Verdade sobre a “mentira da restrição à cidadania” Parte II

Tempo de leitura: 2 minutos

Resolvi ironicamente utilizar o mesmo título de um artigo escrito em 25 de julho de 2007.

Eu tinha acabado de chegar aqui na Italia, quando naquele momento eu já pedia aos leitores para tomar cuidado com as “conversas de boteco” que aconteciam nas redes sociais, jornais, revistas e blogs.

Bom, naquela matéria eu citava a reportagem da revista Veja, que dizia existir no congresso nacional italiano um projeto de lei que visava restringir o direito apenas a filhos e netos, parece familiar?

Vejam abaixo uma imagem da matéria:

verdades e mentiras

Nem preciso dizer que tudo não passou de uma grande balela, o então senador Eduardo Pollastri e o ex vice cônsul de Curitiba Marcello Alessio colocaram os “pingos nos is”, não houve nenhuma restrição à cidadania e a vida seguiu seu rumo.

ATUALMENTE…

É inegável que hoje o acesso a informação é muito melhor, pois basta pensar que em 2007 praticamente não existiam blogs sobre a cidadania italiana, o pessoal se concentrava no Orkut e hoje temos centenas senão milhares de blogs sobre o tema.

Pessoas que passaram pela experiência com o seu reconhecimento, outras que tratam da vida aqui na Italia, sem contar os canais no Youtube que tratam da vida no exterior, entre tantos outros assuntos.

Claro que isso é uma baita vantagem – termos tantos canais de informação é excelente!

Porém a vantagem disso consiste exatamente na possibilidade de confrontar as diversas informações.

Se vocês leem algo que eu posto aqui na Minha Saga sobre algo, a primeira coisa que vocês devem fazer é utilizar esta informação e confrontá-la com outras fontes.

Se eu escrevo que um consulado mudou um determinado procedimento, entrem imediatamente no site oficial daquele consulado e vejam se a informação bate.

Isso deve ser feito com cada informação recebida, independente do canal utilizado.

O que eu quero dizer a vocês com isso – antes de colocar o link do vídeo – é:

TENHAM SENSO CRÍTICO E PELOAMORDEDEUS, FILTREM AS NOTÍCIAS QUE VOCÊS RECEBEM.

Quem acompanha o blog há algum tempo sabe que isso eu falo desde que comecei a escrever este humilde espaço em 2006, e hoje em dia é mais importante do que nunca filtrar tudo que chega, pois o volume de informações aumentou consideravelmente nestes anos todos, ok?

Muito bem, recado dado, vamos ao vídeo.

Como ele ficou muito longo, eu separei o áudio e caso vocês queiram apenas ouvi-lo (sem o vídeo) basta clicar aqui.

Mesmo que eu errei no foco da lente no vídeo, não deixem de clicar em joinha e compartilhar 😉

42 Comentários


  1. Fábio, esse post, vídeo que você fez em 2015 está sendo super válido agora, porém, essa mudança na cidadania Italiana ou lei do nono, está em pauta e faz parte da emenda para aprovação junto a taxa de 300 para 400 euros no parlamento italiano, então não é apenas um boato que passou de boca em boca, espero que aconteça o mesmo que em 2015 e só aumente a taxa do consulado, vamos ver…

    Responder

  2. Olá Fábio

    Sem que seja residente aqui na Italia, apenas no comune do seu antenato. Se por outro lado vier viver aqui, poderá fixar sua residência em qualquer comune e após a confirmação, poderá fazer a CI neste mesmo comune. Abraços

    Responder

  3. Olá Fabio, o senhor sabe a respeito do retorno da Lei dos Trentinos ? será que vai aconteçer ? ou devo perder as esperanças ? obrigado.

    Responder

  4. Boa noite, já possuo a cidadania italiana e ouvi comentários que ocorreram mudanças para reconhecimento da cidadania de esposa, já possuo a minha a 03anos. Sabe alguma coisa, pois entrei no site do consulado e ainda não foi atualizado
    Grato por sua atenção.

    Responder

    1. Olá César

      Mudou apenas a forma de solicitação, em relação a legislação, tudo continua da mesma forma.

      Abraços

      Responder

  5. Oi Fábio
    Em relação aos Italianos q emigraram da Itália como minha mãe q veio para o Brasil com 3 anos e se naturalizou, em sendo aprovada essa lei de poder ter a dupla cidadania, os filhos teriam direito a cidadania Italiana?

    Responder

  6. Fábio, acompanho seus videos e gostei muito da sua abordagem direta e honesta. Tenho possibilidade de reconhecimento de cidadania via materna, mas algumas consultorias me repassaram que seria via judicial, pois minha árvore começa com Ana Solani(bisa), e se a jesuina(minha avó) nasceu antes de 1948, só poderá requerer cidadania via judicial e todos são deferidos. Esse dado confere? E se sim, como faço pra iniciar o processo?
    Segue minha árvore:
    Bisavós: Nicolau Manerich (descendente Alemão) e Ana Solani Manerich (Italiana, veio da Itália);
    Avós: Jesuína Manerich (filha de Nicolau e Ana) e Felisberto Manerich (descendente Alemão) os dois eram primos, seus pais por parte da familia Manerich eram irmãos (Antonio Manerich e Nicolau Manerich e seu pai que é meu tataravô veio da Alemanha);
    Pais: Daniel Manerich (filho de Jesuina e Felisberto) e Izabel Anacleto Manerich
    Abrç,Cris

    Responder

    1. Olá Crislaine tudo bem?

      Sim, no seu caso se trata de cidadania por derivação materna. Aguarde alguns dias que eu postarei um artigo sobre a parceria que estamos fechando com um advogado italiano especialista neste tipo de procedimento, mais alguns dias e publicarei todos os detalhes, ok?

      Abraços

      Responder

  7. Direto ao assunto agora fabio, o caso da minha namorada eh oq vc comentou neste video, ela nasceu na italia, na certidao consta tudo certinho, cresceu com a cultura italiana, os amigos estao na italia, fala a lingua perfeitamente assim como a escrita ja q estudou ai, mas nao eh reconhecida como cidadã italiana. Entao gostaria q vc me desse mais detalhes de qual eh o processo pra ela agora q ja tem 18 anos!! queremos muito viver na Italia!! Obrigado Fabio!!

    Responder

      1. ola fabio, tudo certo e ai?
        Ela nasceu e viveu ateh os 15 anos de idade na italia, depois veio para o Brasil pois disseram q ela soh conseguiria a cidadania apos os 18! entao fazem 3 anos q esta no brasil!

        Responder

        1. Então neste caso infelizmente ela não tem o direito a solicitar a eleição da cidadania italiana, pois um dos requisitos, além de aguardar os 18 anos é viver aqui de forma ininterrupta. Se ela saiu do país por 3 anos, perdeu o direito ao reconhecimento aqui, sinto muito.

          Responder

          1. Nao tem problema! vamos contratar vc para fazer nosso processo por antenatto!! Obrigado Fabio!!


  8. Primeiramente obrigado fabio! temos q ser gratos sim, pela oportunidade de sair dessa lama q eh o brasil! “Aaaa mais eh garantido na lei, nao preciso agradecer” , e se nao fosse a lei? estaria vivendo onde mesmo? No pais onde a presidente q se intitula presidentA acabou de dar uma resposta as ultimas manifestaçoes do dia 16/08 escolhendo como lider no combate a corrupçao o Deputado Jose guimaraes q ficou famoso pelos “dolares na cueca” irmao de Jose Genuino o do Mensalao!! Nossas lideranças estao transformando o brasil em uma piada, ou melhor, ja fizeram isso ha muito tempo! Entao sou grato sim pela oportunidade de sair dessa piada!!

    Responder

  9. Como vc é prolixo. Aposto que conseguiria passar a mesma informação em 3 minutos, se organizar melhor seus pensamentos e não se repetir tanto. bem cansativo. Que bom q já tenho minha cidadania e só vi esse vídeo por curiosidade. E ainda se diz humilde nas considerações rs E eu não tenho q ficar agradecendo a Itália tanto assim, se é direito pelas leis. Mas como vc disse alguém tem q vender pipoca.. Esse foi o meu “deslike” pra vc

    Responder

  10. Ja estava desesperada pq meu tataravo que era italiano…infelizmente a midia as vezes acaba atrapalhando do que ajudando…..vc caiu do ceu…rs Parabens pelo video e mt obrigada pelos esclarecimentos!

    Responder

  11. Fábio, obrigada por compartilhar tantas informações! Comecei a juntar os documentos para aquisição da cidadania e concordo plenamente sobre as suas colocações sobre a língua e cidadania! Estive na Itália recentemente e fiquei encantada! Só aumentou a certeza de que estou no caminho certo. Parabéns pelo blog e mais uma vez, obrigada!

    Responder

  12. Fábio,

    Não sei qual o melhor meio de te mandar essa pergunta, então vai aqui mesmo!

    Você pode me ajudar a conseguir a emissão da non rinuncia no consulado de Curitiba?

    Estou finalizando o meu processo na itália e há mais de 45 dias úteis esperando – prazo máximo para resposta segundo o consulado de Curitiba – por uma resposta para terminar o meu processo. Inclusive o consulado de São Paulo já encaminhou para a comune a non rinuncia há mais de um mês.

    Caso seja possível efetuar esse serviço, por favor me envie seu e-mail para falar melhor a respeito, ou pelo menos me dê uma luz de que tipo de profissional eu devo procurar!!

    Obrigada mesmo!

    Responder

    1. Olá Natalia o prazo máximo é de 90 dias, portanto o seu processo está completamente dentro do prazo, ninguém pode te ajudara a “conseguir a non rinuncia” pois este documento é enviado ao comune pelo consulado, e trata-se de um procedimento interno. Se algum profissional te prometer isso, saiba que é furada! Abs

      Responder

      1. Brigadão Fábio!!!

        Esse prazo de 45 dias úteis foi uma informação do próprio Consulado de Curitiba, mas sinceramente confio mais no seu conhecimento do que na “informação deles”.

        Obrigada de novo, tô mais tranquila agora 😉

        Responder

  13. Fábio, muito obrigado pelo vídeo esclarecedor. Quanto aos que querem a cidadania e dizem que “odeiam a Itália”, odeiam-se, por que de qualquer forma descendem de alguém que veio de lá… A Itália é um país maravilhoso, assim como o Brasil. E quem quer a cidadania pra viver em Londres, odiando a Itália, tomara que demore mesmo e que indefiram sua cidadania!

    Responder

  14. Parabéns!! Vi todo o vídeo e concordo.
    Gratidão é essencial. Itália é um país maravilhoso.

    Responder

  15. Fabio,
    Adorei o vídeo.
    Concordo com sua posição de condenar veemente pessoas que tentam difundir boatos, com a intensão de vender “serviços” e pseudas consultorias.
    Desde meados de 2002 venho “caçando” informações sobre méis antenados italianos, e com muita dificuldade consegui reunir documentos para tentar solicitar minha cidadania.
    Mas, mais do que um direito, percebi que a história de méis avós não foi uma nuvem de algodão doce. Sofreram é muito, primeiro em deixar suas casas e sua terra, para arriscarem em um novo mundo, segundo que, tomando como exemplo minha Nona, descobri que, uma adolescente de 13 anos passou meses em um vaporetto, sem qualquer “glamour” ou conforto digno, e viu um Natal e um Ano novo no mar, até chegar no Brasil.
    Viu a dificuldade de conseguir emprego, pois meu bisavô, era o único homem de uma família de imigrantes, que chegara com sua esposa e filhas, e naquela época não era interessante para os empregadores contratarem famílias com maioria de mulheres. Se não fosse por meu Avô, que contratou aquela família deixada de lado e que mais tarde despojaria uma das filhas (aquela adolescente que comentei anteriormente), quem sabe qual seria o destino deles?
    Por isso, ao ver seu comentário sobre pessoas que sequer entendem o significado da oportunidade de se ter uma cidadania italiana, de bater no peito e dizer que é italiano, tocou fundo e me fez, aqui desabafar o motivo pelo qual venho desde 2002 nessa luta pelo meu direito, não para poder, a princípio mudar para a Itália, mas para honrar meus avós, meus bisavós, que graças a Deus hoje estou aqui.
    Foi uma experiência grandiosa conhecer o passado de minha família, que não tem qualquer glamour, mas que tem muita dignidade e luta.
    Quero muito contribuir com o País onde originou o sobrenome que com muito orgulho carrego. Quero ter direito de voz, quero votar e contribuir para seu crescimento, e quem sabe um dia viver lá e ver minha filha ter um futuro, que hoje não vislumbro aqui no Brasil.
    Saiba que não está só nessa luta. Acompanho seu empenho e estou aqui para ser mais uma mão.
    Parabéns Fábio!!!

    Grande abraço,

    Eduardo Girardi

    Responder

  16. Como a Veja faz um desserviço desses, hein?!
    Em boca fechada não entra mosquito!!

    Responder

  17. Fábio, você é corajoso, o Brasil é o país do caos, onde as pessoas se acostumam com caos e vivem com isso diariamente a tal ponto que não entendem como em uma sociedade pode haver confiança. E por esse motivo, acredito que você deve lidar com tamanhos problemas vindo de nós brasileiros que deve realmente desanimar o seu dia a dia no seu trabalho, mas mesmo assim, acho incrível o quanto apesar disso tudo, você ainda luta pra dar esse pedaço no céu, que é a Itália, pra nós caóticos Brasileiros. Por isso Fábio, eu agradeço você, porque se não fosse esse blog eu realmente não teria enxergado e nem pelo menos teria esperança de ter uma vida onde eu possa viver uma vida com confiança. Muito Obrigado Fábio, muito Obrigado mesmo!

    Responder

  18. Fábio, queria te agradecer pelo vídeo com informações detalhadas e esclarecedoras. Fui umas das pessoas que recebeu essa notícia – e foi de pessoas envolvidas com patronato, inclusive – e buscou esclarecimentos contigo, pois quem tem o mínimo de senso crítico sabe que as notícias são distorcidas, ainda mais as que chegam do exterior.

    Responder

  19. PARABÉNS ! Simplesmente exelente o seu vídeo. Faço minhas as suas palavras. Fiz minha cidadania na Itália e é para onde eu vou voltar.
    Tem gente que faz a cidadania italiana e depois joga o passaporte em uma gaveta qualquer.

    Londres, Barcelona, etc… ONDE FICAM ????

    Responder

  20. Muito bom Fábio, admiro o que você disse. Mas se uma lei dessa fosse para análise, o que poderíamos fazer contra? Abaixo-assinado?

    Responder

  21. Fábio, vc acha que tbm isso pode ter começado com o fato do grande número de imigrantes africanos que vão pro Sul da Itália? . Desculpe minha ignorância rss

    Responder

  22. Oi Fábio
    Em relação aos Italianos q emigraram da Itália como minha mãe q veio para o Brasil com 3 anos e se naturalizou, em sendo aprovada essa lei de poder ter a dupla cidadania, os filhos teriam direito a cidadania Italiana?

    Responder

  23. Parabéns pelo vídeo, excelente!Tenho a ideia que deveriam “exigir” uma prova que a pessoa que quer ter cidadania amasse a a Itália,não apenas pra fugir do Brasil.

    Responder

    1. Isso é algo que anda me irritando faz tempo… mas não são apenas brasileiros com essa mentalidade medíocre. São pessoas de qualquer lugar, que não se dão bem consigo mesmas então colocam a desculpa no povo, no idioma, na cidade, no clima, na poluição, na qualidade dos serviços, na cor do céu. Não conhecem absolutamente nada, mas acham tudo uma merda. Tem gente que deveria é morar num buraco.

      Responder

  24. Fábio, concordo plenamente com o quê você afirmou, cada vez mais gosto do saga, é verdade, obter uma cidadania não é apenas um papel é participar de um grande projeto.

    Responder

  25. Ciao Fabio.

    Nada como aguardar palavras de quem realmente se importa com a Cidadania e com os “Clientes” e interessados nela.

    Obrigado por mais esta.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.