Consegui minha cidadania, e agora?

Ciao amigos

Há algumas semanas venho colhendo informações e fazendo pesquisas sobre os amigos que conseguiram o reconhecimento da cidadania e como foi o “depois” de pegar a carteira.

Infelizmente as notícias não são muito boas, mas serve como estimulo e lição para os que virão.

Bom, todos nós sabemos das dificuldades que existem para obtermos a nossa cidadania reconhecida. Estou aqui há 6 meses e posso dizer que não foi fácil. Ainda não assinei minha carta mas estou nos procedimentos finais.

E o problema é exatamente esse: todos se preparam para o processo em si, estudam as circulares, escolhem com cuidado o lugar, procuram a melhor oferta de companhia aérea, só que esquecem de outro detalhe tão importante quanto o processo em si: quando for cidadão italiano reconhecido, o que mudará?

Infelizmente não é incomum ver pessoas com a carta di identità na mão procurando emprego. Ou ainda “novos” cidadãos italianos dividindo espaço em fábricas com os verdadeiros imigrantes, como romenos, búlgaros, albaneses, entre outros.

E por que isso acontece?

Porque estas pessoas não pensaram como seria o “after day”.

Muita festa, muita comemoração, mas praticamente todos acordam no dia seguinte, caem na real e vem a pergunta:

– Ok, e agora? Cosa devo fare?

E descobrem que os dois, três, quatro ou dez meses foram praticamente perdidos, pois nada mudou. Acordaram no dia seguinte ao reconhecimento e perceberam que existe um papel a mais na carteira. Nada mais.

CIDADANIA É COMPORTAMENTO, NÃO UM PEDAÇO DE PAPEL

mudança pensamento

Dentre todas as pessoas que tenho entrevistado, e que estão aqui na Italia realizando o processo e pretendem permanecer vivendo aqui, praticamente nenhuma fala a língua italiana! O pior são as desculpas dadas:

  • Acha que falar inglês é suficiente (a língua oficial da Italia não é inglês, mas sim italiano).
  • não gostam da Italia, da cultura e da língua italiana (sim, infelizmente muitos pensam desta forma)

Vejam o exemplo de uma das minhas entrevistadas:

Ela chegou aqui na Italia em maio deste ano, e durante todo o processo tinha em mente que iria pra Londres no final dele. Por isso escolheu não fazer nenhum curso de italiano – mesmo descobrindo que existiam cursos gratuitos. Passou todo o tempo junto a outros brasileiros, e com isso não aprendeu nada sobre a vida e a cultura italiana.

No final do seu processo, ela não teve dinheiro pra ir para Londres, e neste momento está procurando emprego por aqui.

Porém vejam o paradoxo: quando ela chega em uma agência de emprego ou empresa, entrega o seu currículo e mostra a sua carta di identità italiana. Automaticamente quando o entrevistador percebe que ela não fala a língua do próprio país, acha que o documento dela é falso e a descartam.

Afinal, como você pode ser cidadão de um país e não conhecer a propria língua?

Outro problema que ela está enfrentando é que, assim como a língua italiana, ela também não se preocupou em fazer os seus documentos italianos, como o codice fiscale, a tessera sanitaria e sequer se preocupou em se cadastrar no Centro per l’Impiego – que é o órgão do governo italiano que ajuda os cidadãos na busca e na inserção do jovem no mercado de trabalho.

APRENDENDO COM A EXPERIÊNCIA ALHEIA

Para que vocês não passem pelos mesmos problemas, quero compartilhar algumas dicas que são fundamentais para que vocês não cometam o mesmo erro da nossa entrevistada. Quero que vocês pensem muito sobre isso, e não façam como a maioria das pessoas que vem à Italia, deixando as coisas para o último momento.

PRIMEIRO PASSO – CODICE FISCALE

A primeira coisa que vocês precisam fazer quando chegar aqui é o Codice Fiscale. Basta ir a qualquer Agencia dell’Entrate, com o passaporte e pronto: em 5 minutos te dão o seu numero.

O Codice Fiscale é o documento de identificação que você utilizará sempre quanto contatar um ente publico ou privado. Ele é o equivalente brasileiro do CPF e é exigido em qualquer tipo de movimentação financeira.

Para saber melhor como solicita-lo basta clicar aqui.

SEGUNDO PASSO – SCHEDA TELEFONICA

Compre um chip de celular. Aqui chama-se “scheda” (pronuncia-se “esqueda”). Normalmente custa entre 10 e 20 euros e sempre vem com a metade deste valor em créditos. É fundamental que você coloque em seu currículo um número para ser contactado, e não caiam na besteira de achar que basta um endereço de email – você será chamado para uma entrevista de emprego recebendo uma ligação, não um email.

TERCEIRO PASSO – CURSO DE ITALIANO

Não importa se você vai para o Afeganistão, para a Etiópia ou para Dubai depois do seu processo de cidadania. Enquanto estiver aqui, o mínimo que você deve fazer é se esforçar para aprender a língua do seu país, independente se você contratou um assessor ou não.

A propósito de assessor: não dependa única e exclusivamente dele, afinal de contas você esta pagando para que ele intermedie o seu processo, cuide da sua residência e basta! O resto é por sua conta.

Por isso procure escolas de italiano na região onde você se encontra. Tente não perder tempo com cursos gratuitos, geralmente oferecidos por associações para estrangeiros, pois infelizmente neste tipo de curso você não aprende nada. Isso acontece porque, pelo fato de serem voltados aos cidadãos estrangeiros, a maioria dos alunos são do continente africano e asiático, estes últimos normalmente com grande dificuldade com o som da língua latina, o que retarda absurdamente as aulas.

Procure cursos pagos, que são caros mas valem cada centavo investido!

QUARTO PASSO – BIBLIOTECA

Procure a biblioteca comunale, por dois motivos:

1 – Obviamente ler livros vai te ajudar no aprendizado do idioma. Peça sempre ajuda ao bibliotecário, explique que você precisa de livros com história suaves pois quer se familiarizar com a língua italiana.

Ou faça como eu e parta logo para livros mais densos como “La verità del giacchio“, um dos primeiros livros que li aqui na Italia, que narra a história de um meteorito encontrado pela Nasa e que pode conter vida extraterrestre.

2 – Outro grande motivo para fazer a inscrição na biblioteca é a possibilidade de utilizar a internet gratuita que eles oferecem.

Toda biblioteca tem ao menos 2 computadores, onde você pode ver seu emails, procurar emprego, acessar a Minha Saga, entre outras atividades. E como tudo estará em italiano, você terá contato permanente com a língua.

QUINTO PASSO – CADASTRO NO CENTRO PER L’IMPIEGO

O Centro per l’Impiego é um órgão que auxilia os cidadãos na busca pelo emprego. Acesse o site e verifique o mais próximo da sua residência.

Tão logo tenha sua cidadania reconhecida, vá até o centro da sua região e cadastre-se.

Eles marcarão um appuntamento di coloquio (entrevista) onde será definido seu perfil e quais as vagas disponíveis a você.

CONCLUSÃO E REAÇÃO ESPERADA

Espero que ao ler este post, vocês tenham tido a seguinte reação:

– Cáspita, não é que eu não tinha pensado no que vou fazer após minha cidadania.

E seguindo as instruções e dicas aqui descritas, não tenho dúvidas que a vida de vocês por aqui será muito mais fácil.

E caso você queira dicas práticas sobre a vida aqui na Italia, veja se o Guia Prático da Vida aqui na Italia serve para você clicando aqui.

Abbracci a tutti e até o próximo post 😉