Terremoto em l’Aquila

Tempo de leitura: 4 minutos

Terremoto em l'Aquila

Cenas de uma região em guerra…

Casas destruídas, helicópteros, carros da proteção civil, bombeiros indo e vindo, exército nas ruas, pessoas em pânico sem poder voltar para suas casas, acampadas em tendas num estádio de rugby.

O cenário é mais do que triste, é desolador!

Tive a ideia de ir à l'Aquila depois de uma nota que escrevi para a Globo.com, mais precisamente pro site de noticias G1.

No dia seguinte a publicação da nota, recebi um email da redação do Fantástico, solicitando meu telefone pra que pudéssemos conversar sobre uma possível filmagem para a matéria especial que o Fantástico mostrarà neste domingo de páscoa.

Respondi o email com os meus telefones e por volta da uma da manha um dos redatores me ligou e acertamos os detalhes para minha ida à l'Aquila.

Saímos na quinta-feira, dia 09/04 as 06:30 da manha, eu e um grande amigo: Rodrigo Zanatta rumo a Abruzzo.

TERREMOTO EM L'AQUILA – PRIMEIRAS IMAGENS

Descemos da região de Livorno até Roma, circundamos a cidade-eterna e por volta do meio-dia paramos numa lanchonete para comer algo e nos prepararmos psicologicamente, pois estávamos a apenas 30 quilometros de l'Aquila.

Chegando em l'Aquila - Abruzzo

Ao entrarmos no bar, ja deu pra perceber o clima tenso: um senhor ferido na cabeça e no rosto conversava com alguns policiais e pessoas que tentavam conforta-lo.

Outras pessoas tomavam seus cafés de cabeça baixa, olhando para suas próprias xícaras talvez tentando encontrar uma explicação pra tanto sofrimento

Depois deste pit-stop rumamos em definitivo pra l'Aquila. Ao chegar na cidade, deixamos o carro num estacionamento e fomos ao centro histórico.

Como havia acontecido outro forte tremor de aproximadamente 5 graus poucas horas antes de chegarmos, nao foi possivel entrar no centro histórico, o exército fazia guarda e ninguém, nem mesmo os residentes no local tinham acesso, pois muitos predios ainda estavam caindo.

As primeiras imagens da destruição que vimos foram estas:



Cenas fortes, mas ainda nada parecido com o que ainda estava por vir…

No estádio de Rugby da cidade foram erguidas diversas tendas para que as familias pudessem passar as noites, ja que não podem retornar para suas casas com segurança

Após conversar com um dos voluntários da Proteção Civil, fomos até a frazione di Onna, que segundo noticiado foi o epicentro do primeiro terremoto.

Chegando la, nos demos realmente conta do que tinha acontecido na regiao.

Naquela pequena vila de 350 habitantes, 90% dos prédios foram destruídos, matando 40 pessoas.

Ficamos alguns minutos em silencio, sem reação diante daquilo que encontramos ali.

A cena era chocante, pois a cidade estava literalmente no chão.

Fiquei imaginando aquelas pessoas que dormiam na madrugada de domingo pra segunda-feira, por volta das 3 da manhã: o desespero, a correria, os gritos sufocados, a escuridão da noite.

E as vitimas nao foram maiores, porque no dia anterior do grande tremor, alguns outros pequenos tremores foram sentidos pelos moradores e alguns deles dormiam do lado de fora, em barracas improvisadas – segundo relato de um senhor que encontramos por la.

terremoto em l'aquila
terremoto em l'aquila
terremoto em l'aquila
terremoto em l'aquila
terremoto em l'aquila
terremoto em l'aquila

Uma das coisas que percebemos e que nos encheu de orgulho foi a imensa força de solidariedade do povo italiano nesta tragédia.

Encontramos voluntarios de toda parte do pais, desde Venezia até Calabria, passando por Firenze, Genova, Torino.

Praticamente todas as regiões italianas mandaram seus bombeiros, carabinieris, voluntarios da cruz vermelha, cruz azul, defesa civil para o local do acidente.

Compramos alguns mantimentos no supermercado e ao chegarmos na ‘tendòpolis' para doa-los conhecemos uma conterrânea nossa, de Firenze que estava ali organizando a coleta de mantimentos e roupas.

Foi muito difícil conseguir informações no local, pois praticamente todos que perguntávamos diziam que não eram dali, que não conheciam a regiao, estavam ali como voluntários.

Estima-se que mais de 7000 pessoas estejam na regiao para ajudar as vitimas da tragedia…

Segue abaixo alguns vídeos que fiz para a redação do Fantàstico, esperamos que algum possa ser aproveitado para a matéria de domingo.

Mais fotos você pode conferir no meu album do Flickr, clicando aqui

13 Comentários


  1. eu queria fazer uma pergunta como eu posso escrever a minha declaracao para meu irmao ir fazer o meu pedido da minha cidadania italiana com meus documentosobr pela as respostas

    Responder

  2. Oi Fabio,Muito bacana sua iniciativa de ir ate a regiao dos terremotos, registrar o evento e ainda por cima ajudar com doaçoes de alimentos.Muito sucesso para voce, sempre.[ ]'sBarbara

    Responder

  3. OI Fábio!Adorei ver você agindo como repórter. Eu acho que você leva muito jeito, é muito comunicativo e escreve muito bem. Parabéns!!!Você e dez! :)Rosaly TorvnesOBS: No seu blog não consegui ouvir o som de você falando…

    Responder

  4. Olá, Fábio!!!Parabéns pela reportagem!!! Apesar de nao poder ter ido ao centro historico, ficou mto bacana!!!Agora é só ficar ligadinho pra ver se encontramos esse cara simpático aí na Globo!!!!Abraços

    Responder

  5. CIAO FABIO!! NÃO É A TOA QUE ESSE BLOG É O MELHOR NO RAMO DA CIDADANIA ITALIANA,ALEM DE DEIXARMOS ATUALIZADOS DOS FATOS ATUAIS DA ITALIA.PARABÉNS PELA COBERTURA,OS VIDEOS E PELO TRABALHO TRANSPARENTE QUE VEM FAZENDO.ABRAÇOS A VC E A KELLY E A SUA EQUIPE .BACI.LUI

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.