Buscando Documentos no Norte da Itália

Muitos me pedem para postar fotos dos comunes italianos em nossas andanças pela Itália. Resolvi atualizar este artigo, conservando as fotos originais que eu tirei durante uma destas andanças buscando documentos pela nossa querida Itália

Viajar ao norte é sempre uma aventura, por diversos motivos.

Além de rever e revisitar lugares que eu gosto muito, é também uma forma de conseguir mais micos pra minha longa carreira de Mr. Bean…

Porém desta vez para tentar minimizar os micos e principalmente para não errar tanto o caminho, optamos por comprar um navigatore satellitare.

Depois de pesquisar bastante, escolhemos e compramos um dos lançamentos da marca GARMIN, o Nuvi 1440T com tela de 5″ por apenas 149,00 euros na UNIEURO.

Além da tela maior, já vem também com o mapa da Europa pré-instalado, um excelente custo-beneficio!

Tudo preparado, malas feitas e lá fomos nós para mais uma aventura no norte da Itália: primeira parada:

ADRIA (PROVINCIA DE ROVIGO)

 

Chegamos em Adria logo cedo e logo a primeira surpresa: tomamos uma bronca épica em nome de todos os brasileiros e argentinos que escrevem ao comune.

Explico: assim que chegamos na cidade, fomos até o guichê de atendimento do ufficio di stato civile do comune.

Uma senhora nos atendeu e então solicitamos o documento que precisávamos.

Ela então começou a esbravejar que não seria possível nos dar aquele documento, pois somente naquele dia tinham chegado mais de 20 pedidos por email de brasileiros.

E por causa disso, teríamos que entrar na “fila” e aguardar que em torno de 3 meses chegaria nossa vez!

Eu – educadamente – disse a ela que não tinha absolutamente nada a ver com pedidos de outras pessoas, que tínhamos viajado mais de 300 quilômetros e que com todo respeito não sairíamos de lá sem o documento ao qual fomos buscar.

Ela então nos disse que a cada dia que se passa chegam mais pedidos e que o comune não tem condições de responder a todos num tempo decente…

Agora vem o meu puxão de orelhas aqueles que acompanham este blog e estão em busca do documento do antenato italiano:

JAMAIS, DE FORMA ALGUMA ESCREVAM A TODOS OS COMUNES DE UMA PROVINCIA QUANDO NÃO SABEM O COMUNE EXATO DE NASCIMENTO DO ANTENATO ITALIANO!

POIS ASSIM COMO VOCÊ, MILHARES DE OUTRAS PESSOAS FAZEM EXATAMENTE A MESMA COISA, ENTUPINDO OS COMUNES DE PEDIDOS E ATRAPALHANDO O FUNCIONAMENTO NORMAL DAS PESQUISAS!

Existem outros métodos mais eficientes, aqui mesmo em nosso blog eu cansei de explicar como fazer isso:

  • pode ser através dos Archivi di Stato;
  • das cúrias;
  • dos Registros de Entradas no Brasil e Argentina

Enfim existem métodos mais eficientes do que simplesmente escrever para todos os comunes!

SALETTO (PROVINCIA DE PADOVA)

Luluzinha com o documento nas mãos 🙂

Saindo de Adria, ainda na parte da manhã rumamos à Saletto, uma pequena cidade de 3000 habitantes na provincia de Padova.

Na semana anterior à nossa ida, o Veneto foi muito castigado pelas chuvas, e Saletto foi uma destas cidades que passaram maus bocados.

O sistema informático do comune ia e vinha, as linhas telefônicas não estavam funcionando direito, um verdadeiro caos…

Mas com paciência e ajudando a oficial, saimos de lá com mais um documento em mãos, prontos para o próximo destino: não sem antes passar num local mais do que especial: a cidade natal do meu antenato italiano!

LOZZO ATESTINO (PROVINCIA DE PADOVA)


Eu sempre dou um jeito de passar na “cidade do nonno” quando vou ao norte…

Desta vez não foi diferente, pois nossa próxima parada seria numa cidade próxima a Treviso e o comune abriria apenas à tarde, portanto matamos um pouco do tempo nas terras onde meu querido Giordano Barbiero nasceu.

Aproveitei para ir pela “enésima” vez ao comune e desta vez peguei a certidao de casamento do meu nonno com minha nonna para guardar com carinho junto com os outros documentos da Minha Saga rsrsrs

CANEVA (PROVINCIA DE PORDENONE)

Buscando Documentos

Saindo de Lozzo fomos à Caneva.

Seria a primeira vez que eu iria à provincia de Pordenone.

Lá tínhamos duas etapas: ir ao comune solicitar a certidão de casamento e ir à igreja buscar o certificado de batismo para o cliente.

Fomos primeiro à igreja e pela primeira vez ouvi o sotaque da região, logo com o padre que nos atendeu.

Aliás, uma gentileza só!

Nos convidou para entrar e em poucos minutos tinha preparado duas certidões.

O que mais me impressionou foi a organização do padre: gabinete impecável, mesa limpa, cheguei até a brincar com ele, perguntando como é que ele conseguia ser tão organizado!

Ele respondeu que eram “ossos do oficio” rs

Passamos no comune e desta vez a gentileza não foi tao grande: entre resmungos o oficial nos deu as duas cópias do documento, e com o dia já praticamente acabando tínhamos que decidir onde passaríamos a noite.

Pois é, ainda não tínhamos a menor ideia de onde iriamos dormir e depois de algumas alternativas escolhemos dormir na cidade de Vittorio Veneto, pois no dia seguinte teríamos que ir na cúria.

VITTORIO VENETO (PROVINCIA DE TREVISO)

Chegamos em Vittorio Veneto num frio de lascar!

Dois graus e lá fomos nós procurar um hotel ou qualquer coisa do gênero.

Paramos numa sorveteria e descobrimos que além de atendente o rapaz era praticamente um guia turístico da cidade!

Bastou eu pedir uma ideia sobre onde dormir e ele nos deu várias oportunidades, explicando como chegar, onde ir e tudo mais.

Escolhemos então dormir num hotel chamado Fratte, que fica a poucos quilômetros do centro da cidade.

O MICO

O dia passou sem maiores problemas ou complicações: o que significa nenhum mico!

Mas é claro que eu não consigo passar um único dia sem fazer besteira e quando pensávamos que aquele dia seria o primeiro, eis que chega o momento!

E não poderia ser pior: no restaurante do hotel.

O Mr. Bean aqui – morrendo de fome – chegou, tomou banho e aproveitando que o hotel também era restaurante, descemos para jantar.

Depois de não entender absolutamente nada do que a atendente nos disse, já que ela falou em dialeto local, perguntei o que ela tinha de mais tipico daquela região.

Ela explicou algo que parecia ser o primo piatto e algo que parecia ser o secondo piatto.

E foi este que escolhi…

Pois bem, eis que chega o primo piatto: uma pasta ao molho de uma carne deliciosa, que imagino ser coelho ou algo do gênero.

Até ai tudo lindo: uma delicia!

Logo depois chega o secondo piatto.

A Lu recebeu uma bela bisteca grelhada e eu recebi… uma bela e formosa porção de TRIPA!

Eu nunca tinha comido e sequer sentido o cheiro.

Imaginem minha cara quando a funcionária – entre sorriso – deita o prato na mesa:

– Sr. Fabio, eis o seu prato: la nostra trippa!

Eu confesso que fui guerreiro, e entre goles de vino rosso ainda consegui comer alguma coisa do prato, tentando não fazer feio.

Mas não dava, o cheiro daquele prato era muito forte e eu já estava procurando o vaso de plantas para poder jogar o resto 🙂

Enquanto isso, a Lu estava lá, chorando de rir…

Depois de terminar com o vinho, com todo o pão da mesa, e ainda um pedaço da bisteca da Luciana, subimos para dormir, pois o dia seguinte seria também corrido.

CURIA VESCOVILE (VITTORIO VENETO)

Logo cedo fomos à cúria para reconhecer a assinatura do padre lá da cidade de Caneva.

Fizemos tudo e aproveitamos para tomar nosso café da manhã num local bastante agradável e bem pertinho da cúria.

Ainda pensando no prato da noite anterior não comi nada, fiquei apenas no cappuccino enquanto a Lu se deliciava com uma pasta com um creme que parecia realmente muito bom!

Terminamos todos os procedimentos necessários e lá fomos nós para mais uma viagem.

FONZASO e LAMON (PROVINCIA DE BELLUNO)

Comune de Fonzaso
Comune de Lamon

Em Fonzaso tivemos uma relação de amor e ódio.

Comecemos pelo ódio: quando chegamos ao comune, só não fomos destratados porque soubemos nos impor!

A oficial começou com o mesmo discurso de sempre: que tinha uma enorme quantidade de pedidos e por isso a “falta de tempo” em responder os pedidos.

Já calejados de tanto trabalhar com isso, também fizemos o nosso discurso:

Entendíamos que realmente muita gente não tem noção e escreve para todos os comunes, também não compactuamos com isso e tal.

Porém, nós estávamos ali com tudo certinho, com as informações corretas e não sairíamos de lá sem o documento necessário.

Porém, mesmo com tudo certinho, a oficial pegou o livro e nos mostrou que realmente a pessoa que estávamos procurando não estava nos registros.

Saímos do comune e resolvemos ir até a igreja, depois de uma “intuição” da Luciana.

E ela não poderia estar mais certa: o antenato tinha nascido dez anos antes do a informação que o cliente tinha nos passado, e por este motivo jamais estaria no comune.

Daí começou a relação de amor: o padre era simplesmente um amor de pessoa!

Conversamos sobre o Brasil, sobre a Itália, ele nos deixou até fotografar o livro de batismo e no final ainda ganhei dois beijos dele e sai de lá mais do que feliz 🙂

Foto do livro de batismo em Fonzaso

Voltamos ao comune e pedimos à oficial para desconsiderar nosso pedido, pois já tínhamos encontrado o documento na igreja.

Dai ganhamos a simpatia dela também, finalmente!

Passamos também em Lamon que ficava a poucos quilômetros de lá e também tudo certo: mais um documento em mãos, em meio a desculpas do oficial por não ter nos mandado antes, mas realmente não tinha tido tempo, etc e tal…

ULTIMA PARADA – PERGINE VALSUGANA (PROVINCIA DE TRENTO)

Pergine Valsugana

Outra região que eu não conhecia e tive o prazer de conhecer.

A região de Trento é realmente belissima, cercada de montanhas e nesta época do ano coberta também de neve, como vocês podem ver na foto abaixo:

 

A cidade de Pergine é uma belezinha – como diria a Léia (mae da Luciana).

Além de ser super charmosa, estava toda pronta para receber o Natal, com as ruas enfeitadas e tudo mais.

Chegamos na igreja mas o padre não estava: tinha ido celebrar um funeral.

A secretária nos disse que se quiséssemos ela prepararia o documento e no final do dia o padre estaria de volta e poderíamos retornar.

Aproveitamos a deixa e fomos conhecer a capital da provincia: a cidade de Trento

TRENTO – (PROVINCIA DE TRENTO)

Simplesmente maravilhosa.

Quem não foi deve ir: Trento é muito bacana.

É aquele tipo de cidade que eu adoro – grande e pequena ao mesmo tempo, não sei explicar só estando lá pra entender.

A primeira coisa que vimos quando chegamos foi um majestoso castelo chamado Castello del Buonconsiglio

 

E mais uma belíssima supresa: o tradicionalíssimo Mercatino di Natale de Trento – um dos mais famosos da Itália.

Ali saboreamos o famoso Strudel trentino (acertei desta vez na escolha da comida) e bebemos o Vin Brulè, que no Brasil é conhecido como vinho quente, ótimo no inverno…

Todas as fotos que fizemos desta viagem podem ser vistas em meu album no Flickr, basta clicar aqui para conferir estas e outras fotos que fiz pelo mundo afora…

Agora, o saldo da nossa viagem ao norte:

  • 5 provincias visitadas (Rovigo, Padova, Pordenone, Belluno, Trento);
  • 1008 quilômetros percorridos;
  • 306 fotos tiradas;
  • 8 documentos em mãos;
  • 1 prato de tripa.

Como não ser apaixonado pela vida?

Eu tenho um trabalho que me dá a oportunidade de conhecer culturas e locais maravilhosos, uma namorada e sócia linda, clientes e amigos sensacionais que confiam em nosso trabalho e nos dão a oportunidade de compartilhar os próprios sonhos.

Enfim eu só tenho a agradecer por tudo isso…

Obrigado, obrigado, muito obrigado!

  • Viviane

    Minha bisavó nasceu em Fonzaso. Se o envio de e-mail deve ser evitado como obtenho a certidão dela? Nome: Maria Zanoni, nasc: 03/05/1862 filha de Santo e Maria Domênica Bartelli. No ano de 1862 era apenas a certidão de batismo, correto?

  • Bárbara Gual

    Olá Fábio! Estou acompanhando seu blog porque quero tirar minha cidadania italiana e vi várias dica por aqui! Estou com dúvida se realmente sou apta a tirar a cidadania. Sou bisneta de avó italiana. Minha árvore genealógica é formada assim: Antenato – Bisavó nascida em Auleta em 1896. Ela casou-se no Brasil (marido espanhol) / Meu avô nasceu no Brasil em 1927 / Meu pai nasceu no Brasil em 1958 e eu também nasci no brasil em 1989. Neste caso, eu tenho direito a cidadania? Me falaram sobre a possibilidade de conseguir a cidadania via processo judicial. Sabe me informar se é apenas através desse processo? Não poderia ir diretamente à Itália com as certidões legalizadas? O fato do antenato ser mulher enquadra na lei de 1948? Desde já agradeço! Abraço!

  • Sara De Jesus Vessoni

    Boa Tarde, sou a Sara de SP, estou com uma seria dificuldade em localizar a certidão de obito do meu Trisavô o italiano. Já fui em todo os lugares possíveis que ele tenha falecido e não achei nada, e os únicos dados que tenho no momento é o ano do nascimento que foi 1863 nome dos pais Sante Vezzoni e Barbara Pesseni e o nome dos filhos. Se não achar a certidão de. Óbito ou se até mesmo ocorra de não existir a certidão. O que eu faço? Obrigado Boa tarde todos.

  • Luiz Marchesini

    Oi pessoal gostaria de dizer que acabei de terminar o excelente curso de formação profissional em busca de documentos italianos ministrados pelo Fabio, com mestria, em que ele praticamente nos ensinou tudo, nos tornando aptos a iniciar este trabalho profissionalmente. Em agosto de 2017 estarei indo para a Itália para buscar documentos no norte da Itália para os meus primeiros clientes. Caso alguém se interesse também, que eu busque documentos para dar início ao processo de cidadania italiana, me coloco á disposição. luizmarchesini@gmail.com Grazie. E obrigado Fábio pela excelente oportunidade de formação durante estes meses todos em nosso curso. Arrivederci!

  • tiago

    Olá Fabio, td bem?…meu nome é Tiago, e eu já possuo a certidão de batismo do meu antenato, porém agora vou precisar dela apostilada, vc faz esse serviço?a parrocchia fica em Verona…. se fizer, por gentileza poderia me passar o orçamento no meu e-mail? tiagostg@gmail.com . Muito obrigado

  • Stanley Savoretti de Souza

    Fábio, bom dia. Parabéns pelo trabalho. Veja minha situação. Tenho todas as certidões para o processo via consulado, faltando-me apenas uma certidão. A história é a seguinte: Domenico nasceu em Fregona Treviso em 1829. Casou-se em 1870 em Pieve de Cadore, Belluno. Teve um filho, Luigi, em 1873, nascido na Áustria. Vi que, à época, houve um processo migratório de venetos e friulanos para o império austro-hungaro para a construção de ferrovias: em um registro, o Domenico é qualificado como ferroviário. A família migrou para o Brasil, onde Luigi se casou e teve um filho. A questão é a seguinte. A cidadania será requerida por meio do Domenico. Tenho as certidões dele. Ocorre que, antes de virem para o Brasil, a família residiu de 1873 a 1881 em Vittorio Veneto e de 1881 a 1889 em Fregona. Consegui um atestado em Fregona, com base em livros da Anagrafe, que diz que Luigi era filho de Domenico e Rachele, nascido em 23/02/1873, na Áustria. Não fala a cidade. Questionando o Comune, disseram-me que a informação foi passada pelo Comune de Vittorio Veneto. Questionando Vittorio Veneto, disseram que não tem nada. Desta forma, não consegui localizar o registro de nascimento do Luigi. Pedi a busca na “parte II” dos livros de nascimento dos dois comuni, para ver se havia a transcrição do nascimento/batismo na Áustria, mas nada. No casamento dele no Brasil consta que ele era italiano. A meu ver, era mesmo, uma vez que era filho de pai italiano. Minha pergunta: tendo em vista que não consegui obter a certidão de nascimento do Luigi e, face ao processo se fundar no Domenico, há alguma alternativa legal para o caso? A meu ver, as certidões do requerente ao antenato italiano servem para comprovar a filiação. Desta forma, o atestado (oficial) do comune de Fregona, terra natal do Domenico, não seria suficiente para comprovar a filiação do Luigi? Pensei em fazer o processo na Itália, no comune de Fregona, para ver o que dá, mas tenho receio de gastar dinheiro e eles negarem. Cabe recurso a uma possível resposta negativa? Obrigado.

  • Igor Passamani

    Olá Fábio! Boa tarde!
    Pode gravar um vídeo ou me ajudar com informações sobre as restrições para as famílias da região de Trento (San Bovo). Família Sperandio (Giacomo Sperandio). Gostaria de conversar melhor sobre o assunto e se houver possibilidade de cidadania contratar os seus serviços. Seguem os meus contatos (Igor Alfredo Passamani e-mail: igorapassamani@gmail.com). Desde já, obrigado! Abraço!

    • Olá Igor no nosso canal no Youtube tem um vídeo onde eu explico sobre a impossibilidade da cidadania trentina, procure por “problemas” lá no canal, ok? Abraços

  • Tatiana

    Olá Fábio. Agradeço por todas as informações que você compartilha conosco, tem me ajudado bastante.
    Gostaria de tirar uma dúvida. Entrei em contato com a paróquia que meu tataravô foi batizado e com o comune em que minha tataravó nasceu e ambou me enviaram por email o certificato di battesimo e o estratto di nascita, respectivamente. O Certificado de batismo que me enviaram por email inclusive veio acompanhado de uma foto da página antiga do livro e tem o carimbo e assinatura do Pároco, mas é um documento digitalizado. Quando ao estratto di nascita, além do email me enviaram para o meu endereço no Brasil, com assinatura e carimbo do Oficial, mas não sei se é inteiro teor.
    Não consegui encontrar qual é o formato desses documentos que é aceito. Também não consegui descobrir como pedir um original autenticado, se isso é preciso e possível. Agradeço por qualquer informação que puder me passar.
    Parabéns pelo trabalho e obrigada. Tatiana

  • Guilherme

    Fábio, Parabéns pelo Site e pelo texto. Estou com um problema semelhante: já enviei carta e e-mails para o Comune de Ferrara solicitando uma certidão de nascimento e não tenho retorno. Eu tenho a certidão escaneada, mas preciso da original. O que devo fazer? Abs

    • Luiz Marchesini

      Oi Guilherme gostaria de dizer que acabei de terminar o excelente curso de formação profissional em busca de documentos italianos ministrados pelo Fabio, com mestria, em que ele praticamente nos ensinou tudo, nos tornando aptos a iniciar este trabalho profissionalmente. Em agosto estarei indo para a Itália para buscar documentos no norte da Itália para os meus primeiros clientes. Caso alguém se interesse também, que eu busque documentos para dar início ao processo de cidadania italiana, me coloco á disposição. luizmarchesini@gmail.com Grazie. E obrigado Fábio pela excelente oportunidade de formação durante estes meses todos em nosso curso. Arrivederci!

  • Géris Lopes Consalter

    Olá Fábio, Fantástico esse relato! Muito bom! Uma verdadeira aula de cidadania italiana! Parabéns!!

  • Rubem Janoni

    Olá Fábio!
    Recentemente descobri a comune de meu antepassado, recebi inclusive uma cópia de seu Certificato di nascita, agora o próximo passo será correr atrás das certidões aqui do Brasil, e aí surgiram algumas dúvidas:

    1- As certidões atualmente não precisam mais ser legalizadas junto ao ERESP ou MRE, basta que seja feito o apostilamento no próprio cartório, correto? Procede?

    2- A certidão original em inteiro teor do italiano, que se encontra na comune, pode ser solicitada daqui do Brasil? Eles enviam?

    3- Qual o custo hoje do processo diretamente na Itália?

    • Alexandre Rafagnin

      1- Procede, é isso mesmo. Só tome cuidado com o cartório em que vai fazer o apostilamento, pesquise bem os preços e prazos antes. Em Curitiba me pediram 90 reais por certidão e 15 dias pra entregar os documentos, em Florianópolis me cobraram 30 reais e fizeram em 2 dias. Ah, quando solicitar as certidões dos seus familiares nos cartórios já peça para vir com a assinatura do Tabelião reconhecida. caso contrário é mais tempo e mais dor de cabeça pro cartório que for apostilar.

      3- Se fizer o processo por conta própria, quase zero!!. Vai ter que gastar cerca de 150 euro com o Permesso di Soggiorno e 16 euro com uma marca da bollo pra entregar os documentos no comune, mas fora isso, nenhuma taxa a pagar.
      Claro que tem sempre despesas de transporte/moradia/alimentação/etc, mas aí já vai muito de pessoa pra pessoa e do local onde se está fazendo a cidadania.

      • Rubem Janoni

        Alexandre, muito obrigado pela orientação, mas surgiram agora outras dúvidas…

        Primeiramente, eu pretendia montar todo o processo pra então entregar à algum advogado de lá, mas realmente os custos são muito altos, mas de que outra forma eu poderia fazer, se o governo exige residência fixa na Itália?? Aí você comentou sobre Permesso di Soggiorno, do que trata? Como funciona?

        Outra questão, faz diferença eu dar entrada no processo na própria comune onde se encontra a certidão do italiano??

        • Alexandre Rafagnin

          Mesmo se vc juntar todos os documentos e entregar pra alguém fazer a parte burocrática pra ti, vc necessariamente precisa fixar residência na Itália pra poder começar o processo, de qualquer forma vc precisará sair do Brasil e vir morar aqui por um tempo.

          Você tem 90 dias pra ficar como turista nos países da União Europeia sem precisar nenhum tipo de visto, nesse tempo vc tem que fixar residência e começar o processo. Se o seu processo não for concluído nesses 90 dias (muito provável que não seja) vc precisa solicitar ao governo italiano um Permesso di Soggiorno (literalmente uma permissão de estadia) especial pra quem vem fazer reconhecimento de cidadania (tem tudo esmiuçado aqui no blog).

          Eu não posso afirmar com 100% de certeza, mas acho que não faz diferença se vc fizer em outro Comune, eu pelo menos estou fazendo e não tem nenhuma complicação quanto a isso.

          Conversei com um cara que ajuda brasileiros a fazer cidadania, ele queria 3500 euro pra fazer o processo, teria que vir pra Itália 15 dias pra iniciar o processo é depois mais 15 dias pra finalizar, ele dava assessoria, transporte (fora as passagens de avião) e moradia. Acho que o Fabio tbm faz esse tipo de serviço.

          Eu sugiro fortemente comprar o Guia Prático da Vida na Itália, eu comprei e tudo que eu precisava saber da cidadania e da vida aqui tava no livro, não precisei pagar ninguém pra fazer o processo aqui (até mesmo pq não é complicado), certamente isso me economizou muito dinheiro.

          • Rubem Janoni

            Realmente terei que ir á Itália, não tem outra alternativa, porém não pretendo ficar até o final do processo, tenho um parente morando em Portugal, então pensei em dar entrada no processo e passar uns tempos na casa dele até concluir o processo… Nesse caso não precisaria do Permesso , certo? Outra dúvida, tenhos irmãos e uma filha de 8 anos, caso estes venham a requerer a cidadania, terão que fazer exatamente o mesmo processo? Não podendo aproveitar NADA do meu processo? Penso que uma vez adquirida a minha cidadania, meus irmãos e filha poderiam comprovar apenas com suas certidões de nascimento…

          • Alexandre Rafagnin

            Eu acho que vc vai precisar do permesso de qualquer forma, se não for aqui vai ser em Portugal, por que muito provavelmente vc vai ter que ficar mais de 90 dias dentro do território da União Europeia.
            Se não me engano tem até alguns relatos de casos aqui no Blog de pessoas que vieram com a documentação 100% e foram negadas, tiveram que tentar em outro Comune, o Fabio até escreveu um artigo recentemente sobre os piores comunes pra tentar a cidadania. Eu estou fazendo num comune pequeno em Friuli-Venezia-Giulia e está sendo muito tranquilo, até as diferenças de nome nas certidões (Pietro-Pedro, Giuseppe-José) foram adiante sem problemas, a pessoa responsável analisou e disse que dava pra reconhecer que eram as mesmas pessoas.
            Sobre aproveitar os documentos, acho que depende do comune. Se os seus familiares fizerem no mesmo comune que vc fez, muito provável que consiga aproveitar a documentação, se for em outros comunes pode haver alguma complicação. Aqui, pelo menos, a pessoa responsável me disse que pra fazer a cidadania da minha irmã basta trazer as certidões dela e juntar no meu processo.

          • Rubem Janoni

            Outra questão, caso a documentação esteja toda certinha, 100%, ainda assim pode ser negada? Ou entregando tudo certo, nos conformes é garantido?

          • Iris Almeida

            Oi desculpe a intromissão..Eu moro na Itália a 7 anos,meu filho de 19 anos,tem direito a cidadania por parte do avô,já reuniu tds os documentos,e não traduzimos lá no brasil,eu disse pra trazer td e aqui traduziremos num tradutor juramentado…detalhe ele chega agora Dia 6/4 … terei problemas com traduções aqui???…agradeço a atenção.

          • Olá Iris se todos os originais brasileiros estiverem apostilados, então não tem problema traduzir aqui, o problema serão os custos desta tradução, ok? Abraços

      • Rubem Janoni

        Oi Alexandre, me tira mais essa dúvida por favor… No meu caso, tenho bisavô e bisavó italianos, já sei quais certidões devo juntar, porém surgiu a dúvida: Eu devo providenciar as certidões de nascimento e casamento do Bisavô / Avô / Pai / Filho (Eu). Ou teria que providenciar também das mulheres da linha? Por exemplo: Bisavó / Avó / Mãe ? Basta a linha paterna, ou seria ambos?

  • Betina Bicudo

    Olá, Fábio! Que fabuloso poder passear junto com você nestas fotos! Só faz aumentar minha vontade de viver na Itália, apesar de todos comentários que ouço dizendo da crise aí! Vamos e venhamos, crise por crise, sou mais Itália! Sou muito grata por você ter compartilhado estas fotos!

  • marcelo luiz

    Fabio lindas fotos me faz pensar qual lugar desses meu bisavó veio toca la no coração peso a deus que me este privilegio.

  • Ronaldo Belló

    Oi Fabio, obrigado por todas as informações!!
    Minha dúvida é esta: estou ciente que documentos eclesiásticos anteriores a 01/01/1889 são aceitos no processo. Meu bisavô nasceu em 24/03/1889 e eu tenho apenas seu batismo, a certidão não está em nenhum cartório da região. O que complica um pouco é que na habilitação do seu casamento foi dado um atestato escrito por seu pai dizendo que ele havia nascido em 24/03/1887..!
    Existe alguma chance ou maneira de fazer o batismo ser aceito, como por exemplo apresentando a certidão negativa dos cartórios ou este atestado?

  • Leandro

    Fabio, che divertente! Por acaso tens aí alguma aventura pela província de Chieti? Já vi algo da região de Abruzzo, mas não sei ao certo por onde andou em específico.

  • Fabricio Casarin

    Olá Fábio. Che fortunato! No Comune di Fonzaso deve ter falado com a Sra Bertelle. Consegui meu documento com ela ano passado apenas conversando por e-mail e não tive problemas, talvez estivesse num dia pouco bom. Abraccio.

    • Ernani Zão

      Fabricio, tudo beleza? Você se recorda do email que solicitou? Tenho uma cópia de uma certidão de fonzaso emitida em 2006, mas apenas digital e algumas partes estão muito boas. Gostaria de solicitar outra via, mas até agora não obtive retorno por email! Abraço

      • Fabricio Casarin

        Olá Ernani.Solicitei direto para a anagafe no email anagrafe.fonzaso@feltrino.bl.it. Após uns 10 dias nao tive resposta, entao enviei um outro pedindo se tinham recebido e me disseram q qdo estivesse pronta a certidao, avisariam para enviar por 5 euro ao Brasil ou sem custo para algum lugar da italia. Demorou uns 30 dias para enviarem.

        • Ernani Zão

          Putz que bom, então enviei para o email correto! Muito obrigado pela resposta Fabricio, um abraço.

  • Adriana Beretta Longo

    Que bacana compartilhar tudo isso, Fábio. Apesar de não o conhecer pessoalmente, de tanto acompanhar seus vídeos e blog, é como se você fosse meu amigo antigo, mesmo que você não saiba, rs.

  • Adriana Gianni

    Olá Fabio, ótimo Post , explicativo. Gostaria de saber o seguinte, qdo pedimos ao Comune a certidão de nascimento e ele envia o casamento e óbito também que já foram transcritos, estes valem para cidadania na Itália, não preciso tirar as certidões no Brasil e traduzildas??? Obrigada. Abraços

  • Renato Carlos Pavanelli

    Fábio. Bom dia. Mais Uma Vez Surpreendendo e Ensinando.
    Explico: Além de Mostrar as Belas Imagens, na descrição da Saga nas Viagens e Atendimentos nas Comunes também é um aprendizado, eu diria, faz complemento com os roteiros de suas aulas.
    Agora, por coincidência, eu e meu sobrinho, fomos à Igreja de Papozze com a Intenção de Falar com o Padre, o qual, estava no final de Uma Missa. Ao final dessa, falamos com o Padre, ele, informou que tinha que ir a um Funeral encomendar o Corpo, comentamos sobre a nossa distância e dificuldades, e, ai Veio a Nossa Surpresa, nos levou a uma grande sala, mostrou a prateleira muito bem organizada, com livros antigos e enormes, disse que fizéssemos as buscas, tirássemos a foto de nosso interesse, devolvesse os livros no mesmo lugar, e quando terminássemos ao sair batêssemos a por lateral da Igreja. Que confiança não é? Especialmente quando duas pessoas estranhas ali estavam. (A pícola Papozze, hoje deve ter em torno de 1.741 Habitantes Wikipédia).

    Obrigado, Abraço, Renato.

  • cleonice

    boa noite fabio conheci seu blog no youtube e achei muito bom o que fez, por favor gostaria de saber como faço para pedir o certidao de batismo do meu tataravo e graças ao seu trabalho vi que é na igreja que solicito devido a data de nascimento dele 20/061862 e por ser em vittorio veneto, achei so um email e enviei mas faz algum tempo e como nao obtive resposta gostaria que me orientasse onde mandar mais email ou cartas desde ja agradeço a atençao obrigada cleonice email: nice_fitnes@hotmail.com

  • Olá Andreas tudo bem?

    Seja bem vindo! Não conheço aquela região para dar entrada, apenas os conheço porque já realizei muitas buscas de documentos por lá. Abraços

  • Thais Bianchini

    Boa tarde, como faço para achar a certidão de nascimento de meu tataravô, sendo que as informações que tenho é que ele veio de Rovigo e sua data de nascimento seria 13/03/1888? Obrigada, Thais

  • Lais Barbiero

    Bom dia Fábio!

    Vi através deste artigo que você possui num nonno italiano que reside em Lozzo Atestino.
    Meu tataravô, chamava-se Gervasio Barbiero, nascido em 07-09-1871 em Lozzo.
    Estou a procura da certidão de batismo dele, mas, não recebi respostas das paróquias onde pode estar este documento.

    Existe algum parentesco entre seu Italiano e o meu?

    • Olá Lais

      O registro em Lozzo iniciou em 01.09.1871 portanto você pode entrar em contato direto com o ufficio di stato civile e pedir o estratto di nascita, ok? Abs

  • FABIO

    BOA TARDE FABIO,

    COMO CONSIGO ENTRAR EM CONTACTO CONTIGO. FICO NO AGUARDO
    ABRAÇO

    fABIO

    • Olá Fabio

      Clique na parte superior do blog “Fale Conosco” e escolha a opção indicada. Abs

  • Boa Tarde Fabio!

    Meu nome é Paulo, sou descendente dos Toigo de Fonzaso e estou indo para a Itália na próxima semana.

    Cara, vocês conversaram com o Parrocco (Padre) Don Alberto Vallotto?

    Estou indo buscar a documentação do meu tatatataravô Amedeo Toigo, que veio para o Brasil e estabeleceu residência em Caxias.

    Vc poderia me dar umas dicas, por favor? Tem lugar para ficar/Dormir em Fonzaso? Como funciona o Transporte de Trento para Fonzaso e Vice-Versa?

    Meu e-mail para contato é: atpaulo@yahoo.com.br.

    Muito Obrigado!

    Paulo A. de T. Alves

  • Oi Adriana

    Boa idéia, depois me conte o que achou de Paris, ainda nao conheço mas sempre ouço falar bem rsrs

    Abs e uma òtima viagem!!!

  • Ciao Renato

    Grazie, altrettanto!!!

  • OI!
    OBRIGADO PELA DICA DO TREM para Paris
    acabamos decidindo voar até Paris direto, depois de Roma vamos a Milão de trem, então deve ser mais fácil
    vou conhecer teu blog e volto aqui
    abraços
    Adriana Dias

  • Renato Azevedo

    Valeu Saga!!! Um “bon natale” pra você!!!

  • Ciao Renato

    Quando voce faz seu reconhecimento pelo consulado italiano no Brasil, no final da cidadania recebe uma carta dizendo: – Sua cidadania italiana foi reconhecida e sua certidao de nascimento foi enviada ao comune de nascimento do seu antenato italiano. Caso queira agende um horàrio neste consulado para fazer seu passaporte italiano!

    Nos consulados italianos no Brasil, nao sabe-se porque mas eles nao fazem a carta d’identità italiana, assim como outros consulados italianos no mundo o fazem (Alemanha, Espanha, Inglaterra, etc).

    Jà aqui na Itàlia, quando termina seu processo, voce pode fazer a carta d’identità italiana e também o passaporte.

    Uma vez que voce tenha feito seu reconhecimento no Brasil, pode vir à Italia e caso queira viver aqui, voce pode alugar uma casa e fixar sua residencia. No momento que o vigile confirma sua residencia, voce pode entao solicitar sua carta d’identità, pois serà residente. Além disso poderà fazer também a tessera sanitària e codice fiscale, que sao documentos de saude e fiscal – respectivamente, entendeu???

    Abs e uma òtima semana!!!

  • Ola Anonimo tudo bem???

    Depende: se no comune onde voce està fazendo seu processo é necessàrio assinar os livros de registro de nascimento e casamento voce deverà retornar, pois enquanto isso nao for feito vc nao conseguirà os documentos. Se nao for necessàrio, voce pode fazer uma dellega (autorizaçao) e outra pessoa pega pra voce os documentos. Abs

  • Renato Azevedo

    Olá Fábio, tudo bem? Fábio, saberia me dizer quais as diferenças entre as duas formas de cidadania vivendo na Itália? Vi na internet que fazendo no Brasil não permite fazer a carteira de identidade italiana, somente o passaporte. Isso tem tem implicações para se viver aí? Digo diferenças “jurídicas”, como trabalho, estudo, compra de carro e tudo mais….
    Abraço Fábio!!!

  • Anonymous

    olá Saga,

    Acabei de ler o post, caso queiram para as próximas certidões eu tenho o celular do Paroco, Don Francesco Micheli,(ele responde rapidíssimo via sms), ele é responsável pelos arquivos de algumas paróquias em Pergine Valsugana, TN, entre elas a San Vito. Deixo o meu e mail para ctt. mirelafumagalli@hotmail.com

    um abraço.

  • Anonymous

    Oi Fabio, estou com uma duvida. Ja assinei minha non rinuncia, agora estou esperando a trasncricao dos meus documentos (meu nascimento, meu casamento e nascimento dos meu filhos). Acabei de receber uma noticia ruim do Brasil e vou precisar voltar em 2 dias pra lá. Nao posso esperar a transcricao e nao vou poder fazer a minha identidade. Nao sei quando vou poder voltar. A minha duvida é a seguinte: Alguem pode pegar esses documentos por mim?? Meu casamento e nascimentos e certificado de cidadania???? Se eu deixar alguem autorizado??? Mesmo eu nao tendo ainda feito minha identidade italiana???? Valeu

  • Ola Jose

    Tudo depende do conjunto de erros e também do comune onde voce vai fazer sua pràtica. Eu conheço comunes que aceitam alguns erros e outros nao, porém quando existem “muitos poucos erros” isso pode ser um problema entendeu? E abrasileiramento nao é considerado erro: é normal Giuseppe virar Jose, Giovvani virar Joao e assim por diante, ok??

    Forte abraço!!!

  • Ciao Franco

    La trippa è una pietanza troppo particolare, secondo me che quello che la mangiano lo fanno da sempre. Meno male ho imparato: cercherò di “assaggiare” prima di ordinare rsrsrs.

    Sulla burocrazia é normale: ci sono persone sempre disponibile e ci sono quelli che quando arriva qualcuno nel suo ufficio male male alza gli occhi sopra la Gazetta dello Sport…

    Ti saluto e spero un giorno riuscire a scrivere in italiano cosi come lo fai benissimo nel tuo blog!!!

    Um abraço!!!

  • Ola Val

    A minha é uma SAMSUNG NV100 HD, realmente é òtima!!!

    Abs e fique sempre conosco 🙂

  • José

    Olá Fábio, tudo bem (frio) por aí??? Fábio, minha dúvida é em relação as retificações judiciais. Estou terminando de juntar todas as certidões dos meus familiares e elas estão com todas as datas corretas, mas os nomes foram “abrasileirados” como, por exemplo, Marina, que se transformou em Marinha (acredita nisso?) É necessário retificação quando apenas os nomes divergem nesse nível?
    Obrigado e até!!!!!!

  • Questa “cosa” della trippa l’ho già letta in altri blog, e sembra che tutti noi italiani mangiamo trippa quotidianamente. In realtà è un aliemto molto particolare, che solo alcune persone, in maggioranza anziani, mangiano ancora. Oppure, come hai avuto modo di vedere, è un piatto tipico di alcune zone. Io personalmente non mangio la trippa, non mi è mai piaciuta. Preferisco cibi più… normali. E tu sei stato molto coraggioso a ordinare il piatto tipico pur non sapendo cosa fosse. Io non farei mai questo, sono molto “chato” per la comida. Ma penso che ogni Paese abbia sempre dei piatti, diciamo, un po’ strani. D’altronde anche la famosa feijoada, con linguiças, orelhas e pé de porco, non è che sia poi così diversa.
    Mi dispiace che tu stia avendo così tanti problemi con la burocrazia italiana. Ricordo benissimo quanto ho sofferto (e speso!) per preparare i documenti miei e di mia moglie. Ma è solo una questione di tempo, poi finirà
    Complimenti per il tuo blog. MOlto interessante e scritto bene.
    Um abraço!

  • Val

    Fabio, que camera fotografica vc tem… acho que tà na hora de trocar a minha (que nào è grande coisa), pois vejo que as tuas fotos sào tào nitìdas… aquelas da carta d’identità e outras ali na casa me fizeram querer saber que camera è a tua… abraço (primeira passada minha pelo teu blog) Val

  • Fala Deco, tudo jòia??

    Nao é à toa que seu blog consta na minha lista de preferidos: està cada vez melhor parabéns!!!

    E quando estiver pelos lados de Rovigo passo là sim e faço um book 🙂

    Forte abraço!!!

  • Luiz César

    Que bacana, um sorocabano canevese kkkkkkk

    Sucesso sempre amigao!!!

  • Graaaande Vilson

    E’ vero, vimos a placa là de Crissssciuma kkkkk

    E demorou pra voltar pra cà, vou colocar mais àgua no feijao 🙂

  • Ola Amor

    Muito obrigado pelas palavras e é isso: difundir o conhecimento é a chave do sucesso, tenha certeza!!!

    Muito sucesso com seu processo ai em Berlin!!!

    Brigadùùùùùùùùù

  • Olá Fábio!!!!

    Que legal essa viagem… queria estar por essa região tbm, mas minha vez tbm vai chegar. Qdo comecei a ler pensei que vc passaria bem próximo de Costa di rovigo (10km de Rovigo) onde meu bisavô nasceu, mas td bem… Região bem legal e muitos de nós descendemos dessa região da Itália.
    Viu, citei você no meu blog, espero não se importar… Citei vc e citei o blog, claro, colando o respectivo link… Admiro seu trabalho e com certeza sua vida é muito bella!!! Quem planta feliz, colhe sorrindo!!!! Depois passa no meu blog e dá uma olhada… deconaitalia.blogspot.com
    Adorei o outro post sobre os sotaques da Itália, com aquele video… mto legal….
    parabéns pelas imagens tbm… Ahhh, se visitar a província de Rovigo de novo, dá uma passadinha rápida por Costa di Rovigo e tira umas fotinhas…. hahahaaaaa… se não for pedir muito… não, blz… to abusando…
    Abraços…

  • Luiz Cesar Nitsche

    Ola Fabio,
    Pordenone é a Provincia de meu nono, aliás nosso sobrenome “Canevese” é devido aos meus antepassados terem origem na comune de Caneva, é como se eu que nasci em Sorocaba você chamado de Sorocabano e um dia incorporace esse “apelido” como sobrenome. Foi isso que aconteceu com meu nono, no livro de registro da comune esta assim: Paolo Virginio Mies detto: Canevese.

    Abraço e sucesso.

    Luiz César Nitsche

  • A cidade de Vittorio Veneto tem gemmellagio com nossa cidade, Criciúma!
    Sempre dou uma passado no teu blog pra acompanhar as novidades…Em pouco tempo estaremos de volta ao velho mundo! Sorte sempre!

  • Muito interessante d divertido relato. Eu sei bem como é lidar com os funcionários, no começo eles são bem fechados e diria que até grossos, mas depois com conversa e jeitinho eles se ”abrem”. Eu passei por isso em Berlin semana passada, pois dei entrada na minha cidadania por lá. O interessante é que o funcionário me alertou que iria demorar e culpou o consulado de SP. Ele também colcou vários empecilhos, como por exemplo a minha linha de ascendência não ser 100% masculina, por o Ascendente é Italiano, depois vem a minha AVÓ, depois o meu pai (nascido após 1948) e eu. Foi quando eu disse que sabia da lei e ela era clara, que minha avó passava a ascendência sim!
    No final, estávamos mais abertos, e o funcionário mais amigável.
    Só fiquei sem saber se demoraria ou não… Espero que dê tudo certo!
    André, parabéns pelo blog, pelo seu trabalho e que Deus te abençoe sempre! Lí várias informações e dicas aqui, me ajudara muito!
    O conhecimento só é realmente valorizado quando ele é compartilhado, e você faz isso com muito amor!
    Valeu!

  • Grande Andre, realmente foi de “ultima hora” que pensamos ir à Trento, prometo que na proxima nos encontraremos 🙂 Forte abraço!!!

  • Grande Duduuuuuuu

    Saudades de vc também, sempre lembramos e rimos das loucuras que aprontamos por aqui rsrsrs. Baixe por aqui sim, é sempre bemvindo 🙂 Abs

  • Andre Prette

    Poxa Fabio… eu tinha dito, quando viesse a Trento para me avisar. Seria um prazer te mostrar o segredos da cidade. E porque não também acompanhar em um Vin Brule e uma prato de Tortel com Wurstel.
    Bom… fica para próxima.

    Abraços

    André Prette

  • O norte da Italia é maravilhoso, principalmente a região de Treviso, a do meu avô (kkkkk, legislando em causa própria). Lendo o seu post me deu uma saudade de estar zanzando por aí….. Ah, o seu mico lembrou eu e meus pais, em Treviso, quando pedimos um rosbife e chegou uma carne completamente crua, apenas com as pontas cozidas. Minha mãe morre de nojo até hoje, kkkkk.

    Abração para vc e a Lu, saudades de todos. Qaulquer dia destes eu ‘baixo’ aí, rsrs!!