têm que melhorar. Neste caso, no Brasil, quando isso me acontece, eu sempre vou ao pronto socorro e sou atendido na emergência e gratuitamente.
    Curto as postagem, o que não curto é “nego” tocando o pau no meu país, nosso.
    Abraço

    • Alberto

      Mas por qualquer hospitalização como resultado do exame médico no pronto socorro, você não vai pagar nada. E os tickets podem ser deduzidos do imposto de renda

  • Rafael Italiano

    Melhor dica!

  • Fernanda Ricciardi

    Bem bacana!!

    Fábio, não sei se você já escreveu sobre isso alguma vez, mas se não, seria interessante fazer um resumo sobre as formas de contribuir para o INSS aí na Itália, como os regimes de autônomo, empregado, empregado de meio período, rural, trabalhadores do mar, etc. Não sei se aí tem, mas na Espanha também existe um regime especial para empregadas domésticas. E lá também existem ajudas e subvenções para determinadas classes, tipo menores de tal idade, mulheres, estudantes, etc.

    Um abraço!