Viajando com menores #2 – Autorização de Viagem na Italia

Ciao a tutti

Depois de explicar a vocês neste artigo os procedimentos no Brasil para viajar com menores, quero compartilhar alguns detalhes da viagem e também explicar como fazer o mesmo documento aqui na Italia.

Como expliquei no artigo anterior, minhas filhas também tem a cidadania italiana, o que significa viajar com ambos passaportes:

No passado gravei um vídeo sobre como viajar com a dupla cidadania, quais documentos apresentar na saída do Brasil, qual deles mostrar na entrada da Italia, entre outros, portanto não entrarei nestes detalhes novamente: cliquem aqui para assistir o vídeo!

A LEGISLAÇÃO ITALIANA PARA VIAGENS DE MENORES AO EXTERIOR

Aqui temos uma curiosidade em relação a legislação brasileira: na Italia basta ser maior de 14 anos para poder viajar sozinho pelo mundão afora!!!

Não precisa de autorização ou qualquer outro documento: é suficiente apresentar a carta d’identità valida per l’espatrio ou o passaporto italiano, agora tentem imaginar a alegria da Isabella (que tem 15 anos) quando descobriu isso rsrsrs

No caso da Brunna, que tem 13 anos, foi necessário fazer a mesma declaração, e é aqui que a coisa muda completamente de figura: enquanto no Brasil temos que ir no cartório (órgão que eu considero uma aberração brasileira), aqui na Italia temos que ir no setor de passaporte da Questura – este sim um órgão correto, não é mesmo?

A AUTORIZAÇÃO DE VIAGEM NA QUESTURA

Enfim, como vivo em Pisa, me dirigi ao setor de passaportes e me deram o formulário abaixo para preencher:

[scribd id=253701292 key=key-o7HE4w6aWqEPJHGIpBRk mode=scroll]

DETALHE IMPORTANTE: Como desta vez nenhum dos pais estariam presentes, foi necessário não apenas a minha assinatura, mas também a assinatura da mãe das crianças!!!

Como resolver o problema: eu preenchi o documento, assinei, escaneei e enviei a ela por email. Bastou imprimir, assinar, escanear novamente e me mandar também por email juntamente com uma cópia do seu documento de identidade.

Claro que só soube da necessidade da assinatura dela quando fui na questura, caso contrário eu já teria levado o formulário impresso ao Brasil e teria aproveitado para recolher a assinatura dela por lá mesmo, portanto #ficaadica a quem estiver na mesma situação que eu 😉

Portanto os documentos apresentados na questura foram:

  • Formulário da autorização (peguei um novo na questura, pois este, mesmo que oficial, não está completo!)
  • Cópia do documento de identidade da mãe (RG brasileiro)
  • Cópia do passaporto da Luciana
  • Cópia da minha carta d’identità italiana.

Aqui cabe um detalhe: a legislação prevê que caso um dos genitores esteja fora da UE, sua assinatura deve ser convalidada pelo consulado italiano. No meu caso não foi necessário, pois argumentei que as meninas são residentes no Brasil e estavam retornando a casa. Porém não há como garantir se outras questuras ou outros funcionários interpretarão da mesma forma, ok?

Muito bem, depois de 2 dias retornei a questura e vejam só que beleza:

Será que seria tão difícil a implementação de algo similar no Brasil? Não bastaria ir diretamente em uma das sedes da Polícia Federal e fazer o documento lá mesmo? Detalhe: este documento foi emitido completamente grátis!!!

No momento do check-in, aqui no aeroporto de Pisa, a funcionária solicitou o documento e bastou poucos segundos para analisá-lo e despachar as malas.

Conversei com a Luciana pouco depois da passagem pelo controle de imigração lá em Roma, e ela me disse que sequer pediram para olhá-lo, já que presume-se que se as crianças embarcaram, houve o controle por parte da companhia aérea. Simples assim!

CONCLUSÃO

Dá pra perceber a gritante diferença entre a emissão do documento no Brasil e a emissão do documento aqui na Italia. Como falei no artigo anterior, é muita ansiedade esperar até o último momento para saber se o documento vai ser aceito, ou ainda se o oficial vai criar caso. Sem contar que a viagem em si com os menores já é um baita stress, pois são inúmeros detalhes, procedimentos, check-list pra não esquecer nada, documentos diversos, enfim uma baita trabalheira.

Lembrando que estes procedimentos servem para quem tem filhos com o passaporte já emitido! Caso os filhos ainda não tenham nenhum dos passaportes, é possível incluir já na emissão dos mesmos, a autorização para o outro genitor.

De qualquer forma tudo correu conforme o previsto, minhas pequenas puderam me dar os melhores dias da minha vida, com muito amor, muitas risadas e o melhor: elas acabaram de partir e já não vêem a hora de voltar pra cá, quem sabe da próxima vez definitivamente 🙂

Espero tê-los ajudado mais uma vez com estas informações, e até o próximo post, arrivederci!