Otimas noticias sobre a cidadania na Argentina

Cerca de 50 mil núcleos familiares da coletividade italiana na Argentina, a maior de italianos no mundo, poderão concluir em até cinco anos os trâmites de reivindicação da cidadania, calcula o cônsul-geral da Itália em Buenos Aires, Giancarlo María Curcio.

O diplomata, que assumiu o cargo em dezembro passado, afirma que a partir de 2002, após a crise de 2001, a coletividade italiana no país dobrou. “Antes desta data, havia aproximadamente 185 mil pessoas com cidadania italiana na Argentina”, disse em entrevista ao jornal La Nación, publicada hoje.

Atualmente, os cidadãos italianos são 260 mil e, apesar da suspensão a partir de 2002 do início do processo para obter a cidadania, Curcio estima que em até cinco anos se concluirão os trâmites de outros 50 mil núcleos familiares, “o que representa entre 150 mil e 200 mil pessoas”.

O diplomata calcula que atualmente a coletividade italiana soma entre 410 mil e 460 mil pessoas, em comparação com as 185 mil de antes da crise.

Curcio disse que para a Itália o crescimento dessa coletividade na Argentina é um privilégio: “A Itália se orgulha das solicitações de cidadania. Para nós é um privilégio a re-conexão das pessoas às suas raízes”.

O diplomata indicou que desde janeiro deste ano houve uma mudança no sistema de trâmites para obter a cidadania, que antes disso exigia longas horas de espera em uma fila. “As filas de espera acabaram”, comentou Curcio, acrescentando que agora os guichês só fecham depois que as pessoas que diariamente procuram o local (cerca de 400) são atendidas. “Dar o passaporte a um neto de um italiano é aproximar as pessoas de nós”, concluiu o diplomata.

Fonte ANSA