Depois de Problemas em Bergamo, Só Alegria!

Bergamo é uma cidade com 120 mil habitantes da Lombardia, no norte da Itália.

É conhecida como a “Città dei Mille” por ter contribuído com as tropas de Garibaldi na famosa ‘expedição dos mil‘ – tropas comandadas por Giuseppe Garibaldi que ocupou o Regno delle Due Sicilie em 1860.

Bergamo pode ser uma cidade bacana para fazer turismo, porém o mesmo não pode ser dito para realizar a prática de cidadania italiana!

Hoje posso falar isso com propriedade, depois que ‘salvei’ nosso mais novo cidadão italiano – Leandro Marcondes Zuccarelli:


A história do Leandro conosco começou em 2008 quando comecei a ajudá-lo com os documentos ainda no Brasil, pois naquela época ele estava reunindo os mesmos para legalizar no consulado de Curitiba.

Algum tempo depois ele jà estava com o documento em mãos e no inicio deste ano – 2010 – sabe-se porque cargas d’àgua resolveu vir fazer o processo sozinho… no comune de Bergamo. 

PROBLEMAS EM BERGAMO

No início estava tudo òtimo: o vigile passou em poucos dias, os documentos foram protocolados no comune, enfim tudo correndo às mil maravilhas…

Depois de 30 dias  em Bergamo, foi ao comune para saber o andamento das coisas e foi informado pela oficial que ele não tinha direito à cidadania italiana porque os documentos continham irregularidades!

Você consegue imaginar o sentimento, a angústia dele naquele momento?

Depois de anos lutando por um sonho, deixando o Brasil em busca de um futuro melhor, planejando para que tudo saia da melhor maneira possível e num piscar de olhos estava vendo tudo isso indo por água abaixo.

Ele me ligou no mesmo momento, depois que saiu do comune e me contou o que tinha acontecido.

Eu disse a ele que era impossível, pois eu mesmo  tinha analisado os documentos dele e estavam todos perfeitos. Disse pra ele voltar ao comune e pedir à oficial explicações, o que – segundo ela – estava errado e que impedia a transmissão da cidadania.

A resposta da oficial a ele foi a seguinte:

– Quem lhe transmite a cidadania é seu pai e não consta quem declarou seu nascimento, portanto você não tem direito à cidadania.

Porém, o que a oficial nao levou em consideração é que os pais dele foram casados civilmente, e independente de quem seja o declarante o matrimônio civil legitima o filho do casal.

Logo, o que ela estava alegando era um verdadeiro absurdo!

Aconselhei o Leandro a discutir isso com ela, que parecia não ouvi-lo.

Disse que precisaria “estudar” e que isso demandaria tempo, numa clara demonstração que iria fazer de tudo para prejudicá-lo.

A gota d’água foi quando ele pediu os documentos de volta e ela negou-se a devolvê-los, disse que demoraria no mínimo UM MÊS.

Mais uma vez o aconselhei o que fazer, e no dia seguinte ele estava no trem a caminho da Toscana, chegando aqui em abril de 2010.

A CHEGADA NA TOSCANA

Lá fomos eu e a Lu buscar o Leandro na estação de trem, e confesso que o menino ainda estava traumatizado com tudo que tinha acontecido em Bergamo.

Disse que foi uma luta para conseguir os documentos de volta, o comune nao queria devolvê-los (isso é crime, o comune nao pode segurar documentos de um cidadão…) e por fim acabaram cedendo.

Para descontraí-lo fizemos um jantar no mesmo dia da chegada dele, onde depois de alguns goles de vinho, conseguiu desabafar sobre tudo que tinha passado nestes mais de 30 dias na Itàlia.

Os sonhos, desejos e todo o medo que sentiu pensando que talvez deveria voltar ao Brasil e desistir do sonho!

Tivemos uma longa conversa, onde eu disse que em nosso vocabulário não existe a palavra DESISTIR.

Aqui o tema de ordem é PERSISTIR, CONFIAR e ACREDITAR que no final tudo dá certo.

Afinal quando queremos muito algo o Universo sempre conspira a nosso favor!

No dia seguinte, já estávamos no nosso comune fazendo a inscrição e o pedido de residência do Leandro.

E foi muito engraçado quando ele disse que estava em Bergamo, todos os funcionários do comune em uníssono disseram:

– Mas o que você foi fazer em Bérgamo, menino? Lá o povo é racista, mamma mia!

E o Leandro, todo sem graça tentando explicar:

– Não, é que, sabe como é, então, tinha uma amiga, enfim, allora, ahhh deixa pra là kkkkkkkkkk

Finalizada a transferência de residência do comune de Bergamo – que mais uma vez tentou complicar a vida do Leandro demorando quase 30 dias para enviar o documento ao nossos comune, enquanto o vigile aqui tinha passado em apenas 7 dias – nosso oficial pediu ao consulado de Curitiba também ao consulado de SP as respectivas non rinuncias.

Os consulados foram rápidos e em aproximadamente 30 dias ambos já tinham respondido ao comune e começou o procedimento final: a transcrição dos documentos do Leandro.

O TÃO SONHADO RECONHECIMENTO DA CIDADANIA ITALIANA

E com muito orgulho, poucos dias depois, o nosso querido Leandro, calabrês de origem, era o mais novo cidadão italiano da Minha Saga.

Com direito a muita emoção, festa e sentimento de dever cumprido:

Assinando a tão sonhada cidadania italiana!
Olha a felicidade da criança…
Bóra festejar com os outros clientes
Naaaaaaaaaaaaao, beijo não!!!!!!!!!!!! Argh!

 

É isso ai Leandro, cada obstáculo foi superado, cada batalha foi vencida e hoje você pode bater no peito e gritar: sou cidadão italiano!

E mais uma vez confirmou-se aquilo em que eu sempre acreditei: com fé em Deus, perseverança, força de vontade e pensamento positivo ninguém nos segura!