Emprego na Italia – Conceitos

Há algum tempo criei aqui no blog a sessão Emprego na Italia – já que é um assunto bastante complicado e extenso, pois quando falamos nisso uma série de perguntas surgem automaticamente:

  • Podemos trabalhar enquanto realizamos o processo de cidadania?
  • Quais são os documentos necessários para trabalhar na Italia?
  • Onde procurar emprego? No Brasil temos as agências, e aí? Como é o curriculum?

Vamos primeiro entender alguns conceitos sobre o trabalho aqui na Italia e principalmente descobrir quais as diferenças que existem em relação ao Brasil.

Quero começar já deixando algo muito bem claro:

NÃO, NÃO PODEMOS TRABALHAR DURANTE O PROCESSO DE CIDADANIA ITALIANA!

Existem vários motivos pelos quais não podemos trabalhar durante o nosso processo, sendo o primeiro muito simples: quando chegamos aqui na Italia para realizarmos o nosso processo, não precisamos de nenhum tipo de visto de ingresso.

Isso para o nosso processo é ótimo, porém para trabalhar é péssimo, pois sem um permesso di soggiorno (visto de permanência italiano) válido, nenhuma empresa pode nos contratar!

Além disso, existe um comunicado oficial do governo italiano que diz que mesmo aqueles que tem o permesso di soggiorno in attesa di cittadinanza (que é o permesso que podemos solicitar caso o nosso processo ultrapasse 90 dias) não podem trabalhar.

Portanto este artigo não é para quem ainda não é cidadão italiano ou quem chega aqui na Italia sem um visto de trabalho já colado no passaporte.

ENTENDENDO O MERCADO DE TRABALHO ITALIANO

Emprego Italia

O primeiro passo para procurar emprego não só aqui na Italia mas em qualquer país que não é aquele onde nascemos é entender como funcionam as coisas naquele país, ou seja conhecer as diferenças culturais.

Por exemplo, aqui neste artigo vocês podem saber um pouco mais como pensa um cidadão italiano que viveu durante um tempo no Brasil e contou pra mim o que ele pensa sobre as amizades no Brasil e também sobre o sorriso fácil do brasileiro.

Outra coisa que é muito fácil perceber aqui na Italia, é que a forma como os italianos encaram o emprego é completamente diferente da forma que um brasileiro enxerga: aqui trabalha-se para viver, enquanto no Brasil a maioria das pessoas vive para trabalhar.

Vejam que parece apenas um trocadilho (horrível) ou frase de auto-ajuda mas confesso que é a mais pura realidade aqui na Italia.

Quando eu conheço um brasileiro por aqui que trabalha em uma fábrica ou em outra atividade com outros italianos, uma das primeiras coisas que ele diz é algo do tipo “como estes italianos são preguiçosos, você acredita que basta o relógio bater 18:00 horas eles páram tudo e vão embora?“.

Já ouvi esta mesma frase de clientes que vivem na Inglaterra, na Irlanda, na França, na Espanha, até mesmo na Dinamarca e a pergunta que temos que fazer é:

– Será que todos estes cidadãos europeus que vivem no 1º mundo são tão vagabundos assim?

Minha opinião é que não, conhecendo um bocado deles, posso dizer que eles fazem isso porque consideram que tão importante quando trabalhar também é curtir a vida, a família, os amigos.

Trocando em miúdos – eles trabalham para viver, não vivem para trabalhar!

Podemos até não concordar com este ritmo lento, mas é aí que entra o que expliquei no item anterior: se quiser viver aqui tem que saber entender e respeitar as diferenças culturais.

Vejam que a nossa visão brasileira de que time is money (americanização extrema!) está diretamente ligada ao poder compulsivo que temos para conseguir construir a nossa independência financeira.

Porém já paramos para pensar no que isso significa?

Ter um carro zero que custa milhares de reais é realmente necessário?

Uma casa com 200 m2 com piscina, jardim e varanda é realmente necessário?

Ter 5 carros na garagem, um para cada membro da família é realmente necessário? (ok, aqui talvez até seja, sabendo das péssimas ou inexistentes opções de transporte público no Brasil).

Este é o problema que enfrentamos no Brasil: como as coisas são muito caras, temos que passar a vida trabalhando que nem loucos para poder ter mínimos prazeres, como curtir uma praia num feriado prolongado – depois de dez horas de congestionamento, pagando pelo aluguel de alguns dias no imóvel mais do que custaria uma viagem ao exterior com a família…

E não pensem que quando adquirimos uma certa tranquilidade financeira isso muda, pelo contrário – quanto mais dinheiro temos, nossa preocupação com a segurança também aumenta, o que se traduz em mais custos e despesas.

Vocês devem estar perguntando porque raios eu comecei um artigo sobre emprego falando das diferenças culturais, certo?

A resposta é a seguinte: quem pensa em vir a Italia com o mesmo pensamento que tem no Brasil, vai dar com os burros n’água!

Quem ganha 5000 reais no Brasil não precisa ganhar 5000 euros para ter o mesmo padrão de vida aqui na Italia!

É fundamental dar uma espécie de reset no cérebro quando chegar aqui, mergulhando de cabeça na forma de vida do cidadão italiano, só assim vocês vão conseguir entender o que é preciso e então saber o que buscar.

MEU PRÓPRIO EXEMPLO – QUANDO CHEGUEI NA ITALIA

Eu vim à Italia com um único objetivo: dar um futuro melhor pras minhas filhas!

Minha idéia principal era obter o reconhecimento da minha cidadania, pois sabia que ela abriria as portas para um bocado de coisas, incluindo conseguir um bom emprego por aqui.

A primeira coisa que fiz, ainda no Brasil, foi começar a estudar italiano.

Ao chegar aqui, me lembro de bombardear as pessoas que eu conhecia com perguntas sobre o mercado de trabalho, modelo de curriculum, quais profissões estavam em alta, entre outras coisas relacionadas a este assunto.

Vejam que em nenhum momento pensei em fazer aqui o que eu fazia no Brasil, pois eu não falava italiano direito – portanto sabia que minhas oportunidades seriam proporcionais ao meu nível de conhecimento da língua italiana.

A primeira coisa que eu fiz foi procurar informações sobre o mercado de trabalho italiano e como os cidadãos italianos procuram emprego.

REDE DE RELACIONAMENTOS – CIDADÃO ITALIANO X CIDADÃO BRASILEIRO

Não demorou muito para que eu pudesse descobrir algo extremamente útil e que mudaria radicalmente a forma de visualizar as coisas por aqui: eu teria que criar uma rede de relacionamentos com cidadãos italianos e não com brasileiros!

Por que?

Porquê a maioria dos brasileiros que eu conheci já saíram do Brasil sem nenhuma qualificação profissional e chegando aqui trabalhavam em sub-empregos.

Ou seja: nenhum deles sabia sequer como era o mercado de trabalho na Italia, sem contar que a maioria que conheci e que vivia por aqui há dez, quinze anos mal sabiam falar a língua italiana…

Sem contar que eu sofri preconceito… por parte dos brasileiros!

Alguns deles, ao me ver falar a língua italiana, diziam:

– Fabio, por que você está forçando o sotaque para falar igual aos italianos?

– Oi? Como assim falar igual aos italianos? O que isso quer dizer? 

– Oras Fabio, você não precisa falar igual a eles! Eu mesmo moro aqui há quinze anos e mesmo com meu jeito de falar, todos me entendem e eu entendo todo mundo.

Veja o quão absurdo é este pensamento e que infelizmente me foi dito não apenas por um, mas sim por várias pessoas: eles acreditavam que eu não tinha que falar italiano igual “a eles”.

Ou seja, o próprio brasileiro – mesmo com a cidadania italiana reconhecida – se comporta como estrangeiro, achando que existem “nós” e “eles”.

Claro que este tipo de comportamento não ajuda a se integrar com a sociedade, afinal de contas, se “eles” são italianos, quem somos “nós”?

ENCONTRANDO AS PRIMEIRAS OPORTUNIDADES

No Brasil eu tinha sido professor de informática por mais de dez anos, além de gerenciar uma grande empresa do setor de ensino profissionalizante e até por isso procurei informações dentro desta minha área.

Foi quando descobri que os italianos não sabem fazer manutenção em seus computadores, notebooks, celulares, etc.

E foi assim que comecei a ganhar meus primeiros trocados: instalando software, fazendo manutenção, ajudando a utilizar o Skype (sim, muitos naquela época ainda não sabiam usar) e geralmente eu ganhava 50 euros por uma ou duas horas prestando este tipo consultoria.

SITUAÇÃO CURIOSA COM A POLÍCIA

Uma vez fui parado pela polícia (acontecia muito naquela época, antes de ter o reconhecimento da minha cidadania italiana rs) e quando o oficial perguntou o que eu fazia, disse que era tecnico informatico.

Na mesma hora ele, que estava com meus documentos em mãos efetuando todos os controles possíveis e imagináveis, parou o que estava fazendo e me perguntou se eu poderia consertar seu notebook, pois estava esquentando sem motivos.

Percebeu o jogo?

Eu já sabia como era o termo correto na língua italiana sobre a minha profissão aqui na Italia e isso me ajudou a fazer com que as portas se abrissem!

A partir disso, a cada italiano que eu prestava consultoria ou efetuava manutenção em seus computadores, apareciam outros que ficaram sabendo por este italiano e a rede foi aumentando – tanto que me fez pensar em abrir um negócio de montagem e manutenção de computadores.

E eu só não fiz isso – embora cheguei até a ver alguns pontos comerciais – porque eu não tinha ainda a minha cidadania italiana reconhecida e consequentemente não podia trabalhar e/ou abrir qualquer tipo de empresa aqui, pois eu não tinha documentos para isso!

A propósito: nesta mesma época eu encontrava brasileiros que não encontravam emprego e reclamavam da crise.

Será que o problema era a crise, ou a falta de qualificação destas pessoas?

CONCLUSÃO

Muito bem, a partir deste artigo já podemos começar a anotar algumas coisas importantes:

1 – Só podemos trabalhar com um visto específico que permita a atividade, ou então com a cidadania italiana reconhecida;

2 – Não adianta chegar aqui na Italia com a “cabeça de brasileiro” para procurar emprego; será necessário aprender tudo sobre como os italianos se relacionam com o mercado de trabalho, quais as formas que eles utilizam para encontrar emprego e tudo mais relacionado;

3 – Suas oportunidades serão proporcionais ao nível de conhecimento na língua italiana que você tiver, portanto estude, estude e estude!

4 – Em qualquer lugar do mundo, a forma mais fácil de conseguir um emprego é por indicação de amigos.

Isso significa que as chances de conseguir um bom emprego aumentará se você se integrar com a cultura italiana, tiver amigos italianos e procurar se envolver em atividades com as pessoas locais.

Gostou do artigo?

Então compartilhe esse post com seus amigos e ajude cada vez mais pessoas a se planejar melhor e serem bem-sucedidos(as) aqui na Italia.

Para acompanhar os demais artigos da série Emprego da Italia é só clicar aqui.

Um forte abraço e até em breve

  • Oscar Fantozzi

    Grande Fabio! Faz uma postagem sobre como é o curriculum italiano, estou indo pro bel paese em 2017 e sarebbe di grande aiuto! Grazie

  • Lari

    Olá Fábio, tenho acompanhado seu site e canal no youtube quem tem sido muito instrutivos em meu caso. Estou me preparando para estudar italiano ano que vem na Itália com o visto de estudos e posteriormente altera-lo para visto de trabalho, no entanto essa questão de trabalho me preocupa muito, tenho pesquisado sites de emprego alem estudar sobre a apostila de haia para validação de meu diploma de arquiteta, não me importo no entanto de não trabalhar na área de minha formação. Sobre os seu post onde você diz da forma de pensar diferente que o brasileiro deve possuir em outros paises me encaixo perfeitamente e talvez por isso esteja tão focada em me mudar do Brasil. Gostaria de saber se na sua opinião 4 meses de visto de estudo são suficientes para transforma-lo em um visto de trabalho na Itália, levando em consideração um diploma validado, cursos e experiencia na área de minha graduação.

  • Mario Fernando Boniati

    Fábio

    Como Italiano residente no Brasil a mais de 28 anos e com família aqui no Rio Grande do Sul, te pergunto o que a nossa querida Itália tem feito com os milhares de imigrantes Africanos, etc…. que estão chegando no nosso país?
    Tenho lido que em um único dia chegaram 4 mil e que o governo está pagando 500,00 euros para “ficarem” na Itália!!!
    Sinceramente então porque a Itália oferece cidadania aos descendentes – inclusive como você e outros milhões – distribuídos pelo mundo e depois também poderia a esses retornarem a Itália com ajuda? eu por exemplo – veja foto – estarei indo para Portugal em agosto!!!

    aguardo um retorno

    Grazie amico

    * se bem que sabes, aqui no sul, há milhares de Ítalos descendentes, que se a Itália ajudasse, retornariam para trabalhar e levar jovens (filhos) para um futuro melhor para todos!!!

  • Igor

    Fabio, bom dia!
    Sou militar no Brasil, como faço pra ser militar na Itália? Tanto forças armadas quanto polícia, também é concurso? Poderia me esclarecer essa dúvida? Obgd.

  • Ludmilla Gobatto

    Achei muito interessante Fábio! No texto você disse que queria dar um futuro melhor melhor para suas filhas, então vi que tenho uma brecha para tirar uma dúvida minha. Você levou suas filhas também para a Itália quando você foi tentar o reconhecimento da sua cidadania? Minha dúvida é se quando a mãe vai tentar o reconhecimento, e quer o reconhecimento para sua filha também, as duas podem ir para a Itália e entrar conjuntamente com o reconhecimento?

    • Olá Ludmila tudo bem? Não, as meninas ficaram no Brasil com a mãe delas, porém eu trouxe as respectivas certidões e elas foram reconhecidas automaticamente comigo no meu processo, pois eram menores. Abraços

      • Ludmilla Gobatto

        Muito obrigada Fábio! Esclareceu uma grande dúvida que eu tinha! Assim que eu conseguir reunir os documentos, entrarei em contato através da área vip.

  • Flaviana Martins Caffer

    Adorei o artigo Fábio, muito esclarecedor.

    Eu e meu companheiro Igor estamos planejando fazer o processo de cidadania e viver na Itália ou onde conseguirmos oportunidades para nos mantermos a partir de 2017. Estamos iniciando o processo da documentação, estudar a língua, economizar e adequar o estilo de vida para algo mais minimalista, já que não poderemos chegar na Itália e sair gastando as economias enquanto não estivermos estabilizados, o que pode demorar um pouco.

    Os nossos motivos para sair do Brasil é justamente procurar um lugar onde podemos trabalhar para viver com qualidade de vida, e não viver para trabalhar, escravos de um estilo de vida um pouco melhor.
    Além disso queremos viver novas experiências, nos adequar e aprender novas culturas, pessoas, sabores.

    Nunca morei fora antes, mas acho que o interessante de sair do país de origem é viver esse novo país. Quero ser além de brasileira, uma italiana, como minha 2º certidão dirá que sou.
    Penso que se for para continuar vivendo da mesma forma, continuo no Brasil.

  • Ótimo artigo! Concordo muito com a sua posição em relação à língua italiana. Independente de nacionalidade, se você está disposto a se mudar para um outro país, acho apropriado estar disposto a se comunicar da forma que as pessoas nesse país se comunicam. É uma questão de ter a mente aberta.

  • Pedro Montoro

    Como sempre um ótimo artigo! Parabéns!
    tenho uma pergunta: Já que não podemos trabalhar enquanto tramita o processo de cidadania, podemos então, realizar o processo de cidadania enquanto trabalhamos? (obviamente com um visto de trabalho)
    obrigado!

    • Olá Pedro sim, qualquer tipo de visto te dá direito a solicitar a residência e consequentemente solicitar o seu reconhecimento. Abraços

  • Estevão Busato

    Bom, curso de italiano já estou fazendo. Até que a coisa vem fluindo. Problema será a profissão. Como sou advogado aqui no Brasil, para poder trabalhar ai na Itália teria que descobrir como “validar” meu diploma. Vou ter que ver como fazer isso.

  • Fábio Ferreira

    Bom dia Fabio, não estou conseguindo baixar o Sagabook. Quando clico nele, fala que vou receber um e-mail para baixar… mas não chega nada. Sabe me falar o por que? Obrigado e parabéns pelos artigos.

    • Olá Fábio tudo bem? Dá uma olhadinha se não caiu na sua caixa de spam e se você usa o gmail, veja se não foi parar na aba “promoções” ok? Abraços

  • Green Tea

    Fábio, como funciona para morar na Itália trabalhando pela internet como freelancer para sites brasileiros?

  • EdenilsonD

    Olá Fabio,
    Bem legal como sempre. É o obvio que nós, muitas vezes, não percebemos. Realmente o grande segredo é o planejamento. Voce poderia me indicar se existe concurso público na Itália, e se sim, nós podemos concorrer às vagas?
    Muito obrigado.
    Att

  • Maria Laguardia

    Parabéns por mais um artigo maravilhoso Fábio!!! Estou me preparando para imigrar nesse outono, e acompanho todos os seus artigos e vídeos, que estão sendo de grande valor! Já sabendo que não posso trabalhar ate conseguir minha cidadania, sou publicitária, mas no primeiro momento estou me preparando p realizar trabalho autônomo na área da estética e aprendendo italiano, que acho essencial! Parabéns mais uma vez pelo seu trabalho e iniciativa única!

  • Francisco Chicao Billar

    Gostou desde artigo? Amei! Ainda mais que em breve estarei indo reconhecer a minha e também sou técnico em informática. Será que ainda tem espaço? Abraço e parabéns!

    • Leon Brunno Paese

      Gostei muito também e fiquei mais animado ainda, também sou “Tecnico Informatico” 😀

  • Eliana Maria Tambellini Scalvi

    Muito bom Fábio! Tenho o mesmo pensamento que vc, quero ir para a Itália como uma cidadã italiana completa, pensando, falando e vivendo como uma autêntica italiana que sei que sou… Não é nada producente ir morar num país pensando ser sempre um estrangeiro. Acredito que esta é a chave para uma vida melhor. Abraço.

  • Alexandre C.

    Fabio

    Acompanhando seus vídeos, site e tudo o que vc vem publicando eu e minha esposa estamos providenciando os documentos sobre a genealogia da família, para posteriormente entrar em contato com vc para iniciarmos o processo de cidadania meu e de minha esposa independente.
    Perguntas
    Eu e minha esposa (não somos casados civil) temos parentes em nossa linha genealógica que dariam direito a cidadania, claro que ainda não foram analisados os docs., diante do que venho acompanhando em suas publicações e videos, melhor iniciar com processos independentes?
    Pergunta:
    Ela é dentista e atua na área, existe a possibilidade de continuar atuando na Italia depois de conseguir a cidadania?
    Providenciando os documentos necessários sobre minha família e a de minha esposa, gostaria de entrar em contato para saber como iniciar os processos.

  • Tati Fidelis

    Oi Fábio,

    Queria ver contigo, se vc souber, se para trabalhar como analista de sistemas ai na Itália, já tendo especialização na área, é necessário fazer a legalização dos documentos de graduação e pós-graduação aqui antes de ir…
    Pois na minha área eu sei q precisa, e já estou fazendo (sou Psicologa Clínica), ja para a área do meu noivo, não achei a informação…
    Obrigada

    • Fabio Barbiero

      Olá Tati

      Não conheço especificamente os detalhes que você menciona.

      Abraços

  • Elaine

    Olá Fabio!

    Parabéns pelo blog! Não paro de ler….afinal estou pensando seriamente em me mudar pra Itália em fevereiro do ano que vem.
    Tenho cidadania, passaportes, tenho dois filhos pequenos (com cidadania) e meu marido deu entrada na cidadania dele faz quase 1 ano.
    Também queremos um futuro melhor para nossos filhos, por isso queremos tentar a vida aí. Tenho primos italianos, amigos brasileiros que estão ai e adoram, mas a minha área de de meu marido é de TI, análise e gerenciamento de sistemas, não sei como está aí, ah! Já estudei 2 anos de italiano, gosto muito.
    Só falta coragem mesmo de embarcar! Vi no título do blog dicas de currículo daí, mas não achei, você pode disponibilizar? Vou tentar fazer o reconhecimento de meu diploma por aqui também.

    Super obrigada!
    Abbraccio!

    • Fabio Barbiero

      Olá Elaine tudo bem?

      No Guia Prático da Vida na Italia disponibilizo três modelos de curriculum, incluindo o Europeu, dá uma olhada: http://www.minhasaga.org/guia

      Um grande abraço e boa leitura!

    • Alberto

      u não quero de forma alguma interferir na grande profissionalidade de Fabio. Mas, sendo italiano, gostaria de responder, esperando que isso seja útil. A TI (na italia se utiliza o termo ingles IT – Information Technology) é felizmente uma das areas mais animadas no dificil mercado do trabalho italiano.
      Milão, Turim e Roma, oferecem muitas oportunidades. Se vc tem real experienca comprovada, e inclusive, conhece bem o ingles, as posibilidades são reais. Dois “contras”: tem que conhecer o italiano, e a concorrência é feroz

      Aqui alguns anúncios de emprego em Milão, buscando IT system e IT sistemi

      http://cercalavoro.monster.it/lavoro/?q=IT-system&where=Milano__2C-Lombardia&cy=it

      http://cercalavoro.monster.it/lavoro/?q=IT-sistemi&where=Milano__2C-Lombardia&cy=it

  • Marcela

    Fabio, Tenho meu passaporte italiano, vivo no Brasil e estou prestes a ser contratada por 3 meses para fazer um filme na italia. O produtor disse que me faria um codice fiscale, o que significa que pagarei as taxas na italia, certo? Quanto se paga de imposto na italia?
    Orbigada
    Marcela

  • Rafael Italiano

    Melhor dica! Sem dúvida, uma valiosa informação de grande utilidade pública.

  • Ivan Pastre

    Fabio bom dia,

    Como faço para correr atrás da minha cidadania italiana, pois meus avós eram italianos legítimos que vieram da Itália? e voce sabe o custo desse processo?

  • Thiago Guimarães

    Boa noite, Saga

    Pelo que ando lendo em vários sites e blogs, é praticamente impossível eu conseguir um emprego na Itália. Pois:

    – Não tenho direito à cidadania europeia

    – Não há como encontrar um emprego na Itália a partir do Brasil, obtendo assim, um visto de trabalho

    – Entrando no site da Embaixada Italiana vi que não me encaixo em nenhum critério para conseguir o Permesso di Soggiorno

    – Trabalhar ilegal não é aconselhável

    Eu estou muito desgostoso com o Brasil e meu sonho desde muleque é viver e trabalhar na Itália. Sou daqueles que trabalhariam sem problemas como garçom, mensageiro, o que for.
    Faço faculdade aqui, mas não pretendo seguir com isso.
    Falo italiano fluentemente há alguns anos.

    Há alguma esperança no meu caso?

    • Olá Thiago tudo bem?

      Infelizmente sem um visto de trabalho nem perca seu tempo, pois trabalhar irregular não aconselhável em nenhum lugar do mundo…

      Abs

  • Olá Fran

    Acompanhe a sessão Emprego na Italia, hoje postarei um novo artigo e com isso você mesma poderá tirar as suas próprias conclusões.

    Só posso adiantar duas coisas:

    1 – O cidadão europeu adora reclamar, além de não saberem o que é realmente crise

    2 – Quem quer trabalhar e está preparado (língua e experiência) encontra trabalho em qualquer lugar, especialmente nos momentos de crise!!!

    Abs

  • Fran Dagostim

    Boa tarde Fábio,

    Me chamo Francine, já possuo a cidadania Italiana.
    A minha dúvida é o seguinte, tenho conhecidos e inclusive parentes na Itália, porém todos me dizem a mesma coisa, “não volta pra cá pois aqui está ruim de emprego”. Dai te pergunto, será que a crise está realmente tão ruim assim?
    Estou pensando em voltar pra Itália novamente, meu marido e eu precisamos oficializar a nossa união para que ele possa ter direito ao Permesso di Soggiorno, correto?
    Ele trabalha aqui no Brasil como inspetor de qualidade no ramo metalúrgico, e também tem experiencia em solda.
    Poderias me informar como está realmente o mercado de trabalho neste ramo por ai? Pois andei dando uma olhada nos sites das agencias ai e a primeira impressão que me deu foi de que neste ramo há falta de mão de obra.

    desde já Obrigada.

    Att,
    Francine

  • Adriano Donato Couto

    Hahaha.
    A parte do policial é muito engraçada.
    Muito interessante o post, Fábio! 🙂

  • Franco Alexandre

    Muito bom! Sugiro que faça um artigo sobre como montar um negócio próprio, tipo se tem um SEBRAE aí para auxiliar o pequeno empreendedor.
    Grazie!

  • Rosa De Santana Rodrigues

    Fábio, falou tudo!

  • Mayara Ramazzini

    Fábio,bom dia

    Quais são os empregos que faltam na Itália??
    Que tem empregos mas não tem mão de obra.

    Obrigada.