Por que vir a Italia fazer besteira?

Tempo de leitura: 6 minutos

Ciao a tutti!

Hoje estava num dos fóruns que frequento juntamente com oficiais di stato civile e anagrafe de diversos comunes aqui na Italia, quando fui surpreendido pela seguinte pergunta, feita por um oficial de um dos comunes do norte:

Um cidadão brasileiro solicitou ao comune onde trabalho a sua cidadania jure sanguinis, utilizando para isso o visto schengen no passaporte, que é válido por três meses. Visto que existem problemas com a documentação referente ao seu reconhecimento e não me foi apresentado o recibo do pedido de permesso di soggiorno na Questura, como posso cancelar a residência deste cidadão do meu comune?

Pra quem não entendeu bulufas, seja sobre o conteúdo, seja sobre o fórum, explico:

A profissão de consultor ou assessor para assuntos de cidadania italiana aqui na Italia formalmente não existe. Consequentemente não existem sindicatos ou órgãos de classe, onde um consultor possa estudar ou se atualizar sobre a legislação e outros aspectos relacionados ao assunto.

Como eu acredito que isso seja extremamente sério, além de assinar diversas revistas sobre os temas que pertencem ao nosso mundo (anagrafe, stato civile, elettorale, immigrazione e giurisprudenza) também consegui ser sócio do principal órgão de classe dos trabalhadores e oficiais dos comunes, que mantém um fórum para que todo e qualquer funcionário possa solicitar informações e ajuda sobre algo que queira saber e/ou fazer – e foi neste fórum que eu também participo que encontrei esta pergunta.

Livros que adquiri essa semana para estudar

Ok, agora que entenderam, vejamos o desenrolar da história: outro oficial respondeu, explicando que o cidadão pode permanecer durante 90 dias aqui na Italia, citando a circular 52/2007 com a devida explicação.

A oficial replicou que já se passaram os três meses e o cidadão não se preocupou em solicitar o permesso e mais: sequer respondeu a comunicação enviada por posta A.R. (correio com aviso de recebimento) ao endereço indicado. Termina concluindo: “se ele não me apresenta o pedido da questura, pra mim é um clandestino irregular”…

E a conversa tomou outro rumo, mais precisamente sobre os detalhes técnicos do cancelamento do indivíduo aqui na Italia, que inclusive já foi realizado, assim como a devida comunicação a polícia da condição do irregular…

COINCIDÊNCIA OU NÃO…

Coincidentemente, numa das questuras em que trabalho, dia destes o oficial me perguntou se conhecia um tal rapaz também italo-brasileiro. Respondi que não e ele então me confessou que faz mais de um ano que este rapaz solicitou o passaporte italiano e nunca foi buscar. Perguntei se isso é normal e eles disseram que sim, é normal a pessoa demorar alguns meses para retirar, porém é a primeira vez que um cidadão simplesmente esquece de ir buscar seu documento de viagem.

MOTIVOS QUE ME EMPUTECEM

O que mais me deixa completamente puto da vida é saber que existem pessoas que vem a Italia com os documentos errados, incompletos ou ainda achando que pra tudo se dá um jeitinho. Além de conhecer um punhado de idiotas que ao vir pra cá, aprontam um monte de besteiras, utilizando a frase “tô só de passagem mesmo, posso fazer as merdas que eu quiser que ninguém me conhece

O pior é que este tipo de gente faz com que aumente ainda mais a “pulga atrás da orelha” dos oficiais.

Como se não bastasse, a maioria deles vem exatamente ao norte da Italia, local onde está a maior concentração de oficial-contra-reconhecimento-da-cidadania por metro quadrado do país.

Como alguém atravessa o oceano e simplesmente abandona o seu processo, sem dar nenhum tipo de satisfação ao profissional que está lá, trabalhando no caso dele? Imaginem o próximo brasileiro que for aquele comune realizar o processo. Como é que o oficial vai lidar com ele? Será que vai mandar o vigile mais de uma vez confirmar a residência? Será que vai levar em ‘banho maria' o processo, para saber se a pessoa vai efetivamente solicitar o permesso caso o processo ultrapasse 90 dias? Será que vai voltar a confiar nas palavras de um brasileiro novamente, já que além da documentação não ser idônea, a pessoa simplesmente desapareceu?

Vejam que eu posso elencar uma centena de situações que podem acontecer com o próximo coitado que cair naquele comune…

Já não basta ter que ouvir destes oficiais que o Brasil é uma zona, e não falam apenas da boca pra fora não, me dão exemplos para justificar a zona:

[starlist]

  • Cada um faz o que quer com o sobrenome (aqui sequer as mulheres adquirem o sobrenome do marido, afinal cada um tem o sobrenome da sua família, e tem orgulho em conservá-lo), e quando não sabem mais como mudá-lo, simplesmente INVENTAM novos, como Filho, Júnior, Neto, Segundo, Sobrinho e por aí vai.
  • O casamento no Brasil é tão banal, que os noivos sequer precisam estar presentes, podem se casar por procuração.
  • Não existe nenhuma regra para o registro de um filho: ao contrário da Italia onde ambos os pais tem 10 dias para declarar o nascimento e devem fazer isso JUNTOS, no Brasil basta ter um compadre, amigo, caseiro, sinhô ou qualquer outra pessoa que possa ir registrar o rebento.
  • Cada cidade tem um modelo diferente de certidão. Resultado? Apresentamos um calhamaço de documentos de cores diferentes (alguns brancos, outros azuis, verdes, amarelos), tamanhos diferentes (tentem pedir uma certidão de nascimento em alguns cartórios do Espírito Santo e não se admirem se vier em uma folhinha de papel do tamanho de 1/4 de uma sulfite) e escritas diferentes (pô pessoal de BH, certidão a mão não dá nem pra analisar)

[/starlist]

CONCLUSÃO DO MEU DESABAFO

A cada cidadão brasileiro irresponsável que vem a Italia e apronta, dezenas de outros cidadãos de bem, que se preocupam em trazer tudo certinho, organizado, retificado e corrigido são prejudicados.

Se você pensa que vir a Italia para tirar a sua cidadania, pois é apenas um pedaço de papel que vai servir para você não ter o desprazer de passar mais por imigração, saiba que para muitas pessoas que trabalham com isso, incluindo eu, este pedacinho de papel é o resultado da realização de um sonho. É a possibilidade de um novo começo, de um futuro melhor aos nossos filhos.

Se você acha que italiano é vagabundo, que a Italia é uma merda, que nossas músicas são cafonas e que “país bom mesmo é os EUA ou Inglaterra”, vai pedir o reconhecimento da cidadania nestes países.

Você provavelmente não sabe, mas aqui na Italia você não vai fazer nenhuma falta, pelo contrário: se você não vir pra cá, os cidadãos de bem agradecem!

20 Comentários


  1. Amei o post!! O brasileiro exige respeito mas nem sempre esta disposto a dar o mesmo em troca.

    Responder

  2. Olá Fábio,
    Concordo com vc inteiramente sobre a condição que a mulher brasileira é vista por culpa do próprio país que recepciona a qualquer um que aqui venha com mulheres semi nuas e escola de samba. É realmente uma vergonha, depois reclamam dos estrangeiros que vêm fazer turismo sexual.
    Quanto a cidadania, é muito triste saber a pouca importância que alguns dão a isto.Eu vejo isso como um sonho que ainda pretendo realizar, acima de tudo pelo imenso amor que sinto por este país, Itália, que tão pouco conheço mas que me sinto extremamente ligada pela descendência. É um sentimento que não consigo explicar. Também gostaria de deixar a possibilidade de um futuro melhor para minha filha adolescente, a qual como eu, também é apaixonada pelos seus antepassados.
    Estive aí em agosto passado a passeio e pretendo retornar em breve, mesmo que ainda só como turista.
    Grande abraço

    Responder

  3. Porque não se candidata ?? Precisamos de alguem que realmente nos represente, que tenha passado pelo que passamos, que saiba dos sonhos, dificuldades, e todas a mazelas que nos sujeitamos forçadamente a passar para nos tornarmos cidadãos Italianos, Que saiba como esse finalmente novo cidadão pode contribuir DE FATO com a Italia… Obrigado

    Responder

  4. Fabio ficou sabendo que o Senador Fausto Longo da coligação do PD eleito pela América do Sul (inclusive com o meu voto) está defendendo abertamente a criação de um Imposto Anual para os cidadão Italianos inscritos nos consulados como AIRE ? Fica aqui a minha indignação com o assunto ! Gastamos uma pequena fortuna para organizar documentos e conseguir passar pela imensa burocracia dos Consulados, que prestam uma PORCARIA de serviço, com imensas filas e agendamentos, agora depois de finalmente “vencida a batalha” ao estilo criar dificuldades para vender facilidades vêem querer nos taxar no exterior pelos péssimos serviços prestados ?!?!?!?!?! Acho que a Italia está aprendendo muito com o Brasil, infelizmente !!! Vamos nos mobilizar !!! Acho que esta não é certamente a saída.

    Responder

  5. Olá Fábio,

    primeiramente gostaria de dizer que o admiro muito, principalmente pela competencia e qualidade do seu trabalho, mas acredito que eu tenho que ser honesto com voce.

    Bom, eu concordo que esteja decepcionado com certas atitudes de algumas pessoas, e claro, essas atitudes podem dificultar ainda mais o processo de gente honesta. Entretanto eu senti um pouco de preconceito em certas coisas que vc escreveu, principalmente quando dá exemplos para justificar as diferencas entre Brasil e Itália. Sei que nao saiu da sua boca, mas isso só demonstra como é a ”visao” dessas pessoas.

    Pois bem, te falo que a visao dos Alemaes com relacao aos italianos é a mesma coisa, pensam que aí é o país do oba oba e da brurocracia. Dizem em piadinhas que a politica aí nao é coisa séria e por aí vai.

    Desta forma, deixo claro que nao devmos comparar os países, pois cada um tem suas diferencas e cada um funciona como o tal. E digo mais, muitas coisas da nossa cultura foram herdadas dos Italianos. Agora, eles estao errados sim em dizer que casamento no Brasil é Banal e outras tantas coisas pejorativas que escreveu.

    Enfim, seu artigo é ótimo por duas coisas: Primeiro, ele expoe a sua preocupacao com brasileiros irresponsáveis que vao Italia tirar a sua cidadania, entretanto pessoas irresponsábeis há em qqualquer lugar, e no mundo inteiro departamentos públicos terao que lidar com esse tipo de coisa. E segundo, o quao preconceituosa é a visao do italiano com relacao ao brasileiro.

    Responder

    1. Olá Alex tudo bem?

      Muito obrigado pelas palavras e pelo carinho 😉

      Infelizmente existe um enorme preconceito por parte de muitos italianos – a maioria deles no norte da Italia, pertencentes a movimentos politicos como a Lega Nord, que tem como objetivo a separação de uma parte do norte (chamada por eles de Padania) do restante do país.

      Não a caso, o oficial que postou a pergunta no grupo é da região de Brescia – local conhecidíssimo pelo alto grau de preconceito, não apenas a cidadãos estrangeiros mas também aos italianos de outras regiões daqui mesmo.

      Graças a Deus que isso não é generalizado – podemos encontrar em algumas cidades do norte muitas pessoas que não tem nenhum tipo de problema com os descendentes, como na cúria em Vittorio Veneto, o pessoal do archivio di stato de Padova, entre tantos outros bons exemplos.

      A minha crítica é exatamente sobre essa: já que existem dezenas – senão centenas de comunes que querem dificultar o processo, o fato de vir pessoas pra cá sujando a nossa imagem piora ainda mais as coisas, dando a estas pessoas todo um arsenal para justificar suas críticas e preconceitos. Grande abraço!

      Responder

  6. Olá Humberto, tudo bem?

    Se você se refere a ser injusto com os vagabundos que vem à Italia fazer besteira, então estamos completamente de acordo!

    Uma leitura um pouco mais atenta ao artigo, perceberá que eu defendo os cidadãos honestos, aqueles que saem do Brasil para conquistar seu espaço, sem baderna, sem jeitinho, apenas respeitando as regras e principalmente os bons costumes. E condeno veementemente quem vem pra cá faz besteira.

    Experimente colocar no google ou no youtube “vergonha de brasileiros no exterior” ou sentenças parecidas e vai perceber a quantidade de idiotas que fazem besteira pelo mundo. Pergunte a uma brasileira que vive no exterior, o quanto ela sofre discriminação SOMENTE pelo fato de ser brasileira, como se ter nascido no Brasil significa automaticamente ser ‘fácil’. Como uma mulher brasileira pode defender a sua honra quando as propagandas do governo federal do seu país sobre turismo sempre aparece uma mulher semi nua pulando carnaval?

    Já parou pra pensar que você pode estar sendo prejudicado no comune onde está realizando sua prática porque o oficial pode ter conhecido anteriormente um destes ‘espertalhões’, que fizeram besteira por aí?

    Quando ao final chauvinista do seu texto, prefiro não comentar, pois neste momento carnavalesco de lepos-lepos, bundas, peitos e similares, qualquer palavra sobre as mazelas do Brasil, além de ser pleonasmo, não acrescentaria nada ao saudável debate. Grande abraço!!!

    Responder

    1. FABIO
      obrigado por sua resposta:
      gosto muito de Você, sou do seu seu fã,
      te respeito muito como pessoa e pelo seu saber sobre o assunto,
      em momento algum pensei em te ofender ou criar polemica,
      só quero contribuir,
      espero poder continuar em seu grupo, bem como expressar o que penso.

      Fabio foi graças a suas explicações que pude caminhar com a minha cidadania,
      Quando comecei meu processo;
      vi que existiam tantas coisas erradas em meus documentos,
      (inclusive o Cartório de Socorro, SP, onde tem nossos apontamentos, sofreu uma enchente onde todos os livros da época de meu nonno foram consumidos pela água)
      fui radical,
      pequei a certidão de batismo de meu nonno, e com base nela, no judiciário mudei todos os nossos documentos,
      assim todos os documentos ficaram impecáveis
      acredito que o Minhasaga foi o pulo do gato.

      FABIO
      usando a oportunidade de poder “falar” mais intimamente com Você vou fazer um pedido:
      aborde o Movimento 5 Estrelas, a “franquia” do Beppe Grillo,
      acredito que ai exista uma inovação (apesar dele não gostar de nós, os “italobraseiros”, achar que não temos direitos),
      seria muito bem vinda a tua opinião,
      abraços
      Humberto Luchini

      Em 6 de março de 2014 05:02, Disqus escreveu:

      Responder

  7. Fabio, lamentavelmente quem deveria ler e se envergonhar desse ocorrido, provavelmente nunca vai ler seu texto/desabafo. Isso explica muitas das dificuldades que encontramos até nosso reconhecimento. Abraço

    Responder

  8. Esta cultura brasileira de não se importar de
    conhecer e seguir regras estabelecidas, deixando para resolver os inevitáveis
    problemas à medida que forem surgindo, somente confirma a fama que o Brasil e
    os brasileiros têm de não sermos sérios e sermos causadores de tumultos. Os
    estrangeiros não gostam de perder tempo com pessoas desorganizadas e
    irresponsáveis. Vou regularmente ao Consulado em São Paulo e uma vez ou duas
    por mês vejo alguém que esperou 9 anos para ser convidado a levar sua
    documentação para ter a sua cidadania Italiana reconhecida e, no entanto,
    apenas vai no dia agendado para perguntar quais são os documentos necessários.
    Pode?

    Responder

  9. O mais triste é que, muitas vezes, esse “baderneiro” pode ser a primeira ou a única experiência de um oficial em muito tempo. Assim, ele toma como regra, perdendo a confiança nos próximos que aparecerem.
    Há muito preconceito contra brasileiros, contra latino-americanos e contra diversas outras regiões, mas grande parte da imagem negativa do brasileiro lá fora é culpa dele mesmo.

    Responder

  10. Concordo com o respeito que se deve ter ao prestador de conhecimento e tempo que é o assessor de cidadania, mas nao é possivel julgar uma pessoa que inicia o processo e por algum infortunio nao da mais satisfação para aqueles a quem ele deve se reportar. Pode acontecer varios imprevistos que impedem dessa pessoa dar satisfação como por exemplo o falecimento.

    Responder

    1. FABIO
      espero que Você esteja melhor, pois, este seu artigo é injusto.

      As regras de Registro aqui no Brasil, seguem duas diretrizes:
      1. A Constituição Federal;
      2. As normas do Tribunal de Justiça do Estado, afinal,
      os Tribunal de Justiça que fiscaliza os Cartórios Extra-Judiciais, para cada cartório ou Tabelião no Brasil existe um Juiz Corregedor que o Fiscaliza, desde São Paulo até o município menor lá no Estado do Acre, assim sendo visto coisa errada é só recorrer a Autoridade competente que ela toma providencias.

      Também para o seu conhecimento e de todos, as certidões de nascimento, casamento e óbito, deve ter uma numeração composta de 32 (trinta e dois) números, inclusive o Espirito Santo.

      Hoje tantos as mulheres como os homens podem adotar o sobrenome do conjuge ou manter o seu, e de forma clara tem regras para o registro dos filhos, que pode ser feito só pelo pai, igualzinho um sobrinho meu fez na Itália.

      Fabio é claro que uma certidão feita a 80 anos tem uma materialidade e redação diferente das atuais.

      Nas comune Italianas tratam as pessoas de forma diferenciada, por exemplo: em San Martino Dall’argine, fui tratado como um rei, fui festejado, inclusive pelo Sindaco (afinal minha bisnonna Clara lá nasceu em 08/06/1804). Já em Anzio, onde estou fazendo minha cidadania, sou tratado com desdem (não me comparo a um cachorro, pois em minha casa tratamos os cachorros com muito amor). Mas com meus parentes que lá moram estou fazendo engolir a arrogância.
      Fabio, cada vez que vou na Comune de Anzio penso comigo: ” agora estou indo fazer apontamento naquela comune de 1947, que me trata como se eu fosse mulher naquela época, que não merce direito nem respeito.”

      Fabio, veja nos temos que ter respeito a todos, com as pessoas e, principalmente com nosso Brasil, afinal não sujo o prato onde como.
      desculpe o desabafo
      Humberto Luchini

      Responder

    2. Olá Arthur

      Eu não me referia a dar satisfações ao assessor, eu me refiro a dar satisfações ao comune! Você não tem idéia da quantidade de pessoas que me procuram dizendo que “há alguns anos atrás vieram a Italia e, como acharam esse tal processo difícil, voltaram ao Brasil” – sem sequer se importar com as consequências do processo!!! É deste tipo de irresponsabilidade que me refiro

      Responder

  11. Infelizmente são uns poucos ‘fanfarrões’ que ferram os sérios. Meu cunhado por exemplo, é descendente de japoneses e morou muitos anos no Japão, lá os japoneses nascidos no Japão não confiam nos nipo-brasileiros, nem a pau, porque muitos brasileiros quando foram para lá aprontaram bastante e aí o rótulo dos nipo-brasileiros não foi nada bom.
    Aí no caso da Itália, quando um brasileiro apronta não só ferra os brasileiros sérios e também a você, que depende do bom trabalho dos orgãos italianos para fazer o seu trabalho.
    Agora, pensando aqui….1 ano e nada do cara buscar o passaporte. Será que o cara morreu?

    Responder

  12. Fabio, Parabens pelo texto, concordo 100% em tudo que voce disse! E aqui na Irlanda nao e diferente, muitos Brasileiros aparecem aqui apenas para fazer baderna e sujar a nossa imagem, exemplo, se pensa em alugar uma casa e diz que e estudante Brasileiro esquece! Estudante Brasileiro na Irlanda so pensa em festa e baderna, Gracas a deus tenho otimas referencias de trabalhos e de outras casas que aluguei e agora tambem com cidadania Italiana ficou mais facil e nao preciso passar por nenhum constrangimento! Amo o Brasil, nasci e sou grato por estar onde estou, mas as vezes sinto vergonha de dizer que sou Brasileiro por fatos como esses!

    Responder

  13. Ciao Fabio!
    Concordo plenamente, infelizmente por estas e outras razões o Brasil é tão mal visto. Mas acho que pelo menos por enquanto não tem jeito, é questão de cultura mesmo…ou melhor, falta de cultura, educação, etc…espero que um dia isso mude.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.