Quando a esmola é demais…

Quem acompanha o blog sabe que eu recebo centenas de emails diariamente.

Com assuntos dos mais variados: desde perguntas sobre cidadania italiana, passando por temas como imigração e cultura italiana até perguntas sobre meu trabalho de busca de documentos e também pedidos de consultoria nos processos de cidadania propriamente ditos!

Porém o que muitas pessoas não sabem é que eu recebo muitos, mas muitos emails de pessoas que estão desesperadas aqui na Itália, passando por verdadeiras sagas em seus processos.

desesperado

Recentemente estava lendo um destes emails e depois de orientá-lo sobre como proceder, pedi sua autorização para contar a todos vocês a sua história, pois quando a esmola é demais, o santo desconfia!!!

O que me chamou a atenção é que no mesmo dia que ele me escrevia sobre o que passou aqui na Italia, um dos nossos clientes, João, que também é jogador de futebol, nos contava uma história muito parecida com a que vocês vão ler abaixo:

O JOGADOR BRUNO E A HISTÓRIA DO SEU RECONHECIMENTO

Meu nome é Bruno, faz praticamente um ano e meio que eu entrei em contato com você para reconhecer minha cidadania, mas por outros motivos acabei optando por outros contatos!

Agora, acho que fiz uma má escolha, porque sou fã do seu blog e passei todo meu processo todo tirando dúvidas e conclusões por causa dele. Penso que é justo explicar o motivo de não ter optado pelos seus serviços.

Ai vai….

Sou jogador de futebol profissional, vim pra Espanha em 2008 para jogar.Quando cheguei aqui deixei meus documentos no consulado do RJ para legalizar… (Eu sou de São Paulo, e todos os meus documentos são de lá, mas uma amiga me disse que na época São Paulo tava fechado para legalizar, e disse que no RJ tinha um contato que saia em 2 meses). 

Até ai ok, já estava aqui treinando e enrolando o clube que estava com a guarda do meu empresário me ajudando com tudo.

Cheguei em Agosto, e minha mãe ficou no Brasil cuidando da documentação pra mim: no inicio era pra sair em outubro e em seguida eu ia pra Itália dar entrada…

E ai vem o começo da historia….

Primeiro me disseram que sairia em outubro, depois foi pra novembro, depois dezembro…Em janeiro de 2009 me falaram que eu tinha que estar lá pessoalmente para provar que morava no RJ.

Eu tenho uma prima lá, e tem a conta de telefone no meu nome, então essa foi minha prova, mas mesmo assim pediram minha presença…

Imagine: eu saio daqui de Sevilha e vou para o Brasil.

Chegando la no consulado o cara me disse que eu tinha que pagar outra vez uma taxa e esperar outros dois meses!

Beleza, passou fevereiro, março e abril e finalmente saiu a bendita legalização. Isso porque o contato tinha garantido que sairia em 2 meses a bendita legalização!

Esperei oito meses para ter os documentos legalizados…

E agora te comento um dos meus problemas que gostaria de pedir sua ajuda, conselho, etc…

Eu tinha dado entrada nos documentos da minha mãe, os meus e os documentos do meu irmão.

Quando eu peguei tudo legalizado faltava o do meu irmão.

Eu tinha pago a taxa correspondente a esses documentos, inclusive tenho o carimbo do tradutor e o documento do meu irmão traduzido…

Enfim, voltei lá disse tudo isso e me disseram que não estava la e que meu irmão tinha que ir pessoalmente resolver esse problema: o detalhe é q ele mora nos EUA hà 3 anos e meio.

Esta terminando a Universidade la e não sei como fazer para ele legalizar o documento dele…

Depois meu empresário me disse que tinha uns caras na Calábria, uns advogados italianos que tiravam a cidadania em 20 dias e que o vigile passava em apenas 3 dias e depois podia vir para a Espanha e esperar tudo aqui que me mandavam toda a documentação.

Acreditei nisso e fui (estava certo que ia fazer com você).

Cheguei, me receberam e me colocaram em uma casa em Reggio Calabria.

No dia seguinte me levaram para outra cidadezinha que por sinal maravilhosa ( SCILA ) e la fiz a residência.

Eu tinha passagem para a Espanha no sábado de manha e na sexta pela manhã nada do vigile passar (tinham me prometido que passava em apenas 3 dias…)

Eu estava numa casa com varias pessoas e na rua de baixo tinha mais 2 apartamentos com varias outras pessoas.

A tarde os caras me buscaram de carro e fomos até a casa do vigile (não foi ele que passou em casa, eu que fui até ele…rs).

Voltei aqui pra Espanha e me falaram que em 20, no máximo em 30 dias estaria com a minha cidadania.

Eu cheguei novamente na Espanha no dia 6 de junho de 2009. No mês de setembro nada ainda….

Eu mandava emails todos os dias ao consulado do RJ e somente em outubro me responderam e o pior: disseram que não tinham recebido nenhum pedido de non renuncia do comune.

Eu falei pro caras e eles me juraram que o comune tinha sim enviado e ai mandaram outra vez.

Desta vez o RJ disse que chegou e que iam me deixar na lista de espera…

No dia 28 de novembro recebo um email do consulado do RJ dizendo que tinha um erro de digitação na data de nascimento da minha mãe.

Falei com os caras e enviaram tudo retificado novamente ao consulado do RJ.

Dia 15 de dezembro chegou a tão esperada non renuncia do RJ, porém dizendo que o comune tinha que pedir também para SP…

O caso é que eu só fiquei sabendo disso aos vinte e poucos dias de janeiro, isso porque eu mandei email ao RJ perguntando o que tinha rolado… me disseram ainda que tinham mandado no dia 15 de dezembro …

Fiquei louco com os caras e consegui um email de uma tal de Rita do consulado de SP que disse que sò mandaria a minha non renuncia se eu explicasse porque tinha os documentos legalizados no RJ.

Eu disse que morava la, e por sorte eu tenho aqui meu certificado escolar que terminei la no RJ, porque joguei 1 ano la.

Mandei tudo escaneado e no dia seguinte ela mandou a non renuncia ao comune.

Bom não vou estender o email mais ainda, fiz o RG italiano em abril de 2009 – voltei à Italia sozinho, sem saber falar italiano, na época de eleição, no comune estavam todos mundo loucos, ninguém queria me atender e mesmo assim com o jeitinho brasileiro sai de la com meu RG e as transcrições…

Bom Fábio , desculpe a redação que te mandei hehehehehe, acredito que você que trabalha prestando assistência ao pessoal deve ter visto muitas historias parecidas ou piores…

Agradeço muito se puder me dar algumas dicas e conselhos de tudo …. e dessa vez já sei que não se pode confiar e ninguém na loucura, devemos tomar cuidado com este tipo de promessa milagrosa

Um grande abraço , sucesso pra você e parabéns pelo seu trabalho que é maravilhoso!!! Minha casa está de portas abertas para você visitar quando quiser!

QUANDO A ESMOLA É DEMAIS… CLARO QUE O SANTO DESCONFIA!

A própria história do Bruno já conta o que é vir à Italia acreditando nestas “promessas” que existem por ai.

Mas como disse acima, o que me chamou atenção é que o João – que nunca encontrou ou conversou com o Bruno – me contou a mesma história!

Confesso que vez ou outra ainda me surpreendo quando vejo que várias pessoas continuam indo a péssimos comune como Bergamo, Verona, Treviso, Milano, Calabria, Novara, Roma, Vincenza, entre outros, para fazer seu processo de cidadania.

Eu realmente não consigo entender o que passa na cabeça destas pessoas, pois a informação existe aos montes na internet.

Aqui mesmo no blog já escrevi sobre um cliente que realizou o processo conosco, depois de ter os documentos negados em Bergamo: um dos piores lugares pra dar entrada na cidadania italiana!

Assim como há vários anos vários leitores vieram compartilhar nos comentários os problemas que enfrentaram em Verona, Vincenza e Venezia.

E mesmo assim, centenas de pessoas continuam procurando estas cidades para o reconhecimento da sua cidadania!

Quando eu era pequeno perambulando nas ruas do ABC Paulista, minha mãe já dizia:

– “Fabio, tudo que vem fácil, vai fácil. Aprenda que quando a esmola é demais, o santo desconfia!”

O Bruno acreditou numa destas esmolas e a cidadania demorou mais de um ano! Tentem imaginar o sofrimento, a apreensão, o desespero dele durante todo este processo.

Sem contar a perda de tempo e dinheiro.

Porém o pior de tudo isso, é que ele jamais vai poder voltar no tempo e realizar o seu processo novamente. Sim, porque nós só realizamos o processo de reconhecimento uma única vez, não é mesmo?

E este reconhecimento jamais pode ser algo triste, doloroso, difícil.

Se tornar cidadão italiano reconhecido significa voltar às nossas origens, viver durante algum tempo na terra do “nonno”, resgatar a nossa própria história. Com toda a beleza e felicidade que isso deve trazer.

CONCLUSÃO E DESEJO

Italia Mapa

O meu objetivo com este artigo é fazer com que vocês planejem com todas as forças e pensem com muito carinho sobre o reconhecimento da cidadania de vocês.

É um projeto tão, mas tão importante, que não pode ser feito às pressas, de qualquer forma.

Eu tenho me empenhado muito para trazer a todos vocês todas as informações possíveis e imagináveis sobre este processo.

Sem falsa modéstia, tenho a mais absoluta certeza que qualquer pessoa que acompanha este nosso blog, tem condições de realizar o processo de reconhecimento sozinho, sem ajuda de ninguém.

O único problema que ainda falta solucionar é ensinar a vocês a língua italiana, mas isso já está sendo resolvido, em breve vou lançar um curso voltado 100% para quem pretende aprender essa nossa maravilhosa língua, para fins de reconhecimento da cidadania italiana.

Mas independente disso, você pode aprender como tudo funciona através do Sagabook – o manual oficial da cidadania italiana aqui da Minha Saga.

Sem contar que você também pode aprender através dos vídeos que eu publico no nosso canal do Youtube.

Tudo isso para que você – assim como eu – tenha o privilégio de encher o peito de orgulho e gritar:

– Sono cittadino italiano!

Mas sem stress ou chateações.

Apenas com muito orgulho e o mais importante: com aquele delicioso gostinho de dever cumprido…