Comprando o primeiro motorino italiano

Ciao a tutti!

Confesso que já há algum tempo venho pensando na idéia de comprar nosso primeiro motorino, afinal de contas italiano que é italiano TEM que ter pelo menos uma Vespa véia:

Ok, não precisa ser tão velha assim, porém desde que visitei o museu da Piaggio, que fica na cidade de Pontedera, aqui mesmo na província de Pisa, fiquei imaginando como seria se eu tivesse passado minha infância e adolescência aqui na Italia, provavelmente eu teria uma foto deste tipo:

Masssss tudo bem, não nasci aqui mas quando era pequeno meu pai comprou uma Garelli (olha a italianidade na veia!), e tenho uma foto dela (mulheres, preparem o coração para ver que menino lindo eu era rsrsrs)

Porém com a vida corrida e o medo da Luciana em relação a motocicletas – somado ao fato de que eu jamais sequer andei na garupa de uma, quanto mais dirigir – a idéia acabou sendo completamente esquecida…

Até dez dias atrás!!!

PRIMEIRO FINAL DE SEMANA DE CALOR – IDA A PRAIA

Muita gente não sabe, mas aqui em Pisa também tem praia. A diferença com as vizinhas Livorno e Viareggio é que por aqui temos uma grande área verde de mata protegida que separa a cidade do mar (chamada San Rossore) e por isso ficamos distantes cerca de 12 quilômetros de por o pé na água.

Porém quando atravessamos o parque, temos 3 bairros com praias: Marina di Pisa, Tirrenia e Calambrone, além da vizinha Marina di Vecchiano.

Mal chegou o calorzão, pegamos o nosso carro num domingo e escolhemos a praia de Vecchiano pra ir – fica a 16 quilômetros do portão da nossa casa (mesma distância para chegar na Marina de Pisa) e lá fomos nós.

E advinhem o que aconteceu?

Não tinha nenhum lugar para estacionar o carro, pois assim como nós, toda a população italiana teve a mesma idéia quando viu o sol – correr para o mar…

E foi então que nossos olhos se iluminaram: enquanto procurávamos exaustivamente um lugar para parar o carro, passamos por dezenas de lugares vagos para motorinos!!!

Daí um olhou pro outro e caímos na gargalhada. Ô povo burro, até parece que chegou na Italia ontem rsrsrsrs

A DECISÃO DE COMPRAR UM MOTORINO

O primeiro passo foi esquecer tudo aquilo que nossos amigos italianos tinham nos falado sobre o assunto e procurar as informações oficiais, seja em relação a compra do bichinho, seja sobre a carteira de motorista. A primeira confirmação do que já sabíamos: com a nossa ‘patente di guida’ B, além de carros podemos também guiar motocicletas com até 125 cc.

Próximo passo: escolher o modelo de scooter (aqui na Italia utiliza-se tanto o termo scooter quanto motorino) e obviamente existem centenas deles. A primeira decisão era se escolher um modelo 50 cc ou 125 cc. Como utilizaremos também a trabalho e já que não trabalhamos na cidade de Pisa, foi fácil optar pela 125, embora o ideal seria algo em torno de 150 ou 200, melhor adaptado a longas distâncias, porém teríamos que tirar uma nova carteira de motorista e neste momento não temos tempo para essas coisas rsrsrsrs

Definida a cilindrada de 125 cc pensamos que a escolha seria mais fácil. Bobinhos! O primeiro site que entramos para pesquisar os modelos novos desta categoria retornaram 67 ofertas!!!

Cáspita, ainda eram muitas! Daí pesquisa daqui, procura dali, percebemos que dentre todas as opções de scooter por aqui, podemos dividí-las em 2 categorias:

GRANDES FABRICANTES – Aqui estão por exemplo a já citada Piaggio, fabricante da Vespa e que por ter um nome mais do que consolidado no mercado, propõe os modelos mais lindos e maravilhosos – como as novas Vespas em estilo retrô, como essa:

Porém custando a bagatela de 5000 euros mais ou menos

Tem também a Honda, com modelos em torno de 3000 euros, como a campeã de vendas da categoria, a SX 125:

E na segunda categoria estão os NOVOS FABRICANTES, que geralmente são empresas chinesas, coreanas ou japonesas que invadiram o mercado italiano. O maior exemplo é a chinesa Kymco, que no ano passado ficou em 7º lugar de vendas com a Agility R16:

Como não tínhamos idéia de valores, não sabíamos sequer estipular um budget, então fomos até uma concessionária e pedimos a ajuda dos universitários rsrsrs

Explicamos o que queríamos e quais as nossas necessidades, e o vendedor nos propôs um affarone: como a Kymco Agility R16 está com um modelo novo 2014, o modelo 2013 estava sendo vendido na promoção por € 1800 euros com as seguintes condições:

  • Immatricolazione inclusa no preço (emplacamento e registro do veículo)
  • Bauletto incluso (baú traseiro)

E o melhor:

  • finanziamento a tasso zero (dispensa tradução rsrs) – poderíamos escolher entre 10 parcelas de 180€ ou 18 de 100€.

Como assim sem juros? Sério isso moço? Oloco!!!

Resumindo, apresento a vocês o novo mascote da Minha Saga:

Eu saindo da concessionária

Falem se não é uma gracinha???

Ok, o capacete integral foi uma das condições da Luciana por causa do medo de andar de moto, porém nesse calor que já começou a fazer não dá pra ficar com esse troço na jaca (cá pra nós, que ela não nos leia mas já encomendei esse abaixo, chega nos próximos dias):

O SEGURO DA MOTOCA

Aqui na Italia você não tira nenhum veículo da concessionária sem apresentar o seguro dela – quem não sabe do que estou falando clique aqui para ler o artigo que escrevi sobre isso. Nesta própria concessionária o rapaz fez tudo pra gente: 360 euros anuais, com tudo incluso!

 

É isso queridos, um grande abraço a todos e até o próximo post!