Buscando Documentos no Norte da Itália

Muitos me pedem para postar fotos dos comunes italianos em nossas andanças pela Itália. Resolvi atualizar este artigo, conservando as fotos originais que eu tirei durante uma destas andanças buscando documentos pela nossa querida Itália

Viajar ao norte é sempre uma aventura, por diversos motivos.

Além de rever e revisitar lugares que eu gosto muito, é também uma forma de conseguir mais micos pra minha longa carreira de Mr. Bean…

Porém desta vez para tentar minimizar os micos e principalmente para não errar tanto o caminho, optamos por comprar um navigatore satellitare.

Depois de pesquisar bastante, escolhemos e compramos um dos lançamentos da marca GARMIN, o Nuvi 1440T com tela de 5″ por apenas 149,00 euros na UNIEURO.

Além da tela maior, já vem também com o mapa da Europa pré-instalado, um excelente custo-beneficio!

Tudo preparado, malas feitas e lá fomos nós para mais uma aventura no norte da Itália: primeira parada:

ADRIA (PROVINCIA DE ROVIGO)

 

Chegamos em Adria logo cedo e logo a primeira surpresa: tomamos uma bronca épica em nome de todos os brasileiros e argentinos que escrevem ao comune.

Explico: assim que chegamos na cidade, fomos até o guichê de atendimento do ufficio di stato civile do comune.

Uma senhora nos atendeu e então solicitamos o documento que precisávamos.

Ela então começou a esbravejar que não seria possível nos dar aquele documento, pois somente naquele dia tinham chegado mais de 20 pedidos por email de brasileiros.

E por causa disso, teríamos que entrar na “fila” e aguardar que em torno de 3 meses chegaria nossa vez!

Eu – educadamente – disse a ela que não tinha absolutamente nada a ver com pedidos de outras pessoas, que tínhamos viajado mais de 300 quilômetros e que com todo respeito não sairíamos de lá sem o documento ao qual fomos buscar.

Ela então nos disse que a cada dia que se passa chegam mais pedidos e que o comune não tem condições de responder a todos num tempo decente…

Agora vem o meu puxão de orelhas aqueles que acompanham este blog e estão em busca do documento do antenato italiano:

JAMAIS, DE FORMA ALGUMA ESCREVAM A TODOS OS COMUNES DE UMA PROVINCIA QUANDO NÃO SABEM O COMUNE EXATO DE NASCIMENTO DO ANTENATO ITALIANO!

POIS ASSIM COMO VOCÊ, MILHARES DE OUTRAS PESSOAS FAZEM EXATAMENTE A MESMA COISA, ENTUPINDO OS COMUNES DE PEDIDOS E ATRAPALHANDO O FUNCIONAMENTO NORMAL DAS PESQUISAS!

Existem outros métodos mais eficientes, aqui mesmo em nosso blog eu cansei de explicar como fazer isso:

  • pode ser através dos Archivi di Stato;
  • das cúrias;
  • dos Registros de Entradas no Brasil e Argentina

Enfim existem métodos mais eficientes do que simplesmente escrever para todos os comunes!

SALETTO (PROVINCIA DE PADOVA)

Luluzinha com o documento nas mãos 🙂

Saindo de Adria, ainda na parte da manhã rumamos à Saletto, uma pequena cidade de 3000 habitantes na provincia de Padova.

Na semana anterior à nossa ida, o Veneto foi muito castigado pelas chuvas, e Saletto foi uma destas cidades que passaram maus bocados.

O sistema informático do comune ia e vinha, as linhas telefônicas não estavam funcionando direito, um verdadeiro caos…

Mas com paciência e ajudando a oficial, saimos de lá com mais um documento em mãos, prontos para o próximo destino: não sem antes passar num local mais do que especial: a cidade natal do meu antenato italiano!

LOZZO ATESTINO (PROVINCIA DE PADOVA)


Eu sempre dou um jeito de passar na “cidade do nonno” quando vou ao norte…

Desta vez não foi diferente, pois nossa próxima parada seria numa cidade próxima a Treviso e o comune abriria apenas à tarde, portanto matamos um pouco do tempo nas terras onde meu querido Giordano Barbiero nasceu.

Aproveitei para ir pela “enésima” vez ao comune e desta vez peguei a certidao de casamento do meu nonno com minha nonna para guardar com carinho junto com os outros documentos da Minha Saga rsrsrs

CANEVA (PROVINCIA DE PORDENONE)

Buscando Documentos

Saindo de Lozzo fomos à Caneva.

Seria a primeira vez que eu iria à provincia de Pordenone.

Lá tínhamos duas etapas: ir ao comune solicitar a certidão de casamento e ir à igreja buscar o certificado de batismo para o cliente.

Fomos primeiro à igreja e pela primeira vez ouvi o sotaque da região, logo com o padre que nos atendeu.

Aliás, uma gentileza só!

Nos convidou para entrar e em poucos minutos tinha preparado duas certidões.

O que mais me impressionou foi a organização do padre: gabinete impecável, mesa limpa, cheguei até a brincar com ele, perguntando como é que ele conseguia ser tão organizado!

Ele respondeu que eram “ossos do oficio” rs

Passamos no comune e desta vez a gentileza não foi tao grande: entre resmungos o oficial nos deu as duas cópias do documento, e com o dia já praticamente acabando tínhamos que decidir onde passaríamos a noite.

Pois é, ainda não tínhamos a menor ideia de onde iriamos dormir e depois de algumas alternativas escolhemos dormir na cidade de Vittorio Veneto, pois no dia seguinte teríamos que ir na cúria.

VITTORIO VENETO (PROVINCIA DE TREVISO)

Chegamos em Vittorio Veneto num frio de lascar!

Dois graus e lá fomos nós procurar um hotel ou qualquer coisa do gênero.

Paramos numa sorveteria e descobrimos que além de atendente o rapaz era praticamente um guia turístico da cidade!

Bastou eu pedir uma ideia sobre onde dormir e ele nos deu várias oportunidades, explicando como chegar, onde ir e tudo mais.

Escolhemos então dormir num hotel chamado Fratte, que fica a poucos quilômetros do centro da cidade.

O MICO

O dia passou sem maiores problemas ou complicações: o que significa nenhum mico!

Mas é claro que eu não consigo passar um único dia sem fazer besteira e quando pensávamos que aquele dia seria o primeiro, eis que chega o momento!

E não poderia ser pior: no restaurante do hotel.

O Mr. Bean aqui – morrendo de fome – chegou, tomou banho e aproveitando que o hotel também era restaurante, descemos para jantar.

Depois de não entender absolutamente nada do que a atendente nos disse, já que ela falou em dialeto local, perguntei o que ela tinha de mais tipico daquela região.

Ela explicou algo que parecia ser o primo piatto e algo que parecia ser o secondo piatto.

E foi este que escolhi…

Pois bem, eis que chega o primo piatto: uma pasta ao molho de uma carne deliciosa, que imagino ser coelho ou algo do gênero.

Até ai tudo lindo: uma delicia!

Logo depois chega o secondo piatto.

A Lu recebeu uma bela bisteca grelhada e eu recebi… uma bela e formosa porção de TRIPA!

Eu nunca tinha comido e sequer sentido o cheiro.

Imaginem minha cara quando a funcionária – entre sorriso – deita o prato na mesa:

– Sr. Fabio, eis o seu prato: la nostra trippa!

Eu confesso que fui guerreiro, e entre goles de vino rosso ainda consegui comer alguma coisa do prato, tentando não fazer feio.

Mas não dava, o cheiro daquele prato era muito forte e eu já estava procurando o vaso de plantas para poder jogar o resto 🙂

Enquanto isso, a Lu estava lá, chorando de rir…

Depois de terminar com o vinho, com todo o pão da mesa, e ainda um pedaço da bisteca da Luciana, subimos para dormir, pois o dia seguinte seria também corrido.

CURIA VESCOVILE (VITTORIO VENETO)

Logo cedo fomos à cúria para reconhecer a assinatura do padre lá da cidade de Caneva.

Fizemos tudo e aproveitamos para tomar nosso café da manhã num local bastante agradável e bem pertinho da cúria.

Ainda pensando no prato da noite anterior não comi nada, fiquei apenas no cappuccino enquanto a Lu se deliciava com uma pasta com um creme que parecia realmente muito bom!

Terminamos todos os procedimentos necessários e lá fomos nós para mais uma viagem.

FONZASO e LAMON (PROVINCIA DE BELLUNO)

Comune de Fonzaso
Comune de Lamon

Em Fonzaso tivemos uma relação de amor e ódio.

Comecemos pelo ódio: quando chegamos ao comune, só não fomos destratados porque soubemos nos impor!

A oficial começou com o mesmo discurso de sempre: que tinha uma enorme quantidade de pedidos e por isso a “falta de tempo” em responder os pedidos.

Já calejados de tanto trabalhar com isso, também fizemos o nosso discurso:

Entendíamos que realmente muita gente não tem noção e escreve para todos os comunes, também não compactuamos com isso e tal.

Porém, nós estávamos ali com tudo certinho, com as informações corretas e não sairíamos de lá sem o documento necessário.

Porém, mesmo com tudo certinho, a oficial pegou o livro e nos mostrou que realmente a pessoa que estávamos procurando não estava nos registros.

Saímos do comune e resolvemos ir até a igreja, depois de uma “intuição” da Luciana.

E ela não poderia estar mais certa: o antenato tinha nascido dez anos antes do a informação que o cliente tinha nos passado, e por este motivo jamais estaria no comune.

Daí começou a relação de amor: o padre era simplesmente um amor de pessoa!

Conversamos sobre o Brasil, sobre a Itália, ele nos deixou até fotografar o livro de batismo e no final ainda ganhei dois beijos dele e sai de lá mais do que feliz 🙂

Foto do livro de batismo em Fonzaso

Voltamos ao comune e pedimos à oficial para desconsiderar nosso pedido, pois já tínhamos encontrado o documento na igreja.

Dai ganhamos a simpatia dela também, finalmente!

Passamos também em Lamon que ficava a poucos quilômetros de lá e também tudo certo: mais um documento em mãos, em meio a desculpas do oficial por não ter nos mandado antes, mas realmente não tinha tido tempo, etc e tal…

ULTIMA PARADA – PERGINE VALSUGANA (PROVINCIA DE TRENTO)

Pergine Valsugana

Outra região que eu não conhecia e tive o prazer de conhecer.

A região de Trento é realmente belissima, cercada de montanhas e nesta época do ano coberta também de neve, como vocês podem ver na foto abaixo:

 

A cidade de Pergine é uma belezinha – como diria a Léia (mae da Luciana).

Além de ser super charmosa, estava toda pronta para receber o Natal, com as ruas enfeitadas e tudo mais.

Chegamos na igreja mas o padre não estava: tinha ido celebrar um funeral.

A secretária nos disse que se quiséssemos ela prepararia o documento e no final do dia o padre estaria de volta e poderíamos retornar.

Aproveitamos a deixa e fomos conhecer a capital da provincia: a cidade de Trento

TRENTO – (PROVINCIA DE TRENTO)

Simplesmente maravilhosa.

Quem não foi deve ir: Trento é muito bacana.

É aquele tipo de cidade que eu adoro – grande e pequena ao mesmo tempo, não sei explicar só estando lá pra entender.

A primeira coisa que vimos quando chegamos foi um majestoso castelo chamado Castello del Buonconsiglio

 

E mais uma belíssima supresa: o tradicionalíssimo Mercatino di Natale de Trento – um dos mais famosos da Itália.

Ali saboreamos o famoso Strudel trentino (acertei desta vez na escolha da comida) e bebemos o Vin Brulè, que no Brasil é conhecido como vinho quente, ótimo no inverno…

Todas as fotos que fizemos desta viagem podem ser vistas em meu album no Flickr, basta clicar aqui para conferir estas e outras fotos que fiz pelo mundo afora…

Agora, o saldo da nossa viagem ao norte:

  • 5 provincias visitadas (Rovigo, Padova, Pordenone, Belluno, Trento);
  • 1008 quilômetros percorridos;
  • 306 fotos tiradas;
  • 8 documentos em mãos;
  • 1 prato de tripa.

Como não ser apaixonado pela vida?

Eu tenho um trabalho que me dá a oportunidade de conhecer culturas e locais maravilhosos, uma namorada e sócia linda, clientes e amigos sensacionais que confiam em nosso trabalho e nos dão a oportunidade de compartilhar os próprios sonhos.

Enfim eu só tenho a agradecer por tudo isso…

Obrigado, obrigado, muito obrigado!