Flávio e Roger – novos cidadãos italianos na Minha Saga

Ciao a tutti!

Eis-me aqui para apresentar a vocês dois novos personagens da Minha Saga, que obtiveram recentemente o reconhecimento da cidadania aqui conosco.

ROGER KEIL

O primeiro deles é Roger – também conhecido como Martelinho de Ouro!

Nosso contato começou lá nos idos de 2012, quando ele entrou em contato para tirar algumas dúvidas e desde então temos conversado. Agora que revi os emails trocados com ele, puder perceber que estive meio que presente em toda preparação até a chegada aqui na Italia: analisando os documentos, aguardando a retificação dos erros, esperando a manifestação do ministério público, tradução, legalização – que bacana poder fazer parte dos sonhos da galera!!!

Vejam que maravilha as fotos do grande dia:

O que mais nos chamou atenção durante o tempo que passamos com o Roger, foi a sua dedicação e o seu planejamento para poder viver e trabalhar com tranquilidade aqui na Europa. Como é detentor de habilidades extremamentes requisitadas, tem o privilégio de poder escolher não apenas o local, mas também o país onde morar. É uma pessoa extremamente centrada e sabe o que quer do seu futuro, exatamente a imagem que eu sempre tento passar a todos aqueles que me perguntam sobre emigrar pra cá: saber o que quer, ter uma profissão ou habilidades que te diferenciem do resto e falar a língua do país onde pretende viver são os requisitos fundamentais para se dar bem. E não temos dúvidas de que o Roger se dará muito bem por estas bandas de cá 😉

FLÁVIO TRIGOLO

Já com o Flávio tive a primeira conversa também em 2012, em janeiro. Habitante (ou sobreviventr) da cidade de OZ…asco – grande SP, o cidadão é uma figura!

Vejam um dos seus comentários quando assistiu o vídeo que gravei com o carro pelas ruas de Pisa:

Oooooooooooooowwwww kct meu….

muito bom, muito loco, muito #@*@#* o vídeo que gravou dirigindo aí em Pisa…

Certa vez um cliente brincou dizendo que só gente louca vinha realizar o processo conosco, que seria melhor se juntamente com os documentos para o processo eu também pedisse exames psicológicos para ver se a pessoa é normal kkkkkkkk Taí a prova de que eu continuo pedindo apenas os documentos relativos ao processo rsrsrsrsrsrsrsrs

Pois é, ele é curintiano…

E tem foto sim do grande dia, como não?

 

E tem mais – a comemoração no restaurante com vista para o mar:

 

Claro que temos que terminar este artigo homenageando estas duas grandes pessoas, agradecendo-os por nos permitir fazer parte desta conquista e destes momentos fantàsticos – e com certeza nos encontraremos em breve, cidadãos italianos 😉

 

 

  • Natalia Pasini

    Olá Fabio! Sou filha de italiano, meu marido teria direito a cidadania também? Queria entrar em contato com vocês para dar entrada na minha cidadania na Itália, tenho dois filhos pequenos, então preciso de tudo da forma mais segura. Aguardo contato ..

    • Olá Natalia tudo bem?

      basta entrar na página “Nos contrate” que fica no canto superior do blog e preencher o formulário, desta forma receberei o seu email, ok? No caso do seu marido, somente após você obter o reconhecimento ele poderá solicitar a naturalização por matrimônio, aqui mesmo tem um artigo sobre isso, dá uma olhadinha. Abs

  • junior copetti

    Novamente Fabio,

    O meu Antenato que nasceu na Itália e se casou no Brasil ano ano de 1884 e nessa época ainda não existiam registros cartórias de nascimento e nem de casamento. Ja tenho o registro de casamento constante no livro da paroquia/igreja, mas como tornar esse documento aceitável? Na Itália deve ser autenticado ou assinado pela curia e aqui?

    Desculpa pelas inúmeras perguntas mas.. rsrsrsr

  • junior copetti

    Bom dia Fabio,

    Seguindo seu concelho já localizei o documento de batismo na Itália. Agora, sei que é indispensável que nele conste o nome dos pais e seja assinado pela curia! mas alem disso preciso algum documento ou certidão dos pais do Antenato como casamento ou nascimento?
    Outra questão que não sei como resolver é o desembarque do Antenato aqui no Brasil. Ja entrei no site Museu da imigração do estado de São Paulo e não encontrei registros do desembarque do mesmo. Esse tipo de documento também não pode faltar? existe outra forma de tentar localizar?

    Grande abraço

  • junior copetti

    Meu tataravô ou trisavô nasceu no ano de 1857 em Friuli-Udine. Minha duvida é se existe algum tipo de empecilho, pois a Itália estabeleceu registros cartoriais por volta do ano de 1871 e antes disso a região era de denominação Austríaca quando meu tataravô nasceu!Existe algum impedimento nesse ponto pois ele veio desses lugar, nasceu no ano de 1857 e preciso que ele seja Italiano.

    • Ciao Junior

      Entre no site do circolo trentino da sua região e veja se o comune onde seu antenato nasceu fazia parte do império austro-húngaro , assim terá certeza se tem ou não direito ao reconhecimento. Abs

  • Haline Scotti

    Oi Fábio,
    Olhei vários posts do blog e não achei algo que respondesse completamente minha dúvida…
    Minha irmã é menor de idade e portanto teria sua cidadania reconhecida quando nosso pai fizesse o reconhecimento, correto? Mas nosso pai já faleceu e então ela tem que esperar até a maioridade pra fazer o reconhecimento?
    Abraços.

    • Sim, neste caso ela deverá aguardar a maioridade para que tenha condições legais de efetuar o próprio reconhecimento. Abs

      • Haline Scotti

        Obrigada pela resposta, Fabio. 🙂

  • Olá Calos

    Não facilita em nada, pois os processos são individuais. Abs

  • carlos marques

    bom dia Fabio,
    minha tia avó já obteve a cidadania italiana , ate q ponto isso facilita o meu pedido de cidadania tmb. um abraço !!

  • Olá Gisele

    Somente são necessárias as certidões de nascimento, casamento e óbito de quem compõe a linha de transmissão. Os nascimentos e óbitos dos cônjuges não.

  • Gisele Nucci

    Oi Fábio,

    Tenho uma duvida:

    Meu antenato é meu trisavó, preciso encontrar as certidões de nascimento, casamento e óbito apenas dos parentes aos quais o sobrenome italiano coincidem, ou por exemplo, precisarei das certidões da minha trisavó e sucessivamente dos demais que foram se casando com os parentes de sobrenome italiano?
    Aproveitando lhe mandei um e-mail falando sobre o processo e solicitando os valores para sua assessoria. 🙂

    Obrigada pela ajuda.

    Gisele Nucci

  • Bruna Lorhana

    Olá Fabio,

    Tubo bem? Olhei seu site, eu e meu marido queremos muito realizar o nosso processo da cidadania italiana com voces! Como podemos fazer uma reunião para saber mais sobre o serviço que voces fazem? Meu email e: brunalorhana@hotmail.com

    Aguardo retorno,

    Bruna.

  • Fabiana Sabino

    Olá, Fabio.
    Tenho uma dúvida.
    Se após o reconhecimento da cidadania minha certidão de nascimento italiana terá meu nome de solteira, onde serão feitas as averbações do matrimônio? Ou essas averbações que aparecem na certidão brasileira não são transcritas para o documento italiano?
    Em qual documento será mencionado o casamento e a mudança de nome?
    Obrigada.
    Fabiana

    • Olá Fabiana, não será feita em nenhum lugar: aqui na Italia você continuará com seu nome de batismo e no Brasil com o nome que escolheu adquirir ao se casar. Abs

      • Fabiana Sabino

        Muito obrigada, Fabio.

  • Fabricio Guarinello

    Oi Fábio, tive uma dúvida aqui. Minha esposa tem direito a cidadania
    portuguesa, pelo que vi nas leis portuguesas eu também tenho direito a
    naturalização. Posso entrar nessa e depois pedir minha cidadania
    italiana, ou terei que pedir minha cidadania sem tentar naturalização.
    Pois por motivos óbvios não abro mão de minha cidadania italiana.
    Pergunto porque o processo português é mais em conta e pensamos em
    fazê-lo primeiro pra poder irmos para a Europa sem muitos gastos
    iniciais, depois gastarmos o quanto for necessário para minha cidadania.

    • Você não precisa obter duas cidadanias européias, se não abre mão da italiana esqueça aquela portuguesa e se concentre nela, ok? Abs

  • Rui

    Meu bisavô nasceu na Italia, sendo pai do meu avô nascido no Brasil. Meu avô se divorciou de minha avó quando meu pai já tinha mais de 30 anos e até mesmo eu já era nascido. É necessário incluir cópia do processo de divórcio deles? Meu avô posteriormente casou-se novamente e já é falecido.

    • Olá Rui

      Não precisa não. O processo de divórcio é exigido apenas nos casos em que o requerente é que se divorciou. No seu caso, como foram seus pais, não precisa apresentar nada além dos documentos comuns (nascimento e casamento). Abs

  • Gabones

    Parabéns para mais 2 novos cidadãos…
    Fábio tenho pergunta, já tenho a dupla cidadania e agora vou ter um filho ele também tem direito?

    • Tem sim,assim que ele nascer, mande a certidão dele ao MRE, depois traduza e leve ao consulado italiano, assim eles já providenciarão o envio do documento ao comune onde seus documentos foram transcritos 😉

      • Gabones

        Muito obrigado pela resposta fabio, abração!