Benção nonna Maria!!!

Ciao a tutti!

Quem não acompanha a nossa página no Facebook provavelmente não sabe, mas minha nonna italiana faleceu esta semana que passou, depois de permanecer alguns dias internada.

A última vez que estivemos juntos, foi no final do ano passado, na minha breve passagem pelo Brasil. E foram momentos mágicos, como por exemplo o dia em que fizemos estas fotos:

nonnamaria

nonnamaria

Nesta última foto, ela agradecia por estarmos juntos com ela naquele momento. Aliás, sempre achei bonitinho quando nossas avós nos agradecem por um telefonema, uma visita, um agradinho. Nós é que devemos agradecer a elas por estarmos vivos, felizes e contentes!

Claro que por mais que saibamos que mais dia menos dia todos nós passaremos desta vida para outro plano, nunca é fácil lidar com a perda – principalmente com a idéia de que você jamais vai ver novamente alguém que tanto gosta. Mais natural ainda são as chamadas “fases do luto” que todos nós temos que passar.

Porém acredito que algo que ninguém jamais pensou ou estudou sobre as fases do luto de alguém que vive no exterior. Pois é muito pior quando recebemos uma notícia deste tipo e não temos o que fazer! Quero dizer, claro, em relação a quem vive num país muito distante – como é o nosso aqui na Italia em relação aos nossos familiares no Brasil.

Não podemos estar juntos com nossos familiares, não podemos ir no velório, no enterro – enfim não podemos sequer cumprir com o ritual de dizer adeus a quem esteve conosco durante toda nossa vida.

Sabendo da religiosidade da nonna Maria e para arejar um pouco a cabeça, neste último final de semana fomos a Roma não só render a nossa homenagem a ela, mas também para comemorar o aniversário da Luciana.

coliseu
Pela primeira vez juntos no Colosseo

Entramos na primeira igreja que encontramos próximo do apartamento que alugamos (tema de um próximo artigo) para rezar para ela. Se trata da igreja de San Giovanni Battista dei Fiorentini (São João Batista dos Fiorentinos) e é claro que a partir de agora pra nós essa será a igreja da vó Maria:

san giovanni dei fiorentini
Chiesa S. Giovanni Battista dei Fiorentini

Claro que não é a mesma coisa de estar no Brasil, mas pelo menos de alguma forma pudemos prestar nossa homenagem a ela – que amava ouvir as nossas histórias sobre Roma e sobre o Vaticano.

E hoje já voltamos ao trabalho, aos estudos, a vida normal. Ao abrir a caixa de emails, tinham nada menos do que pouco menos de 200 emails pendentes, dezenas de comentários no blog, outra dezena de mensagens no facebook, além de mais um bocado de coisas a serem realizadas – peço carinhosamente a todos que tenham paciência, pois todos serão respondidos dentro do possível, ok?

Aproveito também para agradecer a todas as mensagens que recebi nestes últimos dias – não tive a oportunidade de responder a todos e por isso faço isso através deste artigo: li absolutamente todas as mensagens e comentários que vocês deixaram e agradeço imensamente a todos vocês, por terem dedicado um pouco do tempo de vocês para escrever mensagens tão lindas e importantes. Obrigado, obrigado, muito obrigado!

E como sempre digo, nenhuma folha cai de uma árvore sem que seja a vontade de Deus.

Benção nonna!!!

3 Comentários


  1. Meus sentimentos Fabio. Quando perdi meu avô uma pessoa muito especial para mim tambem não pude comparecer as últimas homenagens porque eu estava longe. Imagino como se sente. Você é um cara muito legal e com certeza uma pessoa do bem, sei que sua avó deve estar muito orgulhosa de você.

    Abraços


  2. Ciao Fabio,

    Que Deus te dê forças para que você consiga superar mais essa perda.

    As lembranças que tenho de minha avó são muito vagas, pois ela se foi quando eu ainda era muito criança. Por isso,invejo (no bom sentido claro) àqueles que têm a oportunidade de compartilhar, mesmo que por pouco tempo, a companhia de uma nonna ou um nonno. Com certeza devem ser momentos mágicos.

    Força e forte abraço.


  3. Ciao Fabio,

    Meus sentimentos pela sua perda.
    De fato, como muitos dizem os avós são ‘pais com açucar’. É dificil achar uma pessoa que não tenha boas lembranças com os avós.
    Tenho muitas boas lembranças dos meus avós também aonde eles não foram apenas os pais da minha mãe ou pai, mas sim pessoas tão importante quanto eles e responsáveis simplesmente pela nossa existência.
    Engraçado que o meu avô morreu há mais de 22 anos (minha avó faz 12 anos) e mesmo assim tenho lembranças muito vivas ainda.
    Tempos atrás, na busca das certidões que fiz para o meu processo, foi uma viagem ao passado, relembrando das histórias que eles me contavam.

Comentários encerrados.