Casas a 1 euro na Itália – pior que Telexfree

Tempo de leitura: 4 minutos

Quem teve acesso a internet ou televisão nas últimas semanas, provavelmente viu a matéria abaixo:

Ou esta:

Esta matéria foi veiculada no site Catraca Livre, no Casa e Jardim, no Terra e em tantos outros sites e portais no Brasil e no resto do mundo.

Como era esperado, muita gente pediu a minha opinião sobre o assunto, e eis-me aqui para explicar não somente o que é este projeto, mas também para dizer porque eu considero a maior furada do mundo, depois da Telexfree

O PROJETO “CASAS A 1 EURO NA ITÁLIA”

Lá nos cafundós da Italia, na ilha da Sicilia existe um pequeno comune chamado Sambuca di Sicilia que conta hoje, com pouco mais de 5000 habitantes.

Com a densidade demográfica que diminui ano após ano, o comune resolveu lançar uma ideia original: oferecer casas que estão lá, caindo aos pedaços por apenas 1 euro!

E assim como todos aqueles que entraram em contato comigo felizes da vida, tantas outras pessoas ficaram fascinadas com a possibilidade de adquirir uma casa medieval na Italia, ainda mais quem assistiu o filme Sob o Sol da Toscana…

DETALHES DO PROJETO

Vejamos quais os detalhes que compõem o projeto criado pelo comune de Sambuca: o interessado no imóvel pode comprá-lo pelo preço simbólico de 1 euro e seguir os seguintes critérios (citarei apenas os principais por motivos práticos, quem quiser saber mais baixe aqui):

  1. Estipular o contrato de compra do imóvel em no máximo dois meses a contar da data da aprovação do pedido pelo comune.
  2. Pagar todas as taxas correspondentes relativas ao contrato e derivados, tais como cartório, água, luz, gas, etc.
  3. Apresentar projeto de reestruturação do imóvel em até um ano da data da compra.
  4. Iniciar as devidas obras dentro de dois meses da data da autorização governamental da mesma.
  5. Contratar um seguro no valor de 5000 euros, que deverá garantir o término das obras no período máximo de três anos.

PORQUE NÃO VALE A PENA

Muito bem, agora quero explicar a vocês os motivos que a meu ver, o tal projeto é uma barca furada que pode te deixar a ver navios…

Começando pela localização: quando eu escrevi lá em cima que a cidade é nos cafundós da Italia, eu realmente estava falando sério!

Para um estrangeiro que nunca pisou na Italia, parece um sonho morar na Sicilia, não é mesmo?

Muitos não sabem, mas a Sicilia é a região italiana com o maior índice de moradores abaixo da linha de pobreza italiana, em torno de 32,2% – 3 a cada 10 pessoas!

A título de comparação, a média italiana é de 13,6%…

Existem ainda outros dados ruins, mas não vou cita-los aqui pois o objetivo do artigo não é explicar os problemas da Sicilia, mas apenas dar a vocês elementos para que entendam que a região sofre de carências estruturais básicas.

E com isso podemos entender porque o comune criou um projeto destes.

Afinal de contas se o lugar fosse bom, os próprios moradores da região já teriam comprado os próprios imóveis ao invés de simplesmente deixá-los lá, abandonados (aposto que ninguém pensou nisso, né?).

Não está ainda convencido que é um péssimo negócio e que estou exagerando?

Opa, sem problemas, vamos ver então quanto um comprador gastará com a compra do imóvel:

  • Valor do imóvel: 1 euro
  • Custos de registro e passagem de propriedade: 5.305 euros
  • Valor do seguro exigido pelo comune: 5.000 euros reembolsáveis no final
  • Valor estimado de reestruturação: 35.000 euros
  • Total investido: 45.306 euros

Antes que você comece a me xingar dizendo que gastar menos de 200.000 reais para reestruturar um imóvel é realmente uma pechincha, deixe-me te mostrar uma imagem:

Uma casa de TREZENTOS METROS QUADRADOS em um comune próximo, já pronto por 45.000 euros.

Não acredita?

Tem mais:

E outra:

Casas a 1 euro na Itália

E no próprio comune de Sambuca você já encontra um imóvel pronto, para 5 pessoas por praticamente o mesmo valor do que você gastaria na tal “promoção de 1 euro”:

CONCLUSÃO

Pois é meus caros leitores, como vocês puderam perceber o projeto não é nenhum negócio da china!

Basta entrar em qualquer site de agências imobiliárias daquela região para ver que os valores são baixos já naturalmente.

Outra coisa que esqueceram de dizer, é que esta é a terceira vez que o projeto “casas a 1 euro” é proposto em comunes na Sicília.

Há cinco anos atrás eles fizeram a primeira tentativa e o resultado foi um fiasco – 22 casas à disposição e apenas 4 contratos estipulados.

E ainda temos o fator localização e estrutura (ou falta dela), que são fundamentais a quem pretende se estabelecer em qualquer lugar do mundo, não é mesmo?

Espero com este artigo ter esclarecido as dúvidas do pessoal que me escreveu e se alguém tiver coragem e comprar algum dos imóveis oferecidos, venha aqui compartilhar conosco a experiência 😉

26 Comentários


  1. isso, entao vc trabalha 3 anos p reformar e ai valera suuuuuuper a pena, pois “”ganhou””” os custos adm :/ genial mesmo!!!! talvez sequer faca ideia do q e reformar um simples banheiro

    Responder

  2. Antes de ver seuu post, eu tinha postado q e um MORRO DO VIDIGAL , onde governo espertissimo vendia barracos a 150 mil aos desavisados. Mas ve-se q e br
    em pior, trata-se de ma fe mesmo

    Responder

  3. Sobre os dados em relação ao negócio concordo. O que acho absurda é essa explanação sobre a Sicília só com pontos negativos. Eu vivo em Genova e viajo esse país de Norte a Sul pois trabalho com turismo e blog também e sinceramente a Sicília, além de uma das regiões mais lindas da Itália é uma das mais ricas em termos de cultura. Sugiro ler o blog Descobrindo a Sicília e conhecer melhor a região, fica a dica!

    Responder

      1. Dificuldade em entender o valor da cultura de um lugar e ter um tom preconceituoso

        Responder

  4. Sobre os dados em relação ao negócio concordo. O que acho absurdo é essa explanação sobre a Sicília só com pontos negativos. Eu vivo em Genova e viajo esse país de Norte a Sul pois trabalho com turismo e blog também e sinceramente a Sicília, além de uma das regiões mais lindas da Itália é uma das mais ricas em termos de cultura. Sugiro ler o blog Descobrindo a Sicília e conhecer melhor a região, fica a dica!

    Responder

  5. Como estrangeiros viveram lá, eles cederão cidadania Italiana para a pessoa que entrar e fazer todo o projeto??

    Responder

  6. Caros, alguém sabe dizer se a compra da casa lhe garante algum tipo de visto de permanência ou algo do tipo!
    Meu interesse real não é a casa e sim a cidadania. @fabiobarbiero:disqus

    Responder

    1. pra vc ter a cidadania tem q reformar . pra reformar tem prazo e pra ter ideia do pepino, leia o comentario da Regia (anterior ao seu)

      Responder

  7. eu comprei uma casa para reestruturar em Laglio, Lago de Como, norte de Milão, a menos de cem metros da vila de George Clooney e… É UM PESADELO!

    Não compre imovel para reestruturar na Itália, em lugar nenhum… já se vão dez anos de minha vida e ainda continuo sem o habite-se!!!!!!

    Responder

  8. bem, sei que tem tempo mas se eu ( sem cidadania ) quiser adquirir eu poderia ter direito a mesma ?

    Responder

  9. Mateus,se nos anúncios dados como exemplo,os valores estão acrescidos de custos administrativos,quer dizer que um imóvel pronto no local é ainda mais barato que o valor estimado para reestrurar um antigo!Não entendi o argumento….

    Responder

    1. Não caro, os valores anunciados não estão acrescidos de custos administrativos. Estes serão ainda acrescidos ao valor da oferta anunciada, ou seja, o comprador deverá arcar ainda com mais custos além daquele anunciado como a oferta do imóvel. Desculpe-me por não ter sido claro.

      Responder

    2. em um dos sites q publicaram essa pegadinha do malandro, tem um link onde ha fotos e demais detalhes das propriedades. Tratam-se de ruínas, um barraco no morro do vidigal e mais legal por exemplo. No mais, de uma olhada no coment da Regia (acima) pra ver como e facinho de encarar.. Esse Matheus ai deve ser corretor das ruinas.

      Responder

  10. Meu caro. A Sicília tem muitos problemas sociais sim, mas também cidades com qualidade de vida muito superior a muita cidade média e grande brasileira. Minha família é oriunda de uma cidadezinha na costa ocidental e, te garanto, tem infraestrutura acima da média de qualquer cidade brasileira. Ilusão achar que a Sicília se mede somente por estatísticas e notícias tendenciosas vindas do norte da Itália. Esqueceu-se de dizer que nos valores anunciados das residências para venda, exibidas com exemplo, também inserem custos administrativos de registro etc. etc.

    Responder

    1. Incrivel a dificuldade das pessoas em interpretar texto …. cognitivo crash!!!

      Responder

  11. Faltou enfatizar a conversão dos 45 mil euros p/ reais. Muita gente se ilude . . .

    Responder

  12. Eu Sinceramente Prefiro viver mil vezes nos cafundós da Italia aonde reina a tranquilidade e o silêncio nas ruas do que viver nas ruinas de um dos Paises com índice mais violento do mundo sem estruturas básicas de vida digna e cidadania(Brasil).

    Responder

    1. Verônica Gravino,gosto não se discute,o que o Fábio explicou,de forma bem resumida e otimista,uma vez que ele desconsiderou a logística,e que financeiramente não valeria a pena…se por ventura se estabelecer por lá mande um cartão postal!

      Responder

  13. Olá Pedrita

    Essa é uma excelente pergunta, pois o comune pode até dizer que qualquer um pode comprar a casa e viver nela – depois de restaurada! – porém talvez esqueceram que quem determina se um cidadão pode ou não viver no país é a questura…

    Responder

  14. Bom dia, gostei dessa publicação falando sobre as casas nessa região da Itália porém fiquei ainda com uma dúvida. Como o programa diz que se trata de um projeto para pessoas de qualquer país, não é necessário as pessoas terem cidadania Italiana ou visto para morar lá? Se um brasileiro quiser comprar uma casa nesse lugar ele simplesmente compra e vai morar lá?

    Responder

  15. A Sicília para se ver é muito bela.

    Agora essas ruinas nem de graça!!! É uma roubada, pura Ilusão de realizar um sonho que com certeza se tornará pesadelo.

    Com 45000 Euros alugo imóvel mobiliado por cerca de 6 anos e ainda em lugares bem melhores e ainda por 6 anos posso por exemplo ficar 1 ano em cada lugar diferente sem ter que me esconder dos soldados Alemães.

    Feliz de quem os abandonou!!!!

    Responder

  16. Fabio, definitivamente vc é o cara que mais saca da Itália e que mais passa credibilidade. Orgulho de ser sua amiga 🙂

    Responder

  17. Muito boa sua explicação Fábio.
    O anúncio é encantador, 1 euro? O que você compra com 1 euro?
    Lendo tudo direitinho, vemos que 1 euro é só pra chamar os bolinhos.
    Fora que meu marido disse, essas ruínas com um vulcão no quintal? Nem de graça.

    Eu enviei pra ti, achei um tanto curioso/engraçado esse tipo de reportagem pipocar por aqui hoje ehehe

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.